Dourados – MS sábado, 26 de setembro de 2020
Dourados
38º max
21º min
Meio Ambiente

MS sedia evento internacional sobre emissão de carbono

10 Mai 2016 - 13h49
II Simpósio Internacional sobre Gases de Efeito Estufa na Agropecuária - Crédito: Foto: João Carlos CastroII Simpósio Internacional sobre Gases de Efeito Estufa na Agropecuária - Crédito: Foto: João Carlos Castro
O Programa Estado Carbono Neutro, uma iniciativa do governo estadual e da Embrapa, coloca Mato Grosso do Sul na vanguarda da sustentabilidade. A afirmação é do chefe da Embrapa Gado de Corte, Cleber Oliveira, durante o lançamento do II Simpósio Internacional sobre Gases de Efeito Estufa na Agropecuária (II SIGEE), realizado na manhã desta terça-feira (10), na Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul).

O II SIGEE tem apoio do Governo do Estado e será realizado de 7 a 9 de junho, no Centro de Convenções Rugens Gil de Camillo, com objetivo de atualizar os conhecimentos sobre a dinâmica dos gases de efeito Estufa. Com 19 palestras, sendo 8 palestrantes internacionais, o evento servirá de palco para a apresentação dos resultados mais recentes das pesquisas sobre o tema realizadas no Brasil.

Mato Grosso do Sul é a primeira unidade da federação a apresentar uma proposta de mitigação total do gás, afirmou Oliveira no lançamento. "Vivemos em um ambiente que não tem mais espaço para perdas ambientais", completou o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica (Segov), Eduardo Riedel, representando o governador Reinaldo Azambuja no evento.

"O governo do Estado planejou sua gestão voltada para o meio ambiente. E o Programa Carbono Neutro é uma das formas de concretizar essa proposição", destacou Riedel, citando entre outras iniciativas o programa Terra Boa, que vai recuperar cerca de dois milhões de áreas degradadas e também contribuir para evidenciar o Estado como exemplo em sustentabilidade, tornando-o ambiente ideal para sediar o evento.

O Programa Estado Carbono Neutro terá participação da WRI Brasil, instituição internacional que trabalha com poderes públicos e empresas privadas na formulação de políticas e ações de baixo carbono. Segundo o chefe da Embrapa, pelo seu perfil produtivo, Mato Grosso do Sul mitiga 45 milhões de toneladas de Carbono por ano, o equivalente à produção de São Paulo. "Depois de 25 anos de pesquisa, chegamos à carne com carbono neutro, um novo conceito para a proteína. Chegamos a indicadores com os quais podemos afirmar para o mundo que é possível produzir carne sustentável", destacou, fazendo referência ao bioma Pantanal, o mais preservado do Brasil, com cerca de 85% de sua cobertura vegetal nativa, em parte graças às práticas de manejo da pecuária pantaneira.

O presidente da Famasul, Maurício Saito, citou a consolidação da consciência ambiental e a adoção de novas tecnologias voltadas para a preservação como efeitos esperados na realiação do Simpósio. "Não podemos ter medo dos resultados de um evento como esse", disse, fazendo referência à necessidade cada vez mais premente de integrar produção e preservação, diante da crescente demanda do mercado mundial pela proteína animal.

Em seu pronunciamento, o secretário Eduardo Riedel adiantou que o Governo do Estado elabora uma política de incentivos à avicultura de corte, a qual deverá ser anunciada nos próximos dias. E comemorou o que classificou como ‘encaminhamento’ para o fim da Zona de Alta Vigilância (ZAV), política que impõe uma série de restrições aos pecuaristas da fronteira sul-mato-grossense.

Durante o lançamento, o presidente da Associação Sul-mato-grossense de Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas (Reflore), Moacir Reis, fez o lançamento da 4ª Edição da Campanha de Combate e Prevenção a Incêndios. "Mato Grosso do Sul perde de 200 a 500 hectares por ano com queimadas e cada hectare requer investimento de R$ 7 mil para plantio de floresta", comparou o dirigente. Também participaram do evento o diretor da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia de MS (Fundect), Marcelo Turini, e o Superintendente de Ciência, Tecnologia e Inovação da Secretaria de Cultura, Turismo Empreendedorismo e Inovação (Sectei), Renato Roscoe.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Ar seco se espalha e calorão volta, com baixa umidade do ar
Dourados

Ar seco se espalha e calorão volta, com baixa umidade do ar

26/09/2020 07:37
Ar seco se espalha e calorão volta, com baixa umidade do ar
Com provas suficientes, PF poderá indiciar fazendeiros por queimadas no Pantanal
Queimadas

Com provas suficientes, PF poderá indiciar fazendeiros por queimadas no Pantanal

25/09/2020 15:43
Com provas suficientes, PF poderá indiciar fazendeiros por queimadas no Pantanal
Mais de 50 homens vão reforçar trabalhos de combate aos focos de calor no Amolar
Queimadas

Mais de 50 homens vão reforçar trabalhos de combate aos focos de calor no Amolar

25/09/2020 15:31
Mais de 50 homens vão reforçar trabalhos de combate aos focos de calor no Amolar
Em dez dias, 17 animais silvestres receberam atendimento da equipe do CRAS da Capital
Queimadas

Em dez dias, 17 animais silvestres receberam atendimento da equipe do CRAS da Capital

24/09/2020 11:01
Em dez dias, 17 animais silvestres receberam atendimento da equipe do CRAS da Capital
Capivara é resgatada na região central de Dourados
Resgate

Capivara é resgatada na região central de Dourados

24/09/2020 10:33
Capivara é resgatada na região central de Dourados
Últimas Notícias