Dourados – MS domingo, 20 de setembro de 2020
Dourados
27º max
16º min
Saúde

Julho não teve casos positivos de dengue em Dourados, mas monitoramento continua

05 Ago 2016 - 16h25
O trabalho dos agentes de endemias continua nos bairros com visita domiciliares, além dos mutirões nos bairros para evitar a proliferação do mosquito assim que entrar o verão. - Crédito: Foto: A. Frota/ArquivoO trabalho dos agentes de endemias continua nos bairros com visita domiciliares, além dos mutirões nos bairros para evitar a proliferação do mosquito assim que entrar o verão. - Crédito: Foto: A. Frota/Arquivo
Dourados teve este ano, de janeiro a julho, 4.967 notificações de dengue, sendo que 3.035 foram de casos confirmados. O último mês em que teve confirmação de dengue foi em junho, com nove. No mês de julho ocorreram sete notificações, não nenhum caso confirmação. Os dados são da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde.

A coordenadora do CCZ, a bióloga Rosana Alexandra da Silva, explica que a entrada de frentes frias na cidade foi um dos principais motivos da queda no número de casos de dengue, já que há redução da proliferação do mosquito. O trabalho de campo dos agentes de endemias do CCZ e mutirões nos bairros, que ajudaram a conscientizar a população para manter limpo seus quintais. Outro fator significativo foi o rigor da Lei da Dengue, com multas pesadas para o morador que deixar proliferar o mosquito transmissor.

De acordo Rosana, o trabalho continua nos bairros com visita domiciliares dos agentes de endemias, além dos mutirões nos bairros para evitar a proliferação do Aedes aegypti com a chegada do calor e temporada de chuva.

"Embora o número de casos tenham diminuído bastante por causa do frio, a população deve continuar mantendo a limpeza, pois com a entrada do verão e chuva, os ovos do mosquito começam a eclodir e a proliferar, portanto, todo cuidado é pouco", alerta a coordenadora do CCZ.

Baseados nas notificações de dengue do município, é realizando a inspeção do imóvel, orientação aos moradores, eliminação e tratamento (com larvicida) dos focos e possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, febre chikungunya e zika.

No sábado, dia 6, será realizado mutirão das 7h às 13h, no Parque das Nações 1º plano, com encontro na Escola Estadual Tancredo Neves.

Deixe seu Comentário