Dourados – MS quarta, 24 de fevereiro de 2021
Dourados
35º max
24º min
Influx
Tecnologia

Comissão acompanhará meta do governo de fibra óptica em 99% das cidades

29 Jan 2021 - 09h53Por Agência Senado
No interior do Pará, cabos de fibra óptica são instalados em rios para expandir a rede - Crédito: Sidney Oliveira/Agência ParáNo interior do Pará, cabos de fibra óptica são instalados em rios para expandir a rede - Crédito: Sidney Oliveira/Agência Pará

Publicado nesta quinta-feira (28) no Diário Oficial da União (DOU), o decreto do governo federal que estabelece o novo Plano Geral de Metas de Universalização (PGMU 5) do setor de telecomunicações chega cercado de expectativas em um momento que o país se prepara para o leilão da quinta geração de telefonia móvel (5G). O evento, um mais aguardados pelo setor de telecomunicações, também está na mira do Senado, que criou uma comissão para acompanhar o leilão das frequências. 

Entre outros pontos, o documento determina que municípios ainda sem acesso à banda larga móvel 4G sejam priorizados para receber esse sinal nos compromissos do edital do leilão das frequências do 5G, previsto para o fim deste semestre. O plano, válido para o período de 2021 a 2025, também traz como novidade a obrigação de que concessionárias de telefonia fixa invistam na implantação de redes de fibra óptica em 1,5 mil municípios brasileiros que ainda não possuem essa estrutura. A estimativa do governo é que a cobertura de internet por fibra óptica alcance 5.500 municípios até 2024, o que equivale a 99% dos municípios brasileiros.

A criação de uma comissão para acompanhar o leilão das frequências 5G foi aprovada em Plenário em dezembro passado a partir de uma sugestão do senador Major Olimpio (PSL-SP). No pedido de criação do colegiado, ele observa que o assunto envolve várias questões técnicas que precisam ser mais discutidas pelos parlamentares e pela sociedade civil.

“Podemos citar, como exemplo, as faixas de frequência que serão ofertadas: 700MHz, 2,3GHz, 26GHz e 3,5GHz. A última é, sem dúvida, a que desperta maior interesse das empresas de telefonia, por exigir menos investimento para a implantação da tecnologia. O problema é que essa frequência pode interferir no funcionamento das antenas parabólicas de TV”, argumenta.

Rede 5G

O senador afirma que também é importante discutir as definições de prioridades do 5G no Brasil. “Nosso país tem dimensões continentais e a rede 5G poderia, a exemplo do que ocorreu na Finlândia, substituir a internet com fio, onde não há fibra óptica domiciliar. Esses são apenas alguns aspectos que devem ser amplamente debatidos para que se chegue a uma legislação capaz de contemplar os interesses das empresas, bem como resguardar a saúde e a segurança da população”, aponta em seu requerimento (RQS 2.883/2020).

Em 2020, o tema foi recorrente em perguntas de senadores durante sabatinas de indicados para a diretoria da Anatel.

Aprovado pela Comissão de Infraestrutura (CI) para seguir no Conselho Diretor da Anatel, Vicente Bandeira de Aquino Neto afirmou aos senadores, em dezembro, que o leilão de frequências da rede 5G vai proporcionar amplos benefícios econômicos ao país.

— No Brasil, o impacto do 5G no crescimento econômico deverá ser de aproximadamente R$ 250 bilhões até o ano de 2035. A nova tecnologia permitirá o desenvolvimento de aplicações inovadoras e disruptivas, como cirurgias a distância, carros autônomos e cidades inteligentes — previu.

Desigualdade

Também aprovado pela CI para ocupar uma vaga na Anatel, Carlos Manuel Baigorri disse em resposta a parlamentares, em outubro, que levar cobertura de celular e internet a todos os municípios do país é um dos maiores desafios da agência reguladora. Segundo ele, a pandemia de covid-19 deixou clara a desigualdade entre as classes sociais no que diz respeito à conectividade. 

— O papel da Anatel é tentar atacar esse problema de duas formas diferentes. Uma forma é pelo lado da oferta. Ou seja, levar oferta, levar conectividade para essas localidades, pois há locais onde o cidadão tem o recurso, tem a renda para contratar, mas o serviço não está disponível. E há o problema do lado da demanda, em que o serviço está disponível, mas o cidadão não tem condições financeiras de contratar — explicou na ocasião.

À Agência Senado, o senador Jean Paul Prates ressaltou que "ainda há 26 milhões de pessoas no Brasil sem acesso à rede mundial de computadores". Ele se mostrou cético em relação à superação das desigualdades digitais.

— Duvido muito que o 5G venha a alterar essa desigualdade digital. Para que isso seja resolvido, precisamos resolver é a nossa economia — advertiu.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

MCom apresenta protótipo de internet móvel via satélite para veículos
Tecnologia

MCom apresenta protótipo de internet móvel via satélite para veículos

23/02/2021 18:33
MCom apresenta protótipo de internet móvel via satélite para veículos
Parlamentares debatem edital da internet 5G com conselheiro da Anatel
tecnologia

Parlamentares debatem edital da internet 5G com conselheiro da Anatel

04/02/2021 09:58
Parlamentares debatem edital da internet 5G com conselheiro da Anatel
Primeiro satélite 100% brasileiro será lançado no fim de fevereiro
Tecnologia

Primeiro satélite 100% brasileiro será lançado no fim de fevereiro

03/02/2021 11:21
Primeiro satélite 100% brasileiro será lançado no fim de fevereiro
Missão brasileira visitará cinco países para obter mais informações sobre 5G
Tecnologia

Missão brasileira visitará cinco países para obter mais informações sobre 5G

02/02/2021 17:31
Missão brasileira visitará cinco países para obter mais informações sobre 5G
Leilão do 5G prevê criação de rede privativa para o governo federal
Tecnologia

Leilão do 5G prevê criação de rede privativa para o governo federal

30/01/2021 16:31
Leilão do 5G prevê criação de rede privativa para o governo federal
Últimas Notícias