Dourados – MS sábado, 19 de setembro de 2020
Dourados
30º max
20º min
Risco

Árvores da Marcelino Pires estão infestadas de cupins e serão retiradas

31 Mar 2016 - 17h58
Árvores de Dourados serão cortadas para evitar acidentes. - Árvores de Dourados serão cortadas para evitar acidentes. -

O cupim é uma praga que ameaça várias árvores em Dourados. No quadrilátero compreendido entre as Avenidas Presidente Vargas e João Rosa Góes existem árvores que causam aparente preocupação em plena área central na Avenida Marcelino Pires. São árvores que apresentam risco de queda iminente e podem causar acidente com grandes proporções. Após uma reportagem em vídeo postada na quarta-feira no site de O Progresso o Imam foi acionado e alegou que vai providenciar com urgência o corte daquelas árvores que já morreram.

De acordo com registros históricos as árvores da espécie Caesalpinia ferrea conhecida popularmente como "Pau Ferro" foram plantadas há cerca de 40 anos no canteiro central da Avenida Marcelino Pires. Hoje muitas delas estão infestadas de cupins e algumas devem ser cortadas porque segundo constatação do fiscal do IMAM, infelizmente não apresentam mais nenhum sinal vital.

"Pau Ferro" é uma árvore muito utilizada em paisagismo urbano, tem o tronco característico, liso e branco com manchas. Propicia boa sombra e desenvolvimento rápido. Atinge mais de trinta metros de altura.
Dourados é uma das ci-dades mais bem arborizadas do Brasil, porém, nem tudo são flores. Já virou rotina se deparar com árvores caídas nos canteiros de ruas movimentadas da cidade principalmente após as chuvas de vento.

Segundo o técnico do IMAM ainda não se pode afirmar que foram os cupins os causadores das mortes das árvores, pois eles geralmente aparecem quando já existe fragilidade aparente. O IMAM ficou de encami-nhar com urgência o corte e substituição das árvores que morreram e o tratamento de outras que ainda tem salvação.
O diretor do IMAM Upiran Gonçalves afirma que pelo menos duas árvores doe trecho citado deve ser cortadas e substituídas após o encaminhamento de uma Circular Interna (Circular Interna) a Secretaria Muni-cipal de Serviços Urbanos (Semsurt). "Existe um estudo que vem sendo elaborado pelo IMAM em parceria com as universidades para identificar as espécies e delimitar aquelas que significam risco", informou Upiran.

Deixe seu Comentário