Dourados – MS terça, 16 de agosto de 2022
Dourados
33º max
23º min
Campanha de Utilidade Pública - Caruru
Economia

Vendas de veículos sobem 3,7% em julho contra julho de 2021, diz Fenabrave

No total, 182 mil unidades foram vendidas no mês passado, entre carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus

02 Ago 2022 - 20h15Por CNN
Só no segmento de carros de passeio e utilitários leves, as vendas, um total de 169,1 mil unidades em julho, subiram 4,1% na comparação com igual período do ano passado e 2,2% frente a junho - Crédito: Banco de ImagensSó no segmento de carros de passeio e utilitários leves, as vendas, um total de 169,1 mil unidades em julho, subiram 4,1% na comparação com igual período do ano passado e 2,2% frente a junho - Crédito: Banco de Imagens

As vendas de veículos subiram 3,7% em julho frente a igual período do ano passado, marcando o primeiro crescimento de um mês no comparativo interanual em 12 meses. Na margem – ou seja, de junho para julho -, as vendas subiram 2,2%, conforme mostra balanço divulgado nesta terça-feira pela Fenabrave, a associação que representa as concessionárias.

No total, 182 mil unidades foram vendidas no mês passado, entre carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus. Os problemas de abastecimento que paralisam as fábricas, sobretudo pela falta de componentes eletrônicos, persistem. Porém, a reabertura do porto de Xangai, cujo fechamento provocou um caos no transporte internacional de mercadorias entre abril e maio, permitiu um fluxo menos irregular no fornecimento de componentes, levando a uma maior oferta de carros nas lojas.

O presidente da Fenabrave, José Maurício Andreta Jr., considerou o desempenho das vendas de carros em julho um “ótimo resultado”, tendo em conta o crédito mais caro e seletivo. A avaliação é que, com a ampliação, desde ontem, no corte do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) – de 18,5% para 24,75% -, as vendas de carros de passeio e utilitários leves possam surpreender e fechar 2022 com alta superior a 4%, para mais de 2 milhões de unidades.

A previsão oficial da Fenabrave, revisada no mês passado, segue apontando, contudo, para estagnação – ou seja, crescimento zero – do setor no ano.

“Se a produção retornar à sua normalidade, e com mais esse estímulo do governo, talvez consigamos atingir esse patamar”, comentou o presidente da Fenabrave. No acumulado desde o primeiro dia do ano, as vendas de veículos mostram queda de 12%, somando 1,1 milhão de veículos vendidos entre janeiro e julho.

Só no segmento de carros de passeio e utilitários leves, as vendas, um total de 169,1 mil unidades em julho, subiram 4,1% na comparação com igual período do ano passado e 2,2% frente a junho. O resultado reduz para 12,7% a queda no acumulado de 2022.

Líder do mercado, a Fiat é a marca de 21,8% dos 1 milhão de carros e utilitários leves vendidos no País desde o começo deste ano. Na sequência, aparecem General Motors (14,1%), Volkswagen (12,1%) e Toyota (10,5%).

No mercado de caminhões, as vendas, de 11,3 mil unidades no mês passado, caíram 1,3% no comparativo interanual, mas subiram 4,3% na passagem de junho para julho. Já as vendas de ônibus repetiram o volume de igual período do ano passado (alta de 0,1%). Em relação a junho, houve queda de 9,8% dos emplacamentos de coletivos, que chegaram a 1,6 mil unidades no mês passado.

Motos

As vendas de motos tiveram queda de 4,4% em julho frente ao volume de igual mês do ano passado, somando 107,6 mil unidades. Na comparação com junho, a queda foi de 11%, informou a Fenabrave.

A entidade cita a baixa oferta de produtos, na esteira das férias coletivas de meio de ano nas montadoras do polo industrial de Manaus, e restrições de crédito ao explicar o resultado do mês passado. Segundo José Maurício Andreta Jr., a demanda segue aquecida, porém os bancos estão aprovando menos de 30% dos pedidos de financiamento para compra de motocicletas.

Nos sete primeiros meses do ano, 744,3 mil motos foram vendidas no Brasil, o que corresponde a uma alta de 18,2% frente a igual período de 2021. O desempenho é puxado pela expansão dos serviços de entrega (delivery) e pela demanda por veículos não só mais baratos do que os carros, como também mais econômicos, dado o aumento nos preços dos combustíveis, aliviado agora pelos cortes de impostos estaduais e federais.

Líder com folga desse mercado, a Honda respondeu por 76,3% de todas as motos vendidas no Brasil entre janeiro e julho. Vice-líder, a Yamaha ficou com 16,3% do mercado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Caminhoneiros já podem fazer autodeclaração para receber benefício
Economia

Caminhoneiros já podem fazer autodeclaração para receber benefício

15/08/2022 15:45
Caminhoneiros já podem fazer autodeclaração para receber benefício
Economia

Caixa paga Auxílio Brasil com primeira parcela de R$ 600 a beneficiários

15/08/2022 07:45
Produção de motocicletas tem melhor acumulado para julho desde 2015
Economia

Produção de motocicletas tem melhor acumulado para julho desde 2015

14/08/2022 11:00
Produção de motocicletas tem melhor acumulado para julho desde 2015
IBGE estima safra recorde de 263,4 milhões de toneladas em 2022
Economia

IBGE estima safra recorde de 263,4 milhões de toneladas em 2022

14/08/2022 09:00
IBGE estima safra recorde de 263,4 milhões de toneladas em 2022
Decreto regulamenta crédito consignado no Auxílio Brasil
Auxílio Brasil

Decreto regulamenta crédito consignado no Auxílio Brasil

13/08/2022 17:00
Decreto regulamenta crédito consignado no Auxílio Brasil
Últimas Notícias