Dourados – MS segunda, 21 de setembro de 2020
Dourados
26º max
15º min
Safra

Colheita do milho avança e derruba preço do grão em 24%

24 Jun 2016 - 06h00
Disponibilidade no mercado interno está ajudando derrubar  preços. - Crédito: Foto: DivulgaçãoDisponibilidade no mercado interno está ajudando derrubar preços. - Crédito: Foto: Divulgação
A colheita de milho em Mato Grosso do Sul está avançando e, com isso, o aumento na disponibilidade no mercado interno está ajudando a derrubar os preços do grão. O dado consta no último Informativo Casa Rural, elaborado pelo Departamento de Economia do Federação da Agricultura e Pecuária de MS, divulgado na quarta-feira. De acordo com as informações do Sistema Famasul, do início do mês até o dia 20 a cotação do milho caiu aproximadamente 24%, atingindo a casa dos R$ 36,56 a saca. Para o analista econômico da instituição, Luiz Gama, outra explicação para a redução é a variação cambial do período de junho. "Do começo do mês até esta semana, o dólar recuou 6,2%, atingindo R$ 3,39, considerando que o câmbio é uma das principais variáveis na formação do preço interno".


De acordo com os dados da Associação dos Produtores de Soja de MS (Aprosoja/MS), até o momento, a colheita de milho no Estado avançou 6%, ou seja, alcançando 88,6 mil hectares do 1,74 milhão de hectares previstos para a atual temporada. Apesar da queda em junho, o valor do milho contabiliza uma alta nominal de 145% em comparação a junho de 2015, período em que a commodity era vendida a R$ 17 a saca. Para Gama, essa alta também é explicada pelo dólar, entretanto no sentido inverso, considerando que a moeda americana hoje vale mais que no ano passado, trazendo competitividade ao produto no mercado internacional.


Com isso, em 2016 houve um forte crescimento nas exportações do setor. "Entre janeiro e maio deste ano, os embarques internacionais do setor atingiram 1,2 milhão de toneladas, contra 371 mil toneladas vendidas no mesmo período do ano passado, o que representa um crescimento de 229%", salienta Gama. O Informativo Casa Rural apresenta também os dados de soja que apontam para um recuo de 3,67% em relação ao início da semana, valendo atualmente R$ 83,75 a saca. Em comparação ao mesmo período do ano passado, quando a oleaginosa era negociada a R$ 56, o crescimento verificado é de 52%.

Relatório


O indicador Cepea/Esalq, no fechamento de 20 de junho, registrou preço de R$ 48,40 a saca, alta de 93,4% frente aos R$ 25,00 cotados em igual período de 2015. Considerando uma produção de 7,2 milhões de toneladas para a safra 2016, o MS possuia até 20 de junho deste ano, 54,22% ou 3,9 milhões de toneladas já negociadas.

Mercado futuro


Os negócios realizados em 20 de junho no CBOT fecharam com preços em alta quando comparados ao início do mês, permanecendo acima dos US$ 4,20 por bushel. O contrato com vencimento em julho de 2016 avançou 1,81% saindo de US$ 4,14 por bushel para U$S 4,21. O contrato comvencimento em setembro/2016 foi negociado a US$ 4,27 por bushel, alta de 2,83% frente aos US$ 4,16 negociados em 1º de junho. As cotações na BM&F apresentaram comportamento de queda no fechamento da mesma data, quando comparado ao início do mês. A maior ocorreu no contrato com vencimento em julho de 2016, queda de 2,49% com a saca de 60 quilos, cotada a R$ 45,00.

Deixe seu Comentário