Dourados – MS terça, 07 de dezembro de 2021
Dourados
36º max
22º min
Sanesul
Cultura

Artistas de MS se consagram na música instrumental

Em Dourados, cantor e compositor Léo Martins se inspira em artistas consagrados como Cazuza, Leoni e Lucas Silveira

20 Fev 2021 - 16h33Por Rozembergue Marques, especial para O Progresso
Douradense Léo Martins é cantor e compositor em Dourados - Crédito: DivulgaçãoDouradense Léo Martins é cantor e compositor em Dourados - Crédito: Divulgação

Até o início do século XVI, os instrumentos musicais eram usados apenas para acompanhar os cantos ou marcar o compasso das músicas. A partir disso, as composições instrumentais foram ficando cada vez mais frequentes até que, durante o período barroco, a música instrumental passou a ter importância igual à vocal. Foi durante o período clássico (da música), porém, compreendido entre os anos de 1750 e 1810, que a música instrumental passou a ter importância maior do que a vocal, devido ao aperfeiçoamento dos instrumentos e ao surgimento das orquestras.

Como não podia deixar de ser, a música popular brasileira moldou-se a partir de todas estas fontes, bem como das influências vindas da música africana, trazida por negros de vários lugares, e também da música indígena de diversas regiões. Historiadores da música afirmam que a modinha (da Europa) e o lundu (da África) são as grandes influências da música popular brasileira e, juntamente com o schottish, a valsa, o tango e a polca, são grandes influências também para o choro, que é essencialmente instrumental, e considerado primeiro gênero popular urbano do Brasil. Os principais instrumentos utilizados no choro são o violão de 7 cordas, violão, bandolim, flauta, cavaquinho e pandeiro, embora diversos outros instrumentos tenham sido utilizados. Acresça-se a esse rol de instrumentos a viola de 10 cordas, instrumento de origem portuguesa e que, segundo a lenda, quando chegou ao Brasil era usado pelos cavaleiros viajantes para abrir a janela das moçoilas casadoiras. Isso teria gerado inclusive reclamações à corte. O maior nome de Mato Grosso do Sul neste instrumento é o também cantor Almir Sater. Outros nomes que se destacam na música instrumental de Mato Grosso do Sul são Marcelo Ribeiro, Sandro Moreno, Adriano Magoo e Wlajones Carvalho, além de Toninho Porto, que a exemplo de outras figuras já teve experiências internacionais.

Em Dourados, ao lado de Sandro Nunes (sax alto e sax soprano), de Biko do Trombone, da Orquestra da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), de bons violeiros e virtuoses em diversos instrumentos, o douradense Léo Martins é desses aficcionados por música que optou pela música instrumental. Embora também seja cantor, é compondo e fazendo aprimorados arranjos no estúdio que montou em sua casa que mostra sua sensibilidade, que vai além das composições instrumentais e arranjos. Embora se sinta muito à vontade rodeado de instrumentos e diante da mesa de som, Léo Martins tem uma produção profícua também na composição de letras, na sua maioria inspirada em artistas como Cazuza, Leoni, Lucas Silveira e Esteban Tavares, não raro se unindo a outros compositores para elaborar as letras, como Jonathan Corrêa (Reação em Cadeia) e Guilherme de Sá (Rosa de Saron).

Léo já se apresentou em algumas cidades do interior de São Paulo. Hoje focado no estilo Pop Rock/ MPB, já foi vocalista das bandas H2SO4 (2005 - 2006), Dilema (2006 - 2007) e Acústica Arsenal (2007 - 2010). Em parceria com a N/A Produções, gravou seu primeiro CD em 2016, intitulado Léo Martins - Fragmentado. Atualmente, está finalizando a produção do seu segundo álbum “Léo Martins - Unificado”. Hoje, com 28 anos de idade, dono de uma voz diferenciada e muita habilidade no manejo de cordas de diversos instrumentos, Léo está empenhado em a conquistar seu espaço no cenário musical. “A música é parte da minha vida. Nos retira da aridez do dia a dia e nos eleva. Fazer música para mim é como respirar”, afirma, inspirado, o instrumentista.


Deixe seu Comentário

Leia Também

Fundação de Cultura promove Roda de Conversa sobre Inovação Agrícola em áreas indígenas
Cultura

Fundação de Cultura promove Roda de Conversa sobre Inovação Agrícola em áreas indígenas

07/12/2021 09:57
Fundação de Cultura promove Roda de Conversa sobre Inovação Agrícola em áreas indígenas
MIS realiza primeira sessão noturna presencial com filme premiado “Madalena”
Cultura

MIS realiza primeira sessão noturna presencial com filme premiado “Madalena”

07/12/2021 09:33
MIS realiza primeira sessão noturna presencial com filme premiado “Madalena”
Roda de Conversa sobre Inovação Agrícola em áreas indígenas está disponível no Youtube da FCMS a partir desta terça-feira
Cultura

Roda de Conversa sobre Inovação Agrícola em áreas indígenas está disponível no Youtube da FCMS a partir desta terça-feira

06/12/2021 14:01
Roda de Conversa sobre Inovação Agrícola em áreas indígenas está disponível no Youtube da FCMS a partir desta terça-feira
14ª Mostra Cultural das Escolas Estaduais de MS e Festival MS in Concert
Festival

14ª Mostra Cultural das Escolas Estaduais de MS e Festival MS in Concert

05/12/2021 16:00
14ª Mostra Cultural das Escolas Estaduais de MS e Festival MS in Concert
Estados brasileiros são retratados em livro de Sul-mato-grossenses
Cultura

Estados brasileiros são retratados em livro de Sul-mato-grossenses

05/12/2021 12:00
Estados brasileiros são retratados em livro de Sul-mato-grossenses
Últimas Notícias