Dourados – MS sábado, 28 de novembro de 2020
Dourados
36º max
23º min
Imaculada-Desk
Imaculada-Mobile
Dia-a-Dia

Alunos de Computação UEMS reivindicam infraestrutura

31 Mar 2011 - 13h14
Bárbara Purkott Cezar mostra cópia da carta entregue à reitoria - Crédito: Foto : Hedio Fazan/PROGRESSOBárbara Purkott Cezar mostra cópia da carta entregue à reitoria - Crédito: Foto : Hedio Fazan/PROGRESSO
DOURADOS - Estudantes da Faculdade de Ciências da Computação, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), estão mobilizados para garantir infraestrutura mínima para o andamento do curso que já está na nona turma e foi mal avaliado pelo Ministério da Educação (MEC).

Segundo a estudante Bárbara Purkott Cezar, de 18 anos, do 3º ano, a dificuldade é grande. \"Não temos laboratórios de Arquitetura de Computador, de Eletrônica Digital\", conta.


Além disto, segundo ela, os laboratórios de Informática estão sucateados e o espaço físico é pequeno para comportar turmas regulares e as que estão em sistema de dependência.


\"A gente não consegue desenvolver os sofwares para avaliação dos professores. Tudo isto compromete o ensino aprendizagem\", diz a estudante de Bela Vista que optou pela carreira de Cientista da Computação e reside em Dourados desde 2009. Ela conta que há calouros de toda parte do Brasil, inclusive do Pará. O grupo está decepcionado e preocupado com o futuro profissional já que a formação prejudicada pela escassa infraestrutura poderá ter impactos sobre a carreira.

Eles cobraram explicações junto à coordenadoria sobre os baixos conceitos do MEC para o curso que, no geral, tirou nota 2. De acordo com o coordenador, o entrave é a infraestrutura, dos laboratórios e da biblioteca desatualizada, que levou conceito 1.

“Conforme regra da UEMS, os professores não podem indicar livros que não constam no acervo da universidade, desta forma eles são obrigados a adotar títulos ultrapassados”, comenta Bárbara que representa os colegas na negociação por melhorias para o curso de Ciências da Computação da UEMS.
Por outro lado, o corpo docente, discente e técnico administrativo foram bem avaliados pelo MEC. Num total de 5, o grupo ficou com conceito 4.

Bárbara conta que o reitor da UEMS, Gilberto José de Arruda, ouviu o grupo de alunos durante reunião do Conselho Universitário (Couni), através de um conselheiro que passou a palavra aos estudantes. O acadêmico Felipe Pereira Perez leu a carta escrita pelos alunos, denunciando o caso ao Conselho, além de um abaixo assinado firmado por 150 acadêmicos de Ciências da Computação e Sistema de Informação, que também estão sendo prejudicados pelo ‘sucateamento do curso’.


O reitor também recebeu cópia da carta e comprometeu-se a tomar providências. Agora o grupo aguarda retorno da reitoria, mas antecipa que, caso a UEMS não se manifeste, eles prometem recorrer ao Ministério Público.

Um professor enviou nota ao site Douradosagora, onde ressalta que se este problema não for resolvido de imediato, o curso poderá ser fechado para novas turmas. “O próximo a ser avaliado é o curso de Sistemas de Informação e terá a mesma nota, pois os dois cursos compartilham o mesmo espaço. Tenho esperança que esta situação será revertida”, diz.
#####UEMS
O PROGRESSO entrou em contato com a assessoria de Imprensa da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), que ficou de emitir uma nota oficial sobre o caso.

Deixe seu Comentário