Dourados – MS sexta, 01 de julho de 2022
Dourados
30º max
15º min
Mato Grosso do Sul

Campanha “Agosto Lilás” marca combate da violência contra a mulher

04 Ago 2019 - 06h00Por Redação
Durante o mês serão realizadas diversas ações de mobilização executadas em vários municípios - Crédito: Edemir RodriguesDurante o mês serão realizadas diversas ações de mobilização executadas em vários municípios - Crédito: Edemir Rodrigues

O Governo do Estado por meio da Secretaria Especial de Cidadania e da Subsecretária de Políticas Públicas para Mulheres, lançou na quinta-feira (01.8) a campanha Agosto Lilás, pelo fim da violência doméstica e familiar contra mulheres. Durante o mês serão realizadas diversas ações de mobilização executadas em vários municípios do interior do Estado, como palestras, debates, encontros, panfletagens e blitzes.

A Secretária Estadual de Cidadania, Luciana Azambuja destacou que o Agosto Lilás tem como objetivo sensibilizar a sociedade sobre a violência doméstica e familiar contra a mulher, divulgar a Lei Maria da Penha, avaliar sua efetiva implementação e promover a discussão sobre os avanços e desafios da lei federal nº 11.340/ 2006. “O Agosto Lilás tem ações que vão da conscientização à denúncia. Despertar na sociedade quão importante é ter uma mobilização para coibir todas as formas de violência contra a mulher”.

A Secretária explicou também que as campanhas de conscientização estimulam e encorajam as vítimas a realizarem denúncias. “Trabalhamos com ações preventivas, mostrando a mulher os tipos de violência, os canais de denúncia e que existe uma Lei que a protege. Nós queremos que essas mulheres que são vítimas de agressão tomem coragem para denunciar. Dados apontam que no mês de agosto o número de registro de Boletins de Ocorrência envolvendo violência doméstica aumenta nas delegacias e eu acredito que esses dados são frutos da informação e conscientização que levamos com a campanha aos 79 municípios do Estado”, conclui.

O Agosto Lilás esse ano pauta os 13 anos da Lei Maria da Penha, e chama a atenção para os primeiros sinais da violência, que podem se manifestar de diversas formas, como por exemplo: se ele te proibir de visitar a família ou de sair com as amigas; se ele te humilha; te constrange em público ou te rebaixa usando ofensas; esconde seu documentos, tudo isso também são formas de violência.

Os avanços e conquistas na defesa e proteção das mulheres. Assunto que foi tema de mesa redonda realizada na sequência da solenidade de lançamento da campanha. 

Conduzido pela Subsecretária de Políticas Públicas para Mulheres, Giovana Correa o debate teve a participação da Defensora Pública, Inês Batisti Dantas Vieira, da Advogada e Diretora da OAB/MS, Eclair Nantes, da Delegada Titular Adjunta da DEAM, Jennifer Estevam de Araújo e do Promotor de Justiça, Izonildo Gonçalves de Assunção Junior.

De acordo com a Defensora Pública, Inês Batisti Dantas Vieira nesses 13 anos, houve avanços significativos, como a criação dos Juizados da Violência Doméstica. Os Juizados trouxeram celeridade para os processos judiciais que envolvem violência contra a mulher. “A Lei é quase uma política pública, ela traz não só a Lei em si, não mudou apenas as tipificações dos crimes, não cria só a medida protetiva, mais do que isso ela fala sobre os meios para coibir e se evitar esse tipo de violência que é o que a gente tem tentado fazer”, ressalta. 

“A violência doméstica e familiar acontece porque o homem que agride quer mostrar poder, quer provar à vítima que é mais forte do que ela. Mulheres estão sendo violados pelo simples fato de não falarem ao companheiro a senha do celular. É uma violência realmente de gênero.  

Nosso objetivo com os avanços da Lei Maria da Penha, é evitar que a relação abusiva, agressiva chegue as consequências mais cruéis, nós trabalhamos incansavelmente para punir esse agressor e mostrar para a sociedade que a mulher não está sozinha”, afirmou Izonildo Gonçalves de Assunção Junior Promotor de Justiça, Izonildo Gonçalves de Assunção Junior.

Finalizando o evento a Subsecretária Estadual de Políticas para Mulheres, Giovana Correa, ressaltou que a pasta desenvolve ações o ano inteiro, porém as campanhas pontuais servem para massificar a informação. “É preciso um intenso trabalho de prevenção, de debate, de mudança de pensamento., de desconstrução de uma cultura machista, de educar homens e meninos para não cometer esses crimes”, afirmou.

 

Fonte: MS.gov

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 43 milhões
Loterias

Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 43 milhões

há 7 horas atrás
Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 43 milhões
Mais de 10 mil garrafas de vinhos com aditivos proibidos no Brasil são destruídas em SC
Fiscalização

Mais de 10 mil garrafas de vinhos com aditivos proibidos no Brasil são destruídas em SC

30/06/2022 18:45
Mais de 10 mil garrafas de vinhos com aditivos proibidos no Brasil são destruídas em SC
Sindicato dos Policiais Rodoviários protesta durante a motociata de Bolsonaro
Manifestação

Sindicato dos Policiais Rodoviários protesta durante a motociata de Bolsonaro

30/06/2022 17:20
Sindicato dos Policiais Rodoviários protesta durante a motociata de Bolsonaro
Bolsonaro participa da inauguração do Residencial Jardim Canguru
Campo Grande

Bolsonaro participa da inauguração do Residencial Jardim Canguru

30/06/2022 17:15
Bolsonaro participa da inauguração do Residencial Jardim Canguru
300 famílias recebem nesta quinta-feira apartamentos do Residencial Jardim Canguru, em Campo Grande
Habitação

300 famílias recebem nesta quinta-feira apartamentos do Residencial Jardim Canguru, em Campo Grande

30/06/2022 12:45
300 famílias recebem nesta quinta-feira apartamentos do Residencial Jardim Canguru, em Campo Grande
Últimas Notícias