Dourados – MS domingo, 20 de setembro de 2020
Dourados
27º max
16º min
MORTE

Jarbas Passarinho, ex-governador do Pará e ex-ministro, morre em Brasília

05 Jun 2016 - 13h17
Passarinho em uma das recentes aparições públicas, durante lançamento de livro na biblioteca do Senado - Crédito: Foto: Adriano Machado/DivulgaçãoPassarinho em uma das recentes aparições públicas, durante lançamento de livro na biblioteca do Senado - Crédito: Foto: Adriano Machado/Divulgação
O ex-ministro, ex-senador e ex-governador do Pará Jarbas Passarinho morreu na manhã deste domingo (5) aos 96 anos, em Brasília, em decorrência de problemas de saúde devido à idade avançada, segundo nota divulgada pelo governo do Pará.

O governo estadual decretou luto oficial de três dias.

O velório será a partir das 13h na Paraóquia Militar do Oratório do Soldado, na capital federal, cidade onde morava havia muitos anos. O enterro está marcado para as 16h no Campo da Esperança, também em Brasília.

Nascido em Xapuri, no Acre, em 1920, Jarbas Passarinho iniciou sua trajetória política no Pará. Foi oficial do Exército e, na ditadura militar, assumiu em 1964 o governo do Pará, indicado pelo presidente Castelo Branco.

Em 1966 deixou o governo do Pará e foi eleito senador pelo estado pelo partido Aliança Renovadora Nacional (Arena). Durante o mandato, foi convidado por Costa e Silva para assumir, em 1967, o Ministério do Trabalho e Previdência Social. Nesse mesmo ano, passou para a reserva com a patente de coronel.

Como ministro, participou da reunião que decretou o Ato Intitucional nº 5, conhecido como AI-5, no dia 13 de dezembro de 1968, e que deu amplos poderes para o regime militar.

Na ocasião, Jarbas Passarinho proferiu uma frase que ficou marcada na história brasileira. "Às favas, senhor presidente, neste momento, todos, todos os escrúpulos de consciência", disse ao justificar por que estava votando a favor do AI-5.

Em 30 de outubro de 1969, em virtude do agravamento do estado de saúde de Costa e Silva, tomou posse na Presidência da República o general Emílio Garrastazu Médici, que convidou Jarbas Passarinho para o Ministério da Educação.

Ainda durante o regime militar, Jarbas Passarinho voltou ao Senado em 1974, Casa em que foi eleito presidente em 1981. O político foi ainda ministro da Previdência do governo de João Figueiredo, em 1983. Em 1986, foi eleito como senador para a Assembléia Nacional Constituinte, pelo PDS do Pará.

Após a redemocratização do país, foi Ministro da Justiça do governo Fernando Collor, de outubro de 1990 a abril de 1992, quando retornou ao Senado.

Jarbas Passarinho foi casado com Ruth de Castro Gonçalves Passarinho, com quem teve cinco filhos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Projeto institui Semana da Conscientização sobre a Esquizofrenia em MS
Política

Projeto institui Semana da Conscientização sobre a Esquizofrenia em MS

17/09/2020 13:52
Projeto institui Semana da Conscientização sobre a Esquizofrenia em MS
Governador Reinaldo Azambuja testa positivo para Covid-19
Comunicado Oficial

Governador Reinaldo Azambuja testa positivo para Covid-19

17/09/2020 09:43
Governador Reinaldo Azambuja testa positivo para Covid-19
A pedido do PSD, Daniela mantém pré-candidatura à vereadora
Eleições 2020

A pedido do PSD, Daniela mantém pré-candidatura à vereadora

16/09/2020 10:15
A pedido do PSD, Daniela mantém pré-candidatura à vereadora
STF declara inconstitucional a impressão do voto pela urna eletrônica
Eleições 2020

STF declara inconstitucional a impressão do voto pela urna eletrônica

15/09/2020 17:35
STF declara inconstitucional a impressão do voto pela urna eletrônica
Doutor Guto, médico de 37 anos, é o vice de Alan Guedes
Eleições 2020

Doutor Guto, médico de 37 anos, é o vice de Alan Guedes

15/09/2020 14:01
Doutor Guto, médico de 37 anos, é o vice de Alan Guedes
Últimas Notícias