Dourados – MS quinta, 13 de maio de 2021
Dourados
26º max
14º min
Bebês e Crianças

Avenged Sevenfold faz show em São Paulo em clima de 'beatlemania'

04 Abr 2011 - 14h20
A cantora Miley Cyrus, durante Kids Choice Awards,
no sábado - Crédito: Foto: Daigo Oliva/G1A cantora Miley Cyrus, durante Kids Choice Awards, no sábado - Crédito: Foto: Daigo Oliva/G1
Seis meses depois de ser uma das surpresas do SWU, o Avenged Sevenfold comprovou neste domingo (3) que a euforia provocada pela banda de hard rock e metal no festival de Itu do ano passado não foi à toa: cerca de 7 mil se espremeram no Credicard Hall (SP) para assistir a uma enérgica apresentação liderada por M. Shadows.

De camisa xadrez, óculos-escuros aviador e trejeitos de Axl Rose, o vocalista entrou com a banda no palco às 20h30, logo após a curiosa introdução de “The sound of silence”, da dupla folk Simon & Garfunkel.

A calmaria não durou nem dois minutos. A partir dos primeiros acordes de “Nightmare”, os californianos dispararam uma sequência de faixas aceleradas que provocaram uma catarse nos fãs e uma cena que se repetiu com frequência ao longo do show: a de pessoas desmaiadas sendo carregadas ou transportadas em cadeiras de rodas em direção à enfermaria. “Nunca vi isso, foram mais de 40 até agora”, contou um dos enfermeiros ao G1, logo após uma hora de apresentação.

Vale lembrar que o mesmo “fenômeno” chamou a atenção no SWU: o empurra-empurra entre os fãs (juvenis, em sua maioria) do Avenged foi assustador e quem ficou perto da grade de metal se sentiu sufocado, equação repetida neste domingo.

O número de pessoas na pista do Credicard Hall era tamanho que a porta do lobby ficou aberta, com gente assistindo a apresentação no corredor e do lado de fora. A pista premium, por outro lado, estava praticamente vazia nos flancos e o único contratempo do fã que pagou mais caro para estar ali foi o de sentir os pingos d’água da goteira do teto.

#####Prazer, Arin Ilejay
O show paulistano do Avenged Sevenfold foi curto, com apenas 12 músicas – muitas delas do álbum “Nigthmare”, de 2010. “Welcome to my family”, a terceira da noite, foi umas mais cantadas pelo público, que pulou e balançou os braços durante 90 minutos ininterruptos.

“Não sei nem o que dizer, eu amo demais essas pessoas”, comentou Shadows logo no começo, antes de cantar “Critical acclaim”.

Nesta turnê, que ainda inclui um show em Curitiba (PR) e outro em Porto Alegre (RS), o Avenged Sevenfold tem o jovem Arin Ilejay, de 22 anos, no comando das baquetas. Praticamente invisível atrás da bateria de dois bumbos, o músico esbanjou estilo e mostrou que está à altura de Mike Portnoy (ex-Dream Theater), que acompanhou o grupo no SWU e entrou no lugar de James “The Rev” Sullivan, morto em 2009.

A homenagem ao ex-colega foi o momento mais emocionante da noite, por sinal. Em “So far away”, um pano de fundo exibe uma ilustração dos integrantes originais abraçados. “Vamos levantar os braços e celebrar a vida daquele filho da p... que não está mais com nós hoje”, pediu Shadows. Depois, o público gritou “Jimmy”.

Durante uma hora, a banda enfileirou dez canções cantadas de cor e salteado pelo público, cuja voz abafava qualquer som vindo do palco. No bis, de 30 minutos, o Avenged Sevenfold tocou “Fiction” e “Save me”. Ainda houve pedidos incessantes por “Little piece of heaven”, mas a banda preferiu ignorar e fazer um agrado final, distribuindo várias palhetas e lembrancinhas como copos d’água vazios aos fãs.

“São Paulo, você é o nosso segundo lar. Vamos voltar sempre que vocês pedirem”, agradeceu Shadows.

Avenged Sevenfold no Brasil

#####Curitiba

Quando: 6 de abril

Onde: Curitiba Master Hall

Ingressos: R$ 204 (pista), R$ 104 (pista promocional com doação de 1 kg de alimento)

#####Porto Alegre

Quando: 7 de abril, às 21h

Onde: Casa do Gaúcho

Ingressos: R$ 80 (1º lote pista), R$ 90 (2º lote pista), R$ 100 (3º lote pista), R$ 160 (mezanino)


(G1)

Deixe seu Comentário