Dourados – MS sexta, 29 de maio de 2020
Dourados
26º max
11º min
JBS (Fazer o bem)
Violência doméstica

TJ mantém condenação de homem que agrediu e ameaçou mulher em Dourados

10 Out 2019 - 16h12Por Redação
Desembargadora Dileta Terezinha - Crédito: TJMSDesembargadora Dileta Terezinha - Crédito: TJMS

Os desembargadores da 3ª Câmara Criminal, por unanimidade, negaram provimento ao recurso interposto contra a sentença que condenou o apelante por lesão corporal em contexto de violência doméstica e ameaça na comarca de Dourados.

Consta nos autos que no dia 25 de dezembro de 2018, o apelante desferiu socos no braço de sua esposa e também a ameaçou dizendo: “já mandei uma pro buraco, pra mandar outra não custa não”, referindo-se a sua ex-convivente, crime pelo qual foi condenado anteriormente por homicídio. Em outro momento, no dia 30 de dezembro de 2018, o denunciado tentou tomar a chave da casa da esposa e para isso torceu-lhe o braço e apertou os dedos da vítima.

Por conta do histórico desabonador e das atitudes violentas de seu marido, no dia 1º de janeiro de 2019 a vítima sentiu-se ameaçada e realizou boletim de ocorrência. Quando o agressor descobriu, foi até sua casa e passou a agredi-la com empurrões e socos na região da cabeça.

No recurso, o apelante pugnou por sua absolvição com a alegação que inexistem provas suficientes para a condenação e, alternativamente, pediu a substituição da pena privativa de liberdade pela restritiva de direito.

A relatora do processo, desembargadora  Dileta Terezinha Souza Thomaz, afirmou que a materialidade das infrações foram devidamente comprovadas. No ocorrido do dia 25 de dezembro, o filho do casal e sua noiva testemunharam e confirmaram a agressão e ameaça. No dia 30 de dezembro, também houve uma testemunha, e no dia 1º de janeiro o acusado foi preso em flagrante, com a confirmação das agressões em depoimento de um policial militar.

Por conta das testemunhas, do exame de corpo de delito e do depoimento firme da vítima, a relatora afastou a absolvição do acusado e, em relação à substituição das penas, afirmou: “Nesse passo, em casos de crimes praticados contra a mulher em âmbito doméstico, torna-se inviável a substituição da pena privativa de liberdade por restritiva de direitos, haja vista que, não obstante a sanção imposta ao acusado seja inferior a quatro anos, os delitos praticados pelo apelado foram cometidos mediante violência e grave ameaça à pessoa, o que impede a obtenção da benesse, a teor do disposto no artigo 44, inciso I, do Código Penal”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Suspeito de assassinar a ex e novo namorado dela em MS é preso um dia depois a 267 km do local do crime
Duplo Homicídio

Suspeito de assassinar a ex e novo namorado dela em MS é preso um dia depois a 267 km do local do crime

29/05/2020 15:35
Suspeito de assassinar a ex e novo namorado dela em MS é preso um dia depois a 267 km do local do crime
Veículo que seguia para Bahia com droga é apreendido pelo DOF
Tráfico

Veículo que seguia para Bahia com droga é apreendido pelo DOF

29/05/2020 12:31
Veículo que seguia para Bahia com droga é apreendido pelo DOF
Jovem tenta dispensar pistola durante abordagem e acaba preso pela Força Tática
Polícia

Jovem tenta dispensar pistola durante abordagem e acaba preso pela Força Tática

29/05/2020 12:11
Jovem tenta dispensar pistola durante abordagem e acaba preso pela Força Tática
Professor preso com conteúdo sexual infantil diz que consumia material há 10 anos
CAPITAL

Professor preso com conteúdo sexual infantil diz que consumia material há 10 anos

29/05/2020 10:38
Professor preso com conteúdo sexual infantil diz que consumia material há 10 anos
Operação Tamoio: Cães farejadores descobrem 21 Kg de skunk
Rio Brilhante

Operação Tamoio: Cães farejadores descobrem 21 Kg de skunk

29/05/2020 10:16
Operação Tamoio: Cães farejadores descobrem 21 Kg de skunk
Últimas Notícias