Dourados – MS quarta, 28 de julho de 2021
Dourados
17º max
min
Mundo

Protesto em BH lembra 7 anos de impunidade da chacina de Unaí

29 Jan 2011 - 01h15
Balões foram soltos durante o protesto.
 - Crédito: Foto: Ícaro Moreno/SinaitBalões foram soltos durante o protesto. - Crédito: Foto: Ícaro Moreno/Sinait
Um protesto nesta sexta-feira (28), em Belo Horizonte, lembrou os sete anos das mortes de quatro funcionários do Ministério do Trabalho no episódio que ficou conhecido como chacina de Unaí, cidade da região noroeste de Minas. O movimento pediu agilidade da Justiça no julgamento dos nove acusados.

Quatro denunciados pelo Ministério Público Federal conseguiram deixar a prisão, dentre eles o prefeito reeleito de Unaí, Antério Mânica e o irmão dele, Noberto Mânica. Os dois, que são produtores rurais, são acusados de ser mandantes do crime e aguardam o julgamento em liberdade.




O protesto foi organizado pelo Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait) e pela Associação dos Auditores Fiscais do Trabalho de Minas Gerais e reuniu, segundo as entidades, cerca de 200 pessoas em frente ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região, na capital mineira. Balões brancos foram soltos como símbolo do desejo de paz e do fim da violência.

Segundo a Justiça Federal em Minas e o Ministério Público Federal, devido a recursos em instâncias superiores, o processo não retornou à 9ª Vara da Justiça em Belo Horizonte, onde foi aberto.

Os quatro funcionários do Ministério do Trabalho foram executados a tiros, no dia 28 de janeiro de 2004, enquanto se dirigiam para fiscalizar denúncia de trabalho escravo em fazendas situadas na região de Unaí. Os auditores fiscais Eratóstenes de Almeida Gonçalves, João Batista Soares Lage e Nelson José da Silva e o motorista Ailton Pereira de Oliveira caíram numa emboscada em uma estrada na zona rural.

O MPF ofereceu denúncia contra nove pessoas: Antério Mânica, Norberto Mânica, Hugo Alves Pimenta, José Alberto de Castro, Francisco Elder Pinheiro, Erinaldo de Vasconcelos Silva, Rogério Alan Rocha Rios, Willian Gomes de Miranda e Humberto Ribeiro dos Santos. Os cinco últimos estão presos na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Já há sentença de pronúncia proferida, o que determina o julgamento de todos os réus pelo Tribunal do Júri.

(G1)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mundo

OMS afirma que China deve fornecer dados sobre origens da covid-19

15/07/2021 17:00
Mundo

Suspeitos de assassinato do presidente do Haiti são mortos a tiros

08/07/2021 11:00
Mundo

Covid-19: anticorpos podem durar até 12 meses após infecção

08/07/2021 10:00
Presidente do Haiti é assassinado em casa durante a noite, diz premiê
Mundo

Presidente do Haiti é assassinado em casa durante a noite, diz premiê

07/07/2021 07:30
Presidente do Haiti é assassinado em casa durante a noite, diz premiê
Mundo

Onda de calor recorde nos EUA e Canadá mata 45 no Estado do Oregon

01/07/2021 17:30
Últimas Notícias