Dourados – MS sábado, 11 de julho de 2020
Dourados
31º max
14º min
Editorial

Juventude Alcoolizada

28 Abr 2011 - 07h00
28.04.2011 - Juventude Alcoolizada

A baderna noturna instalada por estudantes que residem no Jardim Universitário e que motivou a Polícia Militar a dar voz de prisão à 23 acadêmicos na madrugada de ontem mostra que esse problema está fora de controle em Dourados. A falta de acompanhamento dos pais, tanto daqueles que enviam seus filhos para estudar no município, quanto dos que residem na cidade, está virando caso de polícia em virtude da baderna, da perturbação do sossego e do consumo exagerado de bebidas alcoólicas por jovens de todas as idades.

Na ação da Polícia Militar que culminou com a detenção desses estudantes, foram apreendidos caixas térmicas, litros de uísque, vodka e cerveja, além de seis veículos que foram levados para o pátio do Detran. Parabéns aos policiais que souberam dar um basta na falta de respeito desses estudantes com o direito que os vizinhos têm de gozar de uma noite de sono para continuar trabalhando no dia seguinte e, oxalá, essa atitu-de da PM possa a ser constante na noite douradense, fator que, certamente, devolverá a tranquilidade à cidade.

O episódio ocorrido na madrugada de ontem é apenas um reflexo da triste realidade em que os jovens têm bebido compulsivamente e apresentado transtornos na conduta social. O Levantamento Nacional sobre os Padrões de Consumo de Álcool na População Brasileira, realizado pela Secretaria Nacional Antidrogas (Senad), aponta que 40% da população com idade entre 18 e 34 anos já se excederam uma ou várias vezes com a bebida alcoólica, criando situações de alto risco tanto para eles quanto para terceiros.

O mais grave é que o mesmo estudo revelou que os jovens estão tendo contato cada vez mais cedo com o álcool, a ponto de crianças com 11 ou 12 anos de idade já terem sido iniciadas na vida do alcoolismo. Dados do Programa de Prevenção de Álcool e outras Drogas do Hospital Israelita Albert Einstein revelam que os adolescentes participam de forma cada vez mais expressiva da estatística do alcoolismo no país e já correspondem a 10% da parcela de brasileiros que bebem muito, somando um total de 3,5 milhões de jovens menores de 18 anos nessa situação.

Para a equipe médica do Hospital Israelita Albert Einstein esse número é resultado da tendência de aumento de con-sumo nessa faixa etária já verificado por estudos anteriores, entre eles o Centro Brasileiro de Informação sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid), que apontou uma tragédia: a ingestão de bebidas alcoólicas aumentou 30% entre jovens de 12 a 17 anos e 25% entre jovens de 18 a 24 anos nos últimos cinco anos.

A permissividade dos pais diante do álcool enquanto concentram suas preocupações nas drogas e a extensão do costume de beber no fim de semana tendem a ser algumas das razões de uma realidade que pode acabar com a saúde de grande parte dos jovens. Hoje, quase 13% dos estudantes bra-sileiros com idade entre 11 e 13 anos já usaram algum tipo de droga ilícita pelo menos uma vez, e 7% experimentaram cigarros, mas a droga que ainda faz mais sucesso entre os jovens brasileiros continua a ser o álcool, talvez pela facilidade de acesso e, sobretudo, pela falta de controle dos pais ou responsáveis.

No último levantamento nacional sobre consumo de drogas entre estudantes, a Secretaria Nacional Antidrogas ouviu 48.155 jovens e descobriu que 41% deles já tinham usado bebidas alcoólicas entre os 10 e os 12 anos. Aos 18 anos, 81% deles já haviam bebido. Ademais, o álcool aparece como a droga mais consumida entre os jovens e foi considerado pelos pesquisadores um grande problema de saúde pública, uma vez que 11,7% dos entrevistados confessaram que fazem uso frequente de bebidas alcoólicas, a ponto de beberem até cair pelo menos seis vezes por mês.

Em outro estudo, a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) apurou que a maioria dos estudantes começa a fumar por influência dos pais, dos amigos ou na balada e que o mesmo ocorre com a bebida alcoólica, quando esses jovens acabam seduzidos por colegas que os iniciam na vida do alcoolismo, que, em tese, é o primeiro passo para mergulhar no mundo das drogas mais pesa-das. Por tudo isso, a iniciativa da Polícia Militar de deter o grupo que estava entregue ao álcool é digna de aplausos e deve ser uma constante na noite douradense.


Deixe seu Comentário