Dourados – MS quarta, 01 de abril de 2020
Dourados
34º max
22º min
Mais Alems
Dia-a-Dia

Morre ex-presidente do TJ/MS Rui Garcia Dias

22 Jan 2011 - 09h02
CAMPO GRANDE – Morreu na madrugada de ontem em Campo Grande o desembargador Rui Garcia Dias, um dos quatro primeiros a ocupar uma cadeira no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. Ele aposentou-se em janeiro de 2005 e conquistou o respeito e a admiração dos outros desembargadores, magistrados e intelectuais. Em sua última sessão do Tribunal Pleno, emocionou-se ao se despedir e apontou o que a judicatura significa para ele.

Apesar de ter atuado muitos anos na área criminal, era um apaixonado pelo Direito Civil. Um civilista que conhecia a área como ninguém. Um ser de cultura imensurável, Rui foi autor de uma célebre frase, que marcará para sempre os caminhos do Poder Judiciário de MS: \"Eu não me arrependo de nada que fiz ao longo da minha carreira. Faria tudo outra vez, apenas com um pouco mais de ternura!\".

O presidente do TJMS, desembargador Paulo Alfeu Puccinelli, lamentou a morte do amigo e lembrou a ausência de Garcia Dias será mais que uma perda pessoal, pois perde a história do Judiciário de MS e a Academia Sul-mato-grossense de Letras. “Numa época em que o justiça brasileira era constantemente criticada pela morosidade, o desembargador Rui mostrou-se um exemplo de eficiência, deixando ao sucessor apenas 31 processos a serem conclusos. Sua cultura era ímpar, pois era um literato. Nos fará muita falta, sem dúvidas”.

Outro a lamentar a perda foi o desembargador Dorival Moreira dos Santos, atual presidente da Associação dos Magistrados de Mato Grosso do Sul (Amamsul). “MS perde uma parte de sua história, da arte, da literatura e da inteligência de um homem brilhante, que honrou com dignidade o Poder Judiciário”, disse.

Para o juiz Olivar Augusto Roberti Coneglian, que assume a presidência da Amamsul no dia 1º de fevereiro, o desembargador Rui era um homem de poucas palavras e soluções imediatas. “A história dele se confunde com a do Tribunal de Justiça. Mesmo na seriedade do Poder Judiciário, ele sabia alegrar a todos porque era uma pessoa de bem com a vida. Este é um triste momento para a justiça de MS”, lamentou.

O Desembargador Higa Nabugatsu, presidente aposentado do TJMS, definiu o magistrado como um exemplo para as novas gerações por ser um juiz célere, de grande cultura jurídica, pessoa simples e lamentou sua ausência. “Era uma pessoa especial”.

#####HOMENAGEM

Na abertura do ano judiciário de 2005, data em que a nova diretoria do Tribunal de Justiça tomou posse, Rui Garcia Dia foi homenageado com a comenda “Colar do Mérito Judiciário”, a mais alta homenagem outorgada a pessoas que tenham prestado relevantes serviços à cultura jurídica ou ao Poder Judiciário.

Rui Garcia Dias foi vice-presidente e Corregedor no Tribunal Regional Eleitoral (83/84), presidente do TJMS (85/86), exerceu o cargo de Corregedor-Geral de Justiça do Estado e membro fundador da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras. Formado em Direito pela Faculdade Nacional de Direito, da Universidade do Brasil no Rio de Janeiro, em 1958, ingressou na magistratura como Juiz de Direito da Comarca de Aparecida do Taboado, atuando também em Paranaíba, Três Lagoas e Campo Grande.

Deixe seu Comentário