Dourados – MS sábado, 24 de julho de 2021
Dourados
32º max
16º min
Mundo

Executiva aceita falar ao Parlamento sobre grampos de jornais britânicos

14 Jul 2011 - 08h10
Executiva aceita falar ao Parlamento sobre grampos de jornais britânicos -
Rebekah Brooks, diretora de jornais do grupo News Com, do magnata da mídia Rupert Murdoch, aceitou comparecer na próxima terça-feira (19) diante de uma comissão do Parlamento britânico para esclarecer o escândalo dos grampos telefônicos praticados pelas publicações do grupo.

Murdoch, convocado formalmente, disse que não poderá comparecer, e que seu filho, James, diretor do braço britânico da News International, poderá, mas apenas em agosto, informou a Comissão de Cultura, Mídia e Esporte do Parlamento nesta quinta-feira (14).

Eles já haviam recusado uma primeira convocação. O comitê afirmou que vai tentar, legalmente, obrigar os dois a deporem.

Rebekah, que é amiga do premiê britânico, David Cameron, foi duramente criticada por seu papel no escândalo de escutas ilegais de autoridades que sacode o Reino Unido nas últimas semanas. Ela recusou-se a renunciar ao cargo e insiste em que não sabia dos crimes.

Outro preso

O ex-diretor executivo do tabloide 'News of the World' Neil Wallis foi detido nesta quinta em Londres pelo suposto envolvimento nas escutas telefônicas ilegais do tabloide, informou a Polícia Metropolitana de Londres (Scotland Yard).

Aos 60 anos, o ex-diretor foi interrogado em uma delegacia sob a suspeita de conspirar para interceptar as ligações.

Wallis, detido em sua casa em Londres, trabalhou como subdiretor do dominical em 2003 junto com o ex-diretor Andy Coulson antes deste ser nomeado como diretor-executivo do jornal em 2007.

O escândalo causa uma grande controvérsia no Reino Unido. Como uma de suas consequências, Rupert Murdoch se viu obrigado na véspera a retirar sua oferta pela compra total das ações do canal de TV pago 'BSkyB', do qual tem 39%.

Em 2006, revelou-se que alguns jornalistas do 'News of the World' recorriam a grampos telefônicos para interceptar comunicações de autoridades e famosos, concretamente as mensagens deixadas nas caixas de correio de voz de celulares.

Na lista das pessoas que tiveram os celulares interceptados estão a atriz Sienna Miller; o ex-vice-primeiro-ministro John Prescott e o príncipe William.

Na semana passada, a crise se ampliou, com a divulgação de que, entre os telefones grampeados, estava o de uma menina assassinada e os de familiares de vítimas de terrorismo e de soldados britânicos mortos em combate.

O escândalo levou ao fechamento do "New of the World" no fim de semana passado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mundo

OMS afirma que China deve fornecer dados sobre origens da covid-19

15/07/2021 17:00
Mundo

Suspeitos de assassinato do presidente do Haiti são mortos a tiros

08/07/2021 11:00
Mundo

Covid-19: anticorpos podem durar até 12 meses após infecção

08/07/2021 10:00
Presidente do Haiti é assassinado em casa durante a noite, diz premiê
Mundo

Presidente do Haiti é assassinado em casa durante a noite, diz premiê

07/07/2021 07:30
Presidente do Haiti é assassinado em casa durante a noite, diz premiê
Mundo

Onda de calor recorde nos EUA e Canadá mata 45 no Estado do Oregon

01/07/2021 17:30
Últimas Notícias