Dourados – MS sábado, 25 de maio de 2024
13º
Saúde

Nova técnica pode produzir embriões com genes de dois homens a partir de óvulo feminino

Para Lygia da Veiga Pereira, apesar da inovação, há pesquisas com células-tronco que estão mais avançadas

21 Abr 2024 - 07h30Por Julio Silva*/Jornal da USP no Ar
A técnica pode contribuir para tratamentos de infertilidade e auxiliar casais compostos de dois homens a terem um filho com características genéticas de ambos  - Crédito: PixabayA técnica pode contribuir para tratamentos de infertilidade e auxiliar casais compostos de dois homens a terem um filho com características genéticas de ambos - Crédito: Pixabay

Cientistas da Universidade de Saúde e Ciência do Oregon, nos Estados Unidos, estão trabalhando para desenvolver uma técnica capaz de produzir embriões viáveis a partir de células da pele masculina e a pesquisa pode contribuir com casais compostos de dois homens para a geração de bebês com características genéticas de ambos os pais. Lygia da Veiga Pereira, professora do Instituto de Biociências (IB) da Universidade de São Paulo, explica o processo de formação de um embrião e a técnica empregada na pesquisa.

Segundo a especialista, as células humanas têm duas cópias de cada um dos cromossomos, um herdado da mãe e outro herdado do pai e, por ter uma dupla de cada cromossomo, são chamadas de células diploides. “Quando a gente vai produzir os nossos gametas, a gente tem que fazer um tipo de divisão celular de forma a gerar células que possuam só uma cópia de cada cromossomo, porque o gameta feminino vai se juntar com gameta masculino para formar um novo indivíduo com duas cópias”, explica.

De acordo com a docente, o grupo norte-americano conseguiu pegar um óvulo feminino e introduzir nele o núcleo de uma célula de pele de um camundongo masculino. A partir desse processo, a célula de pele reduziu o seu número de cromossomos e, por fim, a estrutura passou a ser um óvulo, mas composto de um cromossomo masculino em seu interior. “Então isso seria uma maneira de você fazer um indivíduo masculino produzir um óvulo. Mas é importante ressaltar que, mesmo podendo surgir um embrião com as características de dois indivíduos masculinos, ainda é necessário o óvulo de uma mulher, o que conseguiram fazer foi colocar dentro desse óvulo um material genético masculino”, esclarece.

Aplicação em humanos

Lygia da Veiga Pereira – Foto: TV Brasil/EBC

 

Lygia conta que a pesquisa ainda está nos estágios iniciais de com camundongos e ainda está muito longe da possibilidade de iniciar a aplicação na espécie humana. Ela explica que os testes em humanos só começam a ser realizados após serem esgotadas todas as possibilidades de estudos e possíveis novas descobertas com a manipulação entre os camundongos. “Eles ainda estão no camundongo e ainda nem demonstraram que esse óvulo que produziram é funcional e capaz de produzir um camundongo normal. Então, esse trabalho é o começo de uma possibilidade de alternativa reprodutiva, mas está muito longe ainda”, analisa.

Conforme a especialista, essa técnica pode permitir, daqui a muito tempo e assim que os estudos em animais se mostrarem plausíveis, contribuir para tratamentos de infertilidade e auxiliar casais compostos de dois homens a terem um filho com características genéticas de ambos. Ela explica, no entanto, que a fecundação do óvulo com o material genético masculino precisa ser realizada com espermatozoide de um homem diferente. “Se você transforma o óvulo de uma mulher em um óvulo com material genético masculino e insere ali o espermatozoide do mesmo homem, isso pode acabar gerando um clone dele. Portanto, o que deve ser feito é pegar esse óvulo masculino, colocar o material genético de outro homem e então teremos uma criança que possui dois pais”, discorre.

De acordo com Lygia da Veiga Pereira, as pesquisas feitas a partir das células-tronco pluripotentes estão mais avançadas e já apresentaram resultados promissores, inclusive conseguindo gerar embriões saudáveis de camundongos a partir de óvulos e espermatozoides oriundos dessas substâncias. “Recentemente os cientistas puderam mostrar que conseguiam produzir, em camundongos, óvulos e espermatozoides viáveis, que foram capazes até de dar origem a um novo indivíduo a partir das células-tronco. Então, eu acho que está muito mais avançado do que essa pesquisa que foi feita agora com os óvulos com material masculino”, finaliza.

*Sob supervisão de Paulo Capuzzo e Cinderela Caldeira

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde lança nova campanha de vacinação contra covid-19
Saúde

Saúde lança nova campanha de vacinação contra covid-19

25/05/2024 19:30
Saúde lança nova campanha de vacinação contra covid-19
Médicos chamam atenção para mucopolissacaridose, doença genética rara
Saúde

Médicos chamam atenção para mucopolissacaridose, doença genética rara

25/05/2024 15:30
Médicos chamam atenção para mucopolissacaridose, doença genética rara
Rio Grande do Sul investiga mais de 800 casos de leptospirose
Saúde

Rio Grande do Sul investiga mais de 800 casos de leptospirose

25/05/2024 14:30
Rio Grande do Sul investiga mais de 800 casos de leptospirose
Campo Grande ultrapassa 14 mil casos notificados de Síndrome Gripal, alerta Sesau
Saúde

Campo Grande ultrapassa 14 mil casos notificados de Síndrome Gripal, alerta Sesau

25/05/2024 14:00
Campo Grande ultrapassa 14 mil casos notificados de Síndrome Gripal, alerta Sesau
Glaucoma: monitoramento evitou cegueira em 300 mil brasileiros
Saúde

Glaucoma: monitoramento evitou cegueira em 300 mil brasileiros

25/05/2024 12:30
Glaucoma: monitoramento evitou cegueira em 300 mil brasileiros
Últimas Notícias