Dourados – MS segunda, 04 de julho de 2022
Dourados
32º max
15º min
Política

Marquinhos lidera, André cai; Rose e Riedel sobem e embolam disputa pelo 2º lugar, diz IBP

22 Jun 2022 - 14h03
Marquinhos lidera, André cai; Rose e Riedel sobem e embolam disputa pelo 2º lugar, diz IBP
 -

O ex-prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), assumiu a liderança na disputa do Governo de Mato Grosso do Sul. O ex-governador André Puccinelli (MDB) caiu, enquanto a deputada federal Rose Modesto (União Brasil) e o ex-secretário estadual de Infraestrutura, Eduardo Riedel (PSDB), subiram e embolaram a disputa pelo 2º lugar. Os números são da nova pesquisa do IBP (Instituto Brasileiro de Pesquisa), divulgada nesta quarta-feira (22) pelo O Jacaré.

Conforme o levantamento, o deputado estadual Capitão Contar (PRTB) perdeu fôlego e oscilou para baixo, dentro da margem de erro, enquanto a advogada Giselle Marques (PT) e a professora Luhhara Arguelho (PSOL) permaneceram estáveis.

Realizada com 2.500 eleitores entre os dias 17 e 22 deste mês, a pesquisa do IBP tem nível de confiança de 95% e margem de erro de 2% para mais ou menos. Na Justiça Eleitoral, a sondagem foi registrada com os números MS-06086/2022 e BR-02473/2022.

O levantamento mostra uma disputa equilibrada por duas vagas no segundo turno entre Marquinhos, André, Rose e Riedel e vai incendiar a disputa eleitoral faltando pouco mais de três meses para o primeiro turno.

Na estimulada, no primeiro cenário, Marquinhos tem 20,3%, seguido por André com 19,5%, Rose com 16,40%, Riedel com 16,1%, Capitão Contar com 6,2%, Giselle com 1,3% e Luhhara com 0,40%. Os brancos, nulos e indecisos somam 20%.

Em relação ao levantamento de maio, Marquinhos oscilou para baixo, de 21,60% para 20,3%, mas assumiu a liderança. O ex-governador do MDB caiu de 22,4% para 19,5%. A pesquisa confirma os números da Real Time Big Data, divulgada pela TV Record.

Puccinelli passou a ser ameado pela candidata do União Brasil e pelo tucano. Rose subiu de 14,2% para 16,4%, enquanto o ex-secretário de Infraestrutura variou de 10,2% para 16,1%, a maior variação entre os candidatos neste levantamento.

Além de disputar o segundo lugar com o ex-governador, o candidato de Reinaldo Azambuja se distanciou do candidato bolsonarista. Capitão Contar oscilou de 8,2% para 6,2%, conforme o IBP. Giselle ficou praticamente estável, já que variou de 1,60% para 1,30%.

No segundo cenário estimulado, Marquinhos também assumiu a liderança, com 21%, seguido por André com 20,3%, por Rose com 17,7% e Eduardo Riedel com 17,3%. Os candidatos do MDB, União Brasil e PSDB estão empatados tecnicamente. O ex-governador também empata com o ex-prefeito da Capital em primeiro. Brancos, nulos e indecisos seriam de 23,7%.

Em relação ao mês de maio, Marquinhos oscilou de 23,8% para 21%, enquanto André variou de 24,6% para 20,3%. Rose ficou estável, já que foi de 17% para 17,7%. Riedel subiu de 13,4% para 17%.

Marquinhos assumiu a dianteira também na espontânea. O candidato do PSD sub iu de 13,40% para 16%, enquanto André variou de 14,2% para 15,5%> Rose subiu de 9,2% para 11,6%. O candidato do PSDB variou de 7,8% para 11,2%. Giselle variou de 0,8% para 1%.

O ex-governador André Puccinelli lidera a taxa de rejeição, mas o índice ficou estável em 25,80%. Já Marquinhos viu o índice cair de 16,2% para 15,6%. A rejeição de Contar é de 12,30%, seguido por Luhhara com 8,5%, Giselle com 6,40%, Rose com 4,2% e Riedel com 4,1%.

O ex-prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), assumiu a liderança na disputa do Governo de Mato Grosso do Sul. O ex-governador André Puccinelli (MDB) caiu, enquanto a deputada federal Rose Modesto (União Brasil) e o ex-secretário estadual de Infraestrutura, Eduardo Riedel (PSDB), subiram e embolaram a disputa pelo 2º lugar. Os números são da nova pesquisa do IBP (Instituto Brasileiro de Pesquisa), divulgada nesta quarta-feira (22) pelo O Jacaré.

Conforme o levantamento, o deputado estadual Capitão Contar (PRTB0 perdeu fôlego e oscilou para baixo, dentro da margem de erro, enquanto a advogada Giselle Marques (PT) e a professora Luhhara Arguelho (PSOL) permaneceram estáveis.

Realizada com 2.500 eleitores entre os dias 17 e 22 deste mês, a pesquisa do IBP tem nível de confiança de 95% e margem de erro de 2% para mais ou menos. Na Justiça Eleitoral, a sondagem foi registrada com os números MS-06086/2022 e BR-02473/2022.

O levantamento mostra uma disputa equilibrada por duas vagas no segundo turno entre Marquinhos, André, Rose e Riedel e vai incendiar a disputa eleitoral faltando pouco mais de três meses para o primeiro turno.

Na estimulada, no primeiro cenário, Marquinhos tem 20,3%, seguido por André com 19,5%, Rose com 16,40%, Riedel com 16,1%, Capitão Contar com 6,2%, Giselle com 1,3% e Luhhara com 0,40%. Os brancos, nulos e indecisos somam 20%.

Em relação ao levantamento de maio, Marquinhos oscilou para baixo, de 21,60% para 20,3%, mas assumiu a liderança. O ex-governador do MDB caiu de 22,4% para 19,5%. A pesquisa confirma os números da Real Time Big Data, divulgada pela TV Record.

Puccinelli passou a ser ameado pela candidata do União Brasil e pelo tucano. Rose subiu de 14,2% para 16,4%, enquanto o ex-secretário de Infraestrutura variou de 10,2% para 16,1%, a maior variação entre os candidatos neste levantamento.

Além de disputar o segundo lugar com o ex-governador, o candidato de Reinaldo Azambuja se distanciou do candidato bolsonarista. Capitão Contar oscilou de 8,2% para 6,2%, conforme o IBP. Giselle ficou praticamente estável, já que variou de 1,60% para 1,30%.No segundo cenário estimulado, Marquinhos também assumiu a liderança, com 21%, seguido por André com 20,3%, por Rose com 17,7% e Eduardo Riedel com 17,3%. Os candidatos do MDB, União Brasil e PSDB estão empatados tecnicamente. O ex-governador também empata com o ex-prefeito da Capital em primeiro. Brancos, nulos e indecisos seriam de 23,7%.

Em relação ao mês de maio, Marquinhos oscilou de 23,8% para 21%, enquanto André variou de 24,6% para 20,3%. Rose ficou estável, já que foi de 17% para 17,7%. Riedel subiu de 13,4% para 17%.

Marquinhos assumiu a dianteira também na espontânea. O candidato do PSD sub iu de 13,40% para 16%, enquanto André variou de 14,2% para 15,5%> Rose subiu de 9,2% para 11,6%. O candidato do PSDB variou de 7,8% para 11,2%. Giselle variou de 0,8% para 1%.

O ex-governador André Puccinelli lidera a taxa de rejeição, mas o índice ficou estável em 25,80%. Já Marquinhos viu o índice cair de 16,2% para 15,6%. A rejeição de Contar é de 12,30%, seguido por Luhhara com 8,5%, Giselle com 6,40%, Rose com 4,2% e Riedel com 4,1%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Eleições 2022: restrições para agentes públicos começam a valer hoje
Política

Eleições 2022: restrições para agentes públicos começam a valer hoje

02/07/2022 15:15
Eleições 2022: restrições para agentes públicos começam a valer hoje
TSE: doações por Pix para campanhas serão apenas com CPF como chave
Eleições 2022

TSE: doações por Pix para campanhas serão apenas com CPF como chave

01/07/2022 21:45
TSE: doações por Pix para campanhas serão apenas com CPF como chave
Presidente do TSE reafirma segurança do sistema de votação
Política

Presidente do TSE reafirma segurança do sistema de votação

01/07/2022 19:45
Presidente do TSE reafirma segurança do sistema de votação
Informe C

O nome está carimbado. Só falta bater o martelo

01/07/2022 15:00
Em Campo Grande, Riedel e Bolsonaro andam juntos em carreata
Política

Em Campo Grande, Riedel e Bolsonaro andam juntos em carreata

01/07/2022 14:00
Em Campo Grande, Riedel e Bolsonaro andam juntos em carreata
Últimas Notícias