Dourados – MS terça, 27 de outubro de 2020
Dourados
28º max
19º min
Influx
Política

Justiça bloqueia bens de envolvidos na Operação Owari

05 Abr 2011 - 00h12
Operação Owari foi desencadeada em julho de 2009
Foto: div. - Operação Owari foi desencadeada em julho de 2009 Foto: div. -
DOURADOS - O juiz da 2ª Vara Cível de Dourados, José Carlos de Souza, bloqueou os bens de 19 réus entre políticos e empresários, denunciados pelo Ministério Público na Operação Owari, desencadeada em 2009 pela Polícia Federal de Dourados.

Segundo decisão do juiz, tiveram os bens bloqueados: José Laerte Cecílio Tetila, Ari Valdecir Artuzi, Dorval Martins Pagnocelli, Hospital e Maternidade Santa Rosa, Wilson Cesar Medeiros Alves, Roosewelt Granja, Sandro Petry Laurea-no Leme, Rodrigo Bosquetti Medeiros, Evandro Silva Rosa, André Luiz Freitas Tetila, João Paulo Barcello Esteves, Ana Cláudia Barzotto, Ayrton Romero de Castro, Direcional Consultoria em Projetos e Pesquisa Ltda e membros da família Uemura.

A Operação Owari (ponto final em japonês) foi a primeira a identificar indícios de irregularidades na administração de Dourados. O principal ponto da denúncia foi o suposto arrendamento irregular do Hospital Santa Rosa. A ação come-çou a correr na Justiça no dia 16 de novembro de 2009.

De acordo com decisão, o juiz solicitou no último dia 1º, a transferência para a Conta Única do Poder Judiciário o total de R$ 7.112,90 sendo que os valores inferiores a R$ 100 foram desbloqueados conforme orientação da Corregedoria Geral. O juiz também solicita o bloqueio da transferência dos veículos de propriedade de sete dos 19 réus.

De acordo com denúncia do MP, a suposta quadrilha se dedicava à prática de crimes de fraudes de licitação, cárcere privado, exercício arbitrário das próprias razões, exercício ilegal de atividade financeira, agiotagem, crimes contra a or-dem econômica, advocagia administrativa, tráfico de influencia, crime contra o sistema financeiro, corrupção ativa e crime contra a ordem tributária.

O grupo também é acusado de fraudar licitações públicas para a exploração de prestação de serviços em várias áreas, como sa-úde e a atividade funerária. Entre os presos estão agentes políticos, servidores públicos, empresários e profissio-nais liberais. A operação cumpriu 41 mandados de prisão, a maioria em Dourados.

A Polícia Federal informou em 2009 que a suposta quadrilha causou um prejuízo de aproximadamente R$ 20 milhões aos cofres públicos e atuava há mais de 40 anos.

Os autos do processo estão no Tribunal de Justiça sob o número 00157926620098120002.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Proposta proíbe multa por quebra de fidelidade com operadora em caso de pandemia
política

Proposta proíbe multa por quebra de fidelidade com operadora em caso de pandemia

24/10/2020 15:07
Proposta proíbe multa por quebra de fidelidade com operadora em caso de pandemia
Executivo gastou 77,7% do orçamento previsto para combate a pandemia
política

Executivo gastou 77,7% do orçamento previsto para combate a pandemia

24/10/2020 10:39
Executivo gastou 77,7% do orçamento previsto para combate a pandemia
Maia defende diálogo para autorizar vacina do Instituto Butantan
política

Maia defende diálogo para autorizar vacina do Instituto Butantan

24/10/2020 10:01
Maia defende diálogo para autorizar vacina do Instituto Butantan
Projeto institui Semana Estadual do "Lixo Zero" em MS
Meio ambiente

Projeto institui Semana Estadual do "Lixo Zero" em MS

23/10/2020 07:32
Projeto institui Semana Estadual do "Lixo Zero" em MS
Plenário do Senado aprova indicação de Kassio Nunes Marques para o STF
Desembargador

Plenário do Senado aprova indicação de Kassio Nunes Marques para o STF

22/10/2020 10:00
Plenário do Senado aprova indicação de Kassio Nunes Marques para o STF
Últimas Notícias