Dourados – MS domingo, 12 de julho de 2020
Dourados
32º max
17º min
Dia-a-Dia

Chuva deixa 13 cidades de MS em situação crítica

09 Mar 2011 - 14h35
Enchente derruba ponte em São Gabriel do Oeste,
em Mato Grosso do Sul - Crédito: Foto: Reprodução/TV GloboEnchente derruba ponte em São Gabriel do Oeste, em Mato Grosso do Sul - Crédito: Foto: Reprodução/TV Globo
As chuvas em Mato Grosso do Sul deixam ao menos 13 cidades em situação crítica, segundo informações da Defesa Civil nesta quarta-feira (9). Cortadas por rios, as cidades têm inundações em bairros, comunidades isoladas por quedas de pontes e estradas rurais danificadas.

Mais de 60 mil pessoas foram afetadas, segundo a Defesa Civil. Há milhares de desabrigados e desalojados. Os dados estão sendo contabilizados, de acordo com os bombeiros. Dos afetados, 39 mil são do município de Paranaíba, onde as chuvas danificaram o sistema de abastecimento de água desde domingo (6). Não há registro de mortos ou feridos, segundo os Bombeiros.

Das 13 cidades, quatro planejam decretar estado de emergência, de acordo com a Defesa Civil. São elas: Aquidauana, Anastácio, Coxim e Paranaíba. As cidades de Dois Irmãos do Buriti, Rio Verde, Bandeirantes, São Gabriel do Oeste e Sidrolândia também estudam a possibilidade. As outras cidades mais atingidas são: Miranda, Corumbá, Ribas do Rio Pardo e Camapuã. O nível dos rios está bastante acima do normal na região. Em Aquidauana, o rio de mesmo nome subiu de três metros para 10,5 metros.

De acordo com a Defesa Civil, a cidade de Aquidauana tem acesso de veículos apenas por uma ponte. O acesso para a cidade de Anastácio foi restabelecido para pedestres por uma ponte construída pelo Exército. Há ainda queda de pontes em Palmeiras, distrito de Dois Irmãos do Buriti e nas regiões de Rochedo e Corguinho.

As cidades de São Gabriel do Oeste, Rio Brilhante, Maracaju e Sidrolândia têm problemas na colheita da soja por causa da chuva.

Campo Grande tem danos na captação de água e no asfalto devido ao excesso de chuvas, que ocorre desde janeiro, mas não tem registro de desabrigados e desalojados, de acordo com os Bombeiros. (G1)

Deixe seu Comentário