Dourados – MS domingo, 20 de setembro de 2020
Dourados
27º max
16º min
Invasão

Dioclécio tem a 12ª tentativa de invasão e moradores recorrem a justiça

28 Mar 2016 - 19h58
Contemplados com as 450 moradias do Dioclécio Artuzi estão preocupados com as constantes tentativas de invasões que estão ocorrendo no local. Na última quinta-feira foi a 12ª tentativa. De acordo com informações de futuros moradores, um grupo chegou num veículo Fiat Uno, e tentou entrar no local, sendo barrado por seguranças. Segundo os futuros mutuários, eles prometeram voltar em maior quantidade. A placa do veículo foi anotada e será repassada as autoridades. Temendo novas invasões, os contemplados estão se revezando para "madrugar" no local e impedir a ação de sem-tetos. Além de considerarem insuficiente o número de guardas, os futuros moradores denunciaram que a Caixa não renovará o contrato com profissionais particulares e que a partir desta terça-feira a segurança será feita a cargo da empresa que está concluindo as obras de construção e reforma das casas. Os sorteados também já coletaram mais de 400 assinaturas para acionar a Justiça via Defensoria Pública.

A dona de casa Lizandra Monteseli é uma das sorteadas no "Programa Minha Casa, Minha Vida" no Dioclécio Artuzi. Ela conta que há 15 dias, dezenas de sem-teto, que foram expulsos de área na região do Novo Horizonte e Altos do Indaiá, tentaram entrar no residencial. "Não estamos tendo mais sossego. A invasão que aconteceu em abril do ano passado deixou reflexos até hoje. As casas foram danificadas, a empreiteira alegou falta de recursos para a reforma e até agora não recebemos nossas casas. Agora, depois de meses, quando a empreiteira resolve concluir as obras, junto com a Caixa Econômica, nós ficamos vulneráveis a invasores. Se isso ocorrer, é mais atraso, mais espera e mais crise que nós futuros moradores teremos que enfrentar. Sem contar com um possível confronto entre os contemplados e os invasores, que pode ocorrer a qualquer momento", lamenta.

CAIXA
O superintendente da Caixa Econômica Federal Evandro de Lima, disse recentemente ao O PROGRESSO que ao tomar conhecimento da ameaça de invasão, acionou a empresa que está reforçando o quadro de seguranças. "Imediatamente destinamos guardas patrimoniais da Caixa para reforçar o efetivo e pedimos reforço do governo do Estado que garantiu apoio. Estamos vigilantes 24h e seremos avisados sobre qualquer tentativa de invasão para que possamos agir no sentido de impedir. Os futuros moradores podem ficar tranquilos", destacou o superintendente ao O PROGRESSO.

PRAZO DE ENTREGA
A Caixa Econômica Federal assumiu o compromisso de entregar as casas do Conjunto Habitacional Dioclécio Artuzi II, em construção em Dourados, no final de Junho. A garantia foi dada ao grupo de futuros moradores durante uma reunião na agência de Dourados, no último dia 11. Ao todo são 450 famílias contempladas há mais de dois anos.

Deixe seu Comentário