Dourados – MS quinta, 24 de setembro de 2020
Dourados
33º max
17º min
Conjuntura

O “ema”

07 Mar 2016 - 10h24
Os procuradores da Lava Jato dizem que Delcídio do Amaral (PT-MS) falou tanto, mas tanto em sua delação que ganhou um apelido sugestivo entre o grupo que o interrogou.


Recebeu o apelido de "ema" entre os seus interrogadores. Diferentemente do restante do grupo que foi ouvido pelos procuradores, "batizados" de passarinhos pelo pessoal da Procuradoria-Geral da República.

##### Fio da Navalha


Na delação que envolve um grande universo de supostos implicados no esquema de corrupção da Petrobras, entre eles Lula e Dilma Rousseff, Delcídio também agravou a situação do ex-banqueiro André Esteves, do Banco Pactual.


Sobre o empresário, libertado provisoriamente pelo juiz Sérgio Moro, Delcídio contou coisas que podem levá-lo, a qualquer momento, de volta à carceragem da PF em Brasília.

##### Afinados


O ex-governador André Puccinelli (PMDB) nega, de "pés juntos", que possa haver qualquer rusga entre ele e o deputado estadual Marquinhos Trad, que acaba de deixar o PMDB rumo, provavelmente, ao PSD.


Antes de abandonar o PMDB, Marquinhos teria dito que deixou a legenda em função de atritos com Puccinelli, por conta de disputa de espaços no partido. O ex-governador, por sua vez, garante que o parlamentar reuniu-se com ele antes da saída e despediu-se de forma "mais do que diplomática".

##### Bando


Editorial do jornal O Estado de São Paulo, dia desses, intitulado "O chefe do bando", disse que é "melancólico o fim que se anuncia da carreira política de um líder que foi capaz de vender a ilusão de que poderia mudar para melhor o Brasil.


Segundo o jornal, o carisma e a habilidade de Luiz Inácio Lula da Silva como líder populista não podem ser subestimados, mas a política costuma ser implacável com quem passa dos limites na tola pretensão de colocar-se acima do Bem e do Mal e atribuir-se onipotência divina.

##### Culpa (?)


Em nota divulgada no sábado, o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelo inquérito da Operação Lava Jato na primeira instância, repudiou os atos de violência ocorridos sexta durante o depoimento de Lula à Polícia Federal e disse que a condução coercitiva do ex-presidente não significa "antecipação de culpa".


Após a divulgação de que o ex-presidente estava prestando depoimento, foram registradas agressões entre manifestantes favoráveis e contrários a Lula em frente ao aeroporto e também em frente ao prédio onde Lula mora em São Bernardo do Campo (SP).

Deixe seu Comentário

Leia Também

Empresa de estúdio fotográfico é condenada por cobrança indevida
Condenação

Empresa de estúdio fotográfico é condenada por cobrança indevida

21/09/2020 16:57
Empresa de estúdio fotográfico é condenada por cobrança indevida
MTur disponibiliza R$ 13,5 milhões para ações de retomada do turismo nos estados
Turismo

MTur disponibiliza R$ 13,5 milhões para ações de retomada do turismo nos estados

21/09/2020 10:36
MTur disponibiliza R$ 13,5 milhões para ações de retomada do turismo nos estados
O julgamento de Deus
Artigo

O julgamento de Deus

17/09/2020 08:51
O julgamento de Deus
Professor de Medicina explica sobre a qualidade do sono
Saúde

Professor de Medicina explica sobre a qualidade do sono

13/09/2020 10:11
Professor de Medicina explica sobre a qualidade do sono
“Muita gente desconta no animal, como se ele tivesse culpa”, diz criadora de abrigo
Cães abandonados

“Muita gente desconta no animal, como se ele tivesse culpa”, diz criadora de abrigo

13/09/2020 09:05
“Muita gente desconta no animal, como se ele tivesse culpa”, diz criadora de abrigo
Últimas Notícias