Dourados – MS sexta, 23 de abril de 2021
Dourados
30º max
17º min
Influx - Campanha 2021
Variedades

Que fim levou?

11 Jan 2016 - 07h00
Que fim levou? -
A Usina Filinto Muller, a Usina Velha carece de restauração. Mas o que carece de explicação é um tal projeto apresentado pela Câmara de Vereadores em 2005, onde a Prefeitura e a Fundação de Cultura – Funced, chegaram a anunciar a revitalização, que seria feita com recursos de um fundo de Cultura do Banco do Brasil.

##### Freio de mão


Na época, o valor destinado para a obra seria de R$ 500 mil com patrocínio do Banco do Brasil. O pior é que este projeto da época do prefeito Laerte Tetila do PT, travou qualquer tratativa com relação às obras de restauração do Patrimônio Histórico, se não vejamos:

##### Saiu ou ficou?


Em julho de 2012 o Ministério Público Estadual através do promotor Ricardo Rotuno, após ter sido provocado por entidades, entrou com um pedido na justiça, obrigando o município a realizar a restauração da usina. Qual foi a surpresa? O juiz José Domingues Filho, negou a ação civil pública, porque já existia este tal projeto apresentado em audiência pública em 2005 na Câmara de Vereadores e por conta disto, não se pode obrigar o poder público a promover esses tipos de gastos se outro encaminhamento já havia sido feito em 2005. Ficam as indagações no ar. Onde foi parar este projeto? E a verba de R$ 500 mil do Banco do Brasil, saiu ou não saiu em 2005? E se saiu, onde foi parar?

##### Espaço de lazer


A usina foi tombada como patrimônio histórico cultural em 1991, com intuito de se transformar em um espaço de lazer, arte e cultura para o município, além de abrigar o ‘Museu Histórico de Dourados’. A Usina termoelétrica Senador Filinto Muller foi construída em 1943 e veio a funcionar, de fato, em 1949, depois do extinto território de Ponta Porã. Último marco histórico de Dourados foi construído para gerar energia elétrica, sendo desativada em 1951.

##### Nem por omissão


Pessoa atenta e politizada participa da coluna de hoje já prevendo o que pode acontecer nas eleições de 2018. “Apesar de todos os escândalos envolvendo o PT e o governo federal nos mandatos de Lula e Dilma, apesar do “mensalão, do Petrolão” estou para dizer que o povo que já está sendo levado na conversa mole vai eleger Lula de novo em 2018. Isso depois da Dilma contar com o apoio do STF que recentemente dificultou o processo de impeachment e da Procuradoria Geral da República, através de Rodrigo Janot, que não denuncia Dilma nem por omissão”.

##### Café da manhã


“Recentemente em um café da manhã com jornalistas Dilma disse que seu erro foi não perceber a crise econômica que bateu em 2015. Incrível como Dilma e Lula não percebem nada. Ele também não percebeu o Mensalão, assim como não percebeu que a Petrobras estava sendo saqueada. Passou também despercebido para Dilma que a Petrobras continuou sendo saqueada desde os tempos do Lula. Incrível como a cegueira tomou conta destes dois governos do PT também contaminou alguns eleitores que os mantém no poder há mais de 13 anos”.

##### Melhor caminho


A ex-senadora e ex-ministra Marina Silva defende que o “melhor caminho para o Brasil” é a análise, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de ação impetrada pelo PSDB que pede a impugnação dos mandatos da presidente Dilma Rousseff e do vice Michel Temer por suposto abuso de poder político e econômico na eleição de 2014.

##### “Não é golpe”


Durante entrevista à rádio Gaúcha, Marina Silva não defendeu a saída de Dilma abertamente, mas afirmou que impeachment “não é golpe” já que está previsto na Constituição. Para ela, a ação que tramita no TSE teria mais sentido porque tanto Dilma quanto Temer, seriam cassados pelo tribunal, caso ficasse comprovado que a chapa que venceu as eleições em 2014 recebeu dinheiro da corrupção na Petrobras para financiar a campanha.

##### No TSE


“No meu entendimento, o melhor caminho para o Brasil é o processo que está no TSE, porque no TSE você teria a cassação da chapa, se forem comprovadas as graves denúncias de que o dinheiro da corrupção foi utilizado para a campanha do vice-presidente e da presidente da República”, disse Marina.

##### Mesma moeda


“Os dois são faces da mesma moeda e claro que defendemos que os ministros dêem encaminhamento urgentemente ao processo que está tramitando no TSE”, defendeu. A ex-senadora também criticou a postura da presidente Dilma durante a campanha presidencial de 2014 ao afirmar que “ela não disse a verdade”. “Se tivesse trabalhado com a verdade, teria assumido que de fato estávamos correndo um grave risco em relação aos inúmeros problemas que temos”, afirmou Marina.

##### E prejudicou


“A sociedade brasileira decidiu pela presidente Dilma Rousseff. E ela continuou porque ocultou da sociedade fatos, de que as ações que vinham sendo tomadas, tanto do ponto de vista político quanto do ponto de vista econômico, iriam prejudicar muito o Brasil. E prejudicou, de fato”, enfatizou.

##### PT e PMDB


Marina Silva também disse durante a entrevista que “tanto o PT como o PMDB, tanto a presidente quanto o vice-presidente são responsáveis pela crise, responsáveis pelos desmandos que estão acontecendo, inclusive na Petrobras”.

##### Operação Lava


Ao defender as investigações da Operação Lava Jato, ela disse que os dois principais partidos no governo estão “igualmente envolvidos” no esquema de corrupção que atuava na Petrobras.

##### Envolvidos e presos


“Do lado da presidente temos o então líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral, o tesoureiro do seu partido João Vaccari Neto, envolvidos e presos. E do lado do vice-presidente temos o presidente do Senado Renan Calheiros e o presidente da Câmara Eduardo Cunha igualmente envolvidos, inclusive com pedido de afastamento do deputado Eduardo Cunha”, exemplificou.

##### Que frase!


“Existem três tipos de empresas (e pessoas). As que fazem as coisas acontecer, as que ficam vendo as coisas acontecer e as que se perguntam: O que aconteceu?” (Philip Kotler)

Deixe seu Comentário