Dourados – MS sexta, 23 de outubro de 2020
Dourados
32º max
21º min
Influx
Mundo

'População vai entender', diz médico do PR sobre paralisação desta quinta

07 Abr 2011 - 16h15
José Macedo, presidente da AMP: \"população vai
entender\" - Crédito: Foto: Vinícius Sgarbe/G1 PRJosé Macedo, presidente da AMP: \"população vai entender\" - Crédito: Foto: Vinícius Sgarbe/G1 PR
O presidente da Associação Médica do Paraná (AMP), José Fernando Macedo, declarou na tarde desta quinta-feira (7) que a “população vai entender” a manifestação da classe contra os planos de saúde.

Cerca de 11 mil médicos do Paraná deixaram de atender através dos planos, neste dia de paralização. O número corresponde a pouco menos de 60% do total de médicos no estado.

Para Macedo, há mais de dez anos os planos de saúde reajustaram os preços em mais de 130%, mas os profissionais receberam aumento de 44%.

No ano passado, a Associação Médica Brasileira teria editado uma tabela que foi desconsiderada pelas operadoras. Nela, o preço de uma consulta deveria ser R$ 60, com possível variação de 20% para mais ou menos. Com descontos de impostos e insumos do consultório, o ganho real por consulta seria de pouco mais de R$ 5.

Em nota oficial, a AMP cita “19 anos de defasagem”, em referência a uma tabela constituída em 1992, utilizada por “90% das operadoras”.

Questionado sobre quem lucrou (com aumento de 130% e repasse de 44%), Macedo respondeu aos jornalistas: “Vocês é que têm que responder isso”. O funcionamento das cooperativas médicas foi um assunto desviado por Macedo e outros três médicos que estavam na mesa.

“A maior parte das seguradoras de saúde pertencem a bancos. E, vocês sabem, melhor que um banco [para ganhar dinheiro] , só um banco quebrado, porque o governo ajuda”, disse o 2º secretário do Conselho Federal de Medicina, Gerson Zefalon Martins. De acordo com ele, as 144 operadoras do país faturaram R$ 70 bilhões em 2010, em um esquema que envolve 175 mil médicos. “A medicina não pode ser exercida como comércio”, disse.

#####Descredenciamento
A partir do dia 23 de abril, 40 médicos de Ivaiporã, município do interior do Paraná, vão deixar de atender diretamente aos planos de saúde. Eles pediram descredenciamento das operadoras, informa o presidente José Fernando Macedo. Médicos de Campo Mourão, Londrina, Maringá, União da Vitória e Foz do Iguaçu seguiriam, em breve, pelo mesmo rumo.

“Os médicos vão continuar atendendo os pacientes. No fim da consulta, vão cobrar o preço que consideram justo. Então os pacientes pegam o recibo e pedem o reembolso aos planos”, explicou. Porém, os planos costumam reembolsar o preço da própria tabela, o que faria com que o paciente pagasse a diferença. Sobre isso Macedo disse “a população vai entender”.

“Não é greve. É um alerta às operadoras”, finalizou. (G1)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil e banco americano assinam acordo de US$ 1 bi em investimentos
Mundo

Brasil e banco americano assinam acordo de US$ 1 bi em investimentos

20/10/2020 14:51
Brasil e banco americano assinam acordo de US$ 1 bi em investimentos
Conmebol confirma calendário 2021 para Copa América, Libertadores, eliminatórias e Sul-Americana
Futebol

Conmebol confirma calendário 2021 para Copa América, Libertadores, eliminatórias e Sul-Americana

04/10/2020 13:21
Conmebol confirma calendário 2021 para Copa América, Libertadores, eliminatórias e Sul-Americana
EUA: presidente e primeira-dama têm teste positivo para covid-19
Covid-19

EUA: presidente e primeira-dama têm teste positivo para covid-19

02/10/2020 11:35
EUA: presidente e primeira-dama têm teste positivo para covid-19
Pesquisadores da UFPR descobrem mais quatro espécies de formiga
Insetos

Pesquisadores da UFPR descobrem mais quatro espécies de formiga

29/09/2020 07:38
Pesquisadores da UFPR descobrem mais quatro espécies de formiga
Brasil

Governo libera entrada de estrangeiros em todos os aeroportos do país

25/09/2020 12:01
Últimas Notícias