Dourados – MS sábado, 19 de junho de 2021
Dourados
18º max
12º min
Brasil

Brasil é o primeiro do mundo em potencial de descoberta de espécies

05 Jun 2021 - 08h49Por Agencia Brasil
Brasil é o primeiro do mundo em potencial de descoberta de espécies - Crédito: Valter Campanato/Agência Brasil Crédito: Valter Campanato/Agência Brasil

Um país de proporções continentais, com uma variação tão grande de biomas, climas e altitudes que pode, com facilidade, abrigar a maior variedade do mundo de espécies de plantas e animais que ainda não foram catalogados pela ciência. Este é o Brasil em 2021, segundo um estudo publicado no periódico científico Nature, Ecology and Evolution. 

A pesquisa revela, por meio de modelos matemáticos calculados por computador, que 70% do potencial de descoberta de espécies concentra-se em apenas dez países, dentre os quais o Brasil, que, sozinho, tem 10% de todas as espécies ainda não descritas.

A Amazônia e as florestas de Mata Atlântica respondem por 60% do potencial de descoberta no país, afirma o biólogo brasileiro Mario Moura, pesquisador da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), que liderou o estudo e criou o algoritmo de cálculo de probabilidade de descoberta de novas espécies baseado em animais vertebrados terrestres.

“Em grupos de animais menores, como invertebrados e pequenos anfíbios, o potencial de descoberta é imenso. Em botânica, também temos biodiversidade capaz de gerar muitas novas espécies o tempo todo”, afirma o biólogo Paulo de Tarso Antas, pesquisador de aves silvestres, membro da Fundação Pró-Natureza (Funatura) e integrante da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza.

Identificar, estudar e catalogar espécies é um trabalho extenso e árduo. Estimativas recentes revelam que o planeta Terra conta com 8,7 milhões de espécies de fauna e flora, das quais apenas 1,5 milhão são descritas em documentos científicos.

“Com certeza, temos potencial para descoberta de novas espécies. Isso se deve à grandeza em extensão e à diversidade de ambientes. São 3,5 milhões de quilômetros quadrados de costa marinha. Nessa faixa, temos manguezais, restingas, dunas e outros biomas associados. Em altitude, o Brasil tem biomas com variação de 3 mil metros. Conhecer e entender a dinâmica das espécies e dos ecossistemas é extremamente necessário”, afirma a gerente de Ciência e Conservação da Fundação Grupo Boticário, Marion Silva.

Descobertas científicas
O processo para identificar e catalogar novas espécies de fauna e flora exige conhecimento técnico apurado e muita experiência com a biodiversidade existente em determinados locais. Só assim é possível diferenciar espécies mais raras e as mais comuns, explica Hudson Pinheiro, cientista do Centro de Biologia Marinha da Universidade de São Paulo (USP) e mergulhador profundo da Academia de Ciências da Califórnia.

Segundo o cientista, é possível achar espécies que já foram descritas, mas nunca foram catalogadas em determinadas regiões. O papel dos museus é fundamental, já que guardam vastos arquivos científicos com registros e exemplares de animais e plantas, com suas devidas características e habitats.

“Na minha área [mergulhos profundos], descobrimos seis espécies nunca visualizadas e catalogadas em apenas duas expedições diferentes. A taxa de descoberta é de duas novas espécies por hora de exploração em ambientes profundos”, explica Pinheiro, que também é membro da Rede Especialistas em Conservação da Natureza.

Para o registro final, porém, o prazo para catalogação e nomeação de determinada descoberta pode chegar a dez anos, diz Pinheiro. “É um trabalho que precisa de comparação entre indivíduos, comparação entre muitas outras espécies. É muito específico. Existem espécies descobertas há muito tempo que ainda estão no processo, infelizmente. A ciência é carente de taxonomistas - profissionais que dão nome e classificam as espécies.”

A genética – processo de comparação de exemplares usando características de similaridade entre o DNA – é uma das ferramentas que vêm sendo usadas para encurtar o processo de descoberta e classificação de novas espécies, lembra o cientista.

Dia Mundial do Meio Ambiente
Neste sábado (5), comemora-se o Dia Mundial do Meio Ambiente, instituído em 1974 pela Organização das Nações Unidas (ONU) para conscientizar países sobre a importância da preservação ecológica da fauna e da flora em escala mundial. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Médica da Capital é nomeada para Secretaria de Enfrentamento à Covid-19
Covid-19

Médica da Capital é nomeada para Secretaria de Enfrentamento à Covid-19

18/06/2021 15:30
Médica da Capital é nomeada para Secretaria de Enfrentamento à Covid-19
Brasil

Sancionada lei que prorroga medidas emergenciais para aviação

18/06/2021 13:00
Brasil

Trabalhadores nascidos em dezembro podem sacar auxílio emergencial

17/06/2021 14:00
Comissão aprova projeto que aplica regras do caminhoneiro profissional aos motoristas de coletivos urbanos
Brasil

Comissão aprova projeto que aplica regras do caminhoneiro profissional aos motoristas de coletivos urbanos

16/06/2021 15:30
Comissão aprova projeto que aplica regras do caminhoneiro profissional aos motoristas de coletivos urbanos
Caixa antecipa pagamento de terceira parcela do auxílio emergencial
Auxílio Emergencial

Caixa antecipa pagamento de terceira parcela do auxílio emergencial

15/06/2021 14:00
Caixa antecipa pagamento de terceira parcela do auxílio emergencial
Últimas Notícias