Dourados – MS segunda, 25 de outubro de 2021
Dourados
29º max
17º min
Ranking Valor Econômico
Mundo

Saiba mais sobre o ex-ditador haitiano Baby Doc

18 Jan 2011 - 20h10
Jean-Claude Duvalier, o Baby Doc, em seu hotel em Porto Príncipe nesta segunda-feira - Crédito: Foto: AFPJean-Claude Duvalier, o Baby Doc, em seu hotel em Porto Príncipe nesta segunda-feira - Crédito: Foto: AFP
O ex-presidente \"vitalício\" do Haiti, Jean-Claude Duvalier, o \"Baby Doc\", que retornou ao país domingo, após 25 anos de exílio na França, assumiu o poder em Porto Príncipe aos 19 anos, perpetuando uma longa ditadura no país mais pobre do continente americano.

Aos 59 anos, \"Baby Doc\", filho do ditador falecido François Duvalier, o chamado \"Papa Doc\", escolheu o primeiro aniversário do terremoto devastador para reaparecer no cenário político do Haiti. \"Vim para ajudar\", declarou ele ao chegar a Porto Príncipe, onde beijou o solo.

Afastado do poder por uma revolta popular em 1986, após 15 anos de reinado absoluto em Porto Príncipe, Duvalier é uma personalidade polêmica, mesmo após um quarto de século de ausência.

As autoridades do Haiti estimam que mais de US$ 100 milhões foram desviados a título de realizações de obras sociais até a queda de \"Baby Doc\" em 1986. Houve dilapidação sistemática das empresas do Estado, com uma parte do dinheiro transferida para bancos suíços.

O governo de Berna tentou acelerar a devolução do dinheiro de Duvalier, sobretudo após o terremoto que devastou o Haiti em 12 de janeiro do ano passado, mas chocou-se à resistência, na justiça, da família Duvalier.

Queixas por \"crime contra a humanidade\" foram apresentadas contra ele na França, país que o acolheu.

Jean-Claude, nascido em 3 de julho de 1951 em Porto Príncipe, não parecia preparado para aceder ao poder aos 19 anos, e dirigir a primeira república negra das Américas. Seu pai, que reinou desde 1957, morreu no dia 21 de abril de 1971.

Sua silhueta pesada, suas dificuldades de elocução, sua timidez e o gosto por uniformes enfeitados, não transmitiam a imagem de um ditador implacável, nem de um tecnocrata terceiro-mundista.

Testemunha desde a chegada do pai ao poder, quando tinha 7 anos, de todas as intrigas, desgraças, detenções, execuções, bombardeios do palácio e 11 tentativas de golpe de Estado, Jean-Claude, segundo as pessoas mais íntimas, foi profundamente marcado pela violência. Aos 11 anos, saiu ileso de um violento atentado no qual foram mortos três guardas-costas.

\"Baby Doc\" tentou uma tímida liberalização.

Mas, no fundo, o regime era o mesmo: afastado de um povo jamais consultado democraticamente, submetido ao controle rígido da milícia dos \"Tontons macoutes\" e vigiado pela velha guarda \'duvalerista\' chamada \"os dinossauros\".

No entanto, mudou a constituição, limpou o exército e afastou os \"Macoutes\", pronunciando em 1977 uma anistia geral, além de criar uma liga haitiana dos direitos do Homem, e propor eleições livres.

Mas, segundo seus oponentes, foram apenas concessões à política do então presidente americano Jimmy Carter.

Após o casamento com Michele Bennett, rica herdeira protestante e divorciada, saída da burguesia mulata - isto é, símbolo do antigo regime - freou a liberalização. A imprensa passou a ser controlada e os oponentes, presos.

Derrubado por uma revolta popular em 1986, \"Baby Doc\" foi levado a se demitir pelos Estados Unidos, com a França aceitando recebê-lo de forma temporária. O ex-presidente passou, em seguida, a gozar de uma aposentadoria dourada, em amplas mansões da Côte d\'Azur.


(G1.com)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mundo

OMS: covid pode ter matado 80 mil a 180 mil profissionais de saúde

22/10/2021 14:30
ONU alerta sobre riscos de extração de combustíveis fósseis até 2030
Mundo

ONU alerta sobre riscos de extração de combustíveis fósseis até 2030

20/10/2021 12:00
ONU alerta sobre riscos de extração de combustíveis fósseis até 2030
Mundo

Papa abre caminho à beatificação de João Paulo I

13/10/2021 16:00
Transição energética é "demasiado lenta", alerta agência
Mundo

Transição energética é "demasiado lenta", alerta agência

13/10/2021 09:00
Transição energética é "demasiado lenta", alerta agência
Jornalistas da Filipinas e Rússia recebem Nobel da Paz
Mundo

Jornalistas da Filipinas e Rússia recebem Nobel da Paz

08/10/2021 13:00
Jornalistas da Filipinas e Rússia recebem Nobel da Paz
Últimas Notícias