Dourados – MS sexta, 07 de agosto de 2020
Segurança e Saúde JBS
Dia-a-Dia

Chuva desabriga: Em MS, 67 mil pessoas deixaram suas casas

14 Jan 2016 - 07h00
Vinte e quatro cidades do Estado já decretaram situação de emergência por causa das chuvas. - Crédito: Foto: DivulgaçãoVinte e quatro cidades do Estado já decretaram situação de emergência por causa das chuvas. - Crédito: Foto: Divulgação
Em Mato Grosso do Sul, pelo menos 67 mil pessoas foram obrigadas a deixar as casas alagadas por causa das chuvas, segundo informações do portal G1/MS. Vinte e quatro cidades do Estado já decretaram situação de emergência, segundo a Defesa Civil Estadual.


Um dos municípios mais atingidos é Taquarussu, onde 200 famílias da zona rural estão isoladas porque as estradas estão intransitáveis. Ainda ontem, a Defesa Civil deveria mandar cestas básicas e água potável para os moradores da cidade.


Em Aquidauana, 23 famílias estão abrigadas em escolas e casas de parentes porque o Rio Aquidauana subiu quase seis metros nos últimos dias e provocou alagamentos.


Só no município de Bela Vista, mais de 70 famílias ficaram desabrigadas depois que o nível do rio Apa subir e provocar enchentes em três bairros da cidade. Além do município, existem desabrigados e desalojados em Amambai, Aral Moreira, Caarapó, Coronel Sapucaia, Eldorado, Iquatemi, Itaquiraí, Japorã, Juti, Tacuru, Naviraí, Novo Horizonte do Sul, Paranhos, Sete Quedas, Bela Vista, Guia Lopes da Laguna e Taquarussú.


A Defesa Civil informou que já são 24 pontes danificadas no Estado. Em Tacurú , Naviraí, Coronel Sapucaia, Amambai, Sete Quedas, Paranhos, Juti, Novo Horizonte do Sul, Aral Moreira e Caarapó. Em relação às rodovias estaduais, quatro estão danificadas em Naviraí, três em Iguatemi, três em Aral Moreira e uma em Sete Quedas. Em Aral Moreira, 13 rodovias municipais foram estragadas.

Sul do Estado


No Sul do Estado, Caarapó também é castigada pelas chuvas. Desta vez, outra ponte foi destruída, a nona desde novembro do ano passado.


De acordo com o prefeito Mário Valério (PR), trata-se de uma passagem sobre o córrego Jaguá, na região da fazenda Perpétuo Socorro. Ali havia uma tubulação de aço galvanizado de 2,8 metros de diâmetro por 20 de comprimento, cujo aterro não suportou a ação das chuvas da semana passada e se rompeu. O dirigente disse que o prejuízo foi de pelo menos R$ 50 mil, valor que deverá ser investido na recuperação da passagem.
“A nossa tentativa será iniciar a reconstrução da passagem ainda neste mês, de modo a permitir o tráfego no local, tendo em vista a proximidade da colheita da lavoura”, informou o prefeito Mário Valério.


Em Deodápolis, segundo o site Fátima News, já choveu desde o dia 1º deste ano 280mm, destes 150mm somente neste ultimo final de semana. Na 18ª linha, uma represa estourou. As forças das águas do Rio Eretã ocasionaram a queda de duas pontes. Uma na 16ª linha nascente no KM 01 e outra na 17ª linha nascente no KM 04.


O nível do Rio Dourados continua sendo monitorado por causa das constantes chuvas que têm atingido a Grande Dourados nas últimas semanas. O rio continua com três metros acima do normal, segundo a Sanesul.


Mas apesar das constantes chuvas o nível do rio tem baixado, já que a precipitação ocorre de forma isolada e por enquanto não há risco de interrupção do abastecimento de água na cidade por causa da cheio do rio.

Governo


O governo do Estado anunciou nesta semana que vai contratar, em caráter de emergência, algumas empresas para atender 14 dos 25 municípios que decretaram situação de emergência em razão das chuvas.


Os contratos, que somam R$ 8,9 milhões, atenderão as estradas vicinais dos municípios de Amambaí, Aral Moreira, Caarapó, Coronel Sapucaia, Eldorado, Iguatemi, Itaquiraí, Japorã, Juti, Tacuru, Mundo Novo, Naviraí, Sete Quedas e Paranhos.

Deixe seu Comentário