Dourados – MS domingo, 20 de setembro de 2020
Dourados
27º max
16º min
Edições Especiais

Prefeito Napoleão Francisco cria a Semana Inglesa

18 Dez 2015 - 11h23
Napoleão Francisco -PTB. - Crédito: Foto:  Acervo O PROGRESSONapoleão Francisco -PTB. - Crédito: Foto: Acervo O PROGRESSO
Em eleição ocorrida no dia 7 de outubro de 1962, foram eleitos, para prefeito de Dourados, o mineiro Napoleão Francisco de Souza, 40 anos, e três deputados estaduais douradenses, o médico Antônio Alves Duarte (UDN), Vivaldi de Oliveira (PTB) e Weimar Gonçalves Torres (PSD).


Em entrevista ao Jornal O PROGRESSO, à época, o prefeito empossado, no dia 31 de janeiro de 1963, disse que não desejava fazer milagres, mas pretendia realizar tudo aquilo que fosse possível para que a municipalidade pudesse acompanhar o progresso. Foi na gestão dele que ocorreu a instituição da Semana Inglesa, que estabelece que os comerciários, comerciárias e operários da indústrias sejam dispensados das funções, aos sábados, a partir das 13h30.


Napoleão trabalhou em prol da zona rural, abrindo o travessão ligando Panambi, Douradina e Bocajá à BR.
Durante o mandato (1963 a 1967), o prefeito criou o regulamento do Matadouro Municipal, a Comissão Municipal de Abastecimento e Preços (Comad). Decretou, em 1966, o feriado municipal de 8 de dezembro, em comemoração a Nossa Senhora Conceição, padroeira de Dourados. Ele também criou o serviço autônomo de água e esgoto, através da Lei 379 de 10/12/1963.


No decorrer da administração de Napoleão Francisco de Souza, Dourados se movimentava em todas as áreas.
O PROGRESSO registrou, em 1963, o lançamento da pedra fundamental do Instituto Educacional de Dourados, obra benemérita das irmãs Franciscanas e a inauguração da nova ala do Hospital Evangélico, com seis novos apartamentos, denominada Hilda Bergo Duarte.


Outro fato que marcou aquela época foi a vinda do presidente da República João Goulart, que recebeu um manifesto das mãos de Afeife Macksoud Bussuan, assinado pelas mães dos alunos do Colegial Científico do Presidente Vargas.


No documento, foi pedido a oficialização do curso que, de imediato, o presidente assinou no despacho: “Senhor Ministro da Educação – Determinou que seja oficializado o curso científico de Dourados”. No dia 20 de outubro de 1963, um mês depois da visita, o ministro autorizou o funcionamento.


Em 22 de março de 1964, foi autorizado pelo Ministério da Educação, o Ginásio Comercial Oswaldo Cruz, que precedeu o técnico em contabilidade. O curso preparava o estudante para exercer a função de auxiliar de escritório.


A difusão de novos métodos de ensino foi realizado em todo Mato Grosso, inclusive Dourados. “Maneiras mais práticas de ensinar”, destacou o secretário de Educação Hermes Rodrigues de Alcântara ao O PROGRESSO de 22 de agosto de 1964. Em 19 de julho de 1964, foi celebrada a primeira missa em português, na Igreja Matriz, pelo Bispo Diocesano Dom Carlos Schimitt e, em 26 de julho, O PROGRESSO passou a circular duas vezes na semana.

Bibliografia: Edições do O PROGRESSO de 1963 e 1964. Livro: 71 –legislativo de Dourados -1935-2006 de Luis Carlos Luciano

Deixe seu Comentário