Dourados – MS segunda, 10 de agosto de 2020
Dourados
32º max
18º min
Campanha Parcelamento Conta
Política

Câmara vota salário minimo amanhã

14 Fev 2011 - 22h27
O líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza, e o ministro Luiz Sérgio - Crédito: Foto: Antônio Cruz – AbrO líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza, e o ministro Luiz Sérgio - Crédito: Foto: Antônio Cruz – Abr
Brasília - O governo está confiante que vai conseguir aprovar amanhã na Câmara dos Deputados o valor de R$ 545 para o salário mínimo este ano, contrariando a oposição e as centrais sindicais que consideram baixo o valor. Ontem, na reunião da coordenação política com a presidenta Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto, o governo bateu o martelo e, de acordo com o ministro de Relações Institucionais, Luiz Sérgio, “não há plano B” para a questão do mínimo.

A aprovação do novo valor do mínimo é o primeiro embate do governo da presidenta Dilma Rousseff com o Congresso, e a reunião da coordenação política serviu para traçar estratégias para vencer a queda de braço com a oposição. O assunto foi o único tratado na reunião de ontem. Para convencer os deputados e garantir que não haverá dissidências, ficou acertada uma reunião com os líderes da base na Câmara para hoje, ao meio-dia. Além disso, já está marcada uma comissão geral com a presença do ministro da Fazenda, Guido Mantega, para debater o assunto na Casa. Dos 513 deputados, 388 são de partidos da base aliada.

“Não existe plano B. O que estamos votando não é somente um valor. Estamos votando uma política de valorização do mínimo que já se mostrou vitoriosa”, disse o ministro, ao sair da reunião. “O valor de R$ 545 é o estabelecido, vinculado à política, não pode haver exceções”, enfatizou o ministro.

O acordo para reajustar o valor do salário mínimo prevê o cálculo da inflação do ano anterior, 2010 nesse caso, mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes, ou seja, referente à de 2009. O governo alega que está cumprindo o acordo, mas as centrais sindicais querem que neste ano, o governo trate com “excepcionalidade” o reajuste, pois o PIB de 2009 apresentou variação negativa, afetado pela crise econômica internacional.

“A mesma excepcionalidade com que o governo tratou a indústria, as instituições financeiras na época da crise deve ser aplicada agora ao salário mínimo. Não dá para usar o salário mínimo como forma de conter inflação”, contestou o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Artur Henrique da Silva Santos.

Ao sair da reunião, Luiz Sérgio disse que a correção da tabela do Imposto de Renda para Pessoa Física (IRPF) é possível, mas o governo quer tratar o assunto atrelado à votação do mínimo. “A correção da tabela do IR é possível. Evidentemente será debatida tão logo superemos a matéria relativa ao salário mínimo”, disse. “Cada dia com sua agonia. Neste momento estamos centrados na discussão do salário mínimo mas é claro que existe uma preocupação do governo em relação ao reajuste da tabela do imposto de renda”, enfatizou.

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP) avaliou que o apoio à proposta governista para o mínimo vem crescendo na base. “Da semana passada até hoje aumentou o apoio aos R$ 545. Houve uma reunião do PCdoB, o PDT abriu uma discussão interna e o PSB também avançou. Posso assegurar que o PT, PMDB, PR e PTB já estão bastante decididos”, disse Vaccarezza após participar da reunião da coordenação política com a presidenta Dilma. (Agência Brasil – ABr).

Deixe seu Comentário

Leia Também

Délia troca comando da saúde mais uma vez durante a pandemia
DOURADOS

Délia troca comando da saúde mais uma vez durante a pandemia

10/08/2020 10:56
Délia troca comando da saúde mais uma vez durante a pandemia
Presidente do STF é internado em Brasília
JUDICIÁRIO

Presidente do STF é internado em Brasília

10/08/2020 09:32
Presidente do STF é internado em Brasília
Brasil tem 147,9 milhões de eleitores aptos a votar em novembro
Eleições

Brasil tem 147,9 milhões de eleitores aptos a votar em novembro

05/08/2020 16:30
Brasil tem 147,9 milhões de eleitores aptos a votar em novembro
Olavo Sul vai acionar MP por conta de reforma no posto da saúde Vila São Pedro
Vila São Pedro

Olavo Sul vai acionar MP por conta de reforma no posto da saúde Vila São Pedro

05/08/2020 16:01
Olavo Sul vai acionar MP por conta de reforma no posto da saúde Vila São Pedro
Projeto para duplicação da Coronel Ponciano está pronto
Infraestrutura

Projeto para duplicação da Coronel Ponciano está pronto

05/08/2020 12:33
Projeto para duplicação da Coronel Ponciano está pronto
Últimas Notícias