Dourados – MS domingo, 11 de abril de 2021
Dourados
36º max
22º min
Influx - Campanha 2021
Política

Defesa tenta anular sessão que cassou Tio Júlio

17 Mar 2011 - 22h15
Defesa de Tio Júlio alegou ilegalidade nas provas - Crédito: Foto: Hédio Fazan/PROGRESSODefesa de Tio Júlio alegou ilegalidade nas provas - Crédito: Foto: Hédio Fazan/PROGRESSO
Valéria Araújo

DOURADOS – A defesa do ex-vereador Júlio Artuzi (PRB) vai tentar anular a sessão que cassou o político na manhã de ontem na Câmara de Vereadores. O argumento do advogado Leandro Geane Gonçalves dos Santos, é de que um dia antes da sessão extra que cassou Tio Júlio, o juiz João Mathias Filho, proferiu uma decisão de que os vereadores Gino Ferreira e Dirceu Longhi não poderiam participar da sessão de julgamento do vereador afastado Paulo Henrique Bambu, que acontece hoje às 9h. Segundo o advogado, a decisão válida para o julgamento de “Bambu”, abre precedentes para que seja anulado o julgamento de Tio Júlio.

Se o juiz conceder o pedido da defesa de Tio Júlio, uma novo julgamento teria que ser marcado sem a presença de Dirceu Longhi e Gino Ferreira. O juiz entende que ambos são acusados do mesmo crime que Bambú, em processo originário da Operação Uragano. Por este impedimento na sessão de hoje, o vereador Paulo Henrique Bambú contará com a presença de 10 dos 12 vereadores no julgamento. Destes, Cido Medeiros e Pedro Pepa são impedidos de votar por serem os suplentes diretos do vereador. Restarão oito vereadores. Para ser cassado, Bambú terá que receber o voto de todos os vereadores votantes, o que representa a maioria qualificada.

#####TIO JÚLIO

Tio Júlio recebeu 11 votos favoráveis a sua cassação e um impedimento. O advogado Leandro Geane Gonçalves dos Santos, apontou o que seriam várias irregularidades cometidas nos trabalhos. Entre elas o interesse político na cassação e a falta de provas. Para Geane, as gravações produzidas por Eleandro Passaia são ilegais, por ele não ser agente da Polícia Federal.

O advogado disse ainda que a gravação foi editada. “Não aparece por exemplo quando o vereador recusou o acordo e devolveu o dinheiro”, disse. Ele afirmou que o caso ainda não transitou em julgado e por isso não seria o momento de cassar o vereador com base em provas supostamente ilícitas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Marçal intervém e reforma de ginásio depende de projeto da prefeitura
Política

Marçal intervém e reforma de ginásio depende de projeto da prefeitura

11/04/2021 08:09
Marçal intervém e reforma de ginásio depende de projeto da prefeitura
Transparência na prefeitura precisa melhorar, diz líder de movimento
Política

Transparência na prefeitura precisa melhorar, diz líder de movimento

10/04/2021 13:01
Transparência na prefeitura precisa melhorar, diz líder de movimento
Presidente da Câmara assume interinamente a Prefeitura de Miranda
Política

Presidente da Câmara assume interinamente a Prefeitura de Miranda

10/04/2021 10:12
Presidente da Câmara assume interinamente a Prefeitura de Miranda
Câmara e Senado apresentam sugestões para ajustar Orçamento deste ano
Política

Câmara e Senado apresentam sugestões para ajustar Orçamento deste ano

10/04/2021 08:33
Câmara e Senado apresentam sugestões para ajustar Orçamento deste ano
Proposta aumenta para 20 anos pena mínima do crime de feminicídio
Politica

Proposta aumenta para 20 anos pena mínima do crime de feminicídio

09/04/2021 07:00
Proposta aumenta para 20 anos pena mínima do crime de feminicídio
Últimas Notícias