Dourados – MS quarta, 17 de abril de 2024
21º
Ajuda humanitária

Conselho de Direitos Humanos debaterá Haiti em meio a barreiras de acesso

Comunidade de auxílio revela que insegurança já desalojou mais de 360 mil pessoas em todo o país caribenho

01 Abr 2024 - 22h45Por ONU News
Crianças no Haiti fazem fila para receber uma refeição quente e água distribuída pelo PMA em Porto Príncipe - Crédito:  CAPAC/Jean Vadler PresumeCrianças no Haiti fazem fila para receber uma refeição quente e água distribuída pelo PMA em Porto Príncipe - Crédito: CAPAC/Jean Vadler Presume

As Nações Unidas revelaram que continuam entregando auxílio humanitário de emergência aos afetados pela violência no Haiti, mesmo com as dificuldades observadas na capital haitiana, Porto Príncipe.

Nesta terça-feira, o Conselho de Direitos Humanos aborda as várias facetas da crise em sessão que contará com a participação do especialista independente para o país, William O’Neill.

Resposta gravemente subfinanciada

De acordo com  a ONU, o Plano de Resposta e Necessidades Humanitárias do Haiti continua gravemente subfinanciado com menos de 7% dos US$ 674 milhões necessários para este ano.

No auxílio ao país caribenho, o Programa Mundial de Alimentos, PMA, forneceu mais de 28 mil refeições a pessoas forçadas a fugir das suas casas devido à violência. Em março, cerca de 80 mil haitianos foram alcançados.

A operação dos parceiros no terreno inclui organizações não governamentais haitianas, empresas locais e organizações de agricultores.

Em Porto Príncipe, a agência distribuiu mais de 358 mil refeições quentes para mais de 69 mil pessoas. Mas mais de 2,3 milhões de litros de água  foram entregues a 60 mil deslocadas.

Medicamentos e prestação de apoio psicossocial 

As entregas feitas pelos parceiros de saúde incluem medicamentos e prestação de apoio psicossocial a pessoas traumatizadas, incluindo crianças.

A ONU defende que o sector da saúde do Haiti foi gravemente afetado pela onda de violência ao longo do último mês, com pelo menos metade das instalações de saúde na capital fechadas ou a funcionar abaixo da sua capacidade normal.

A insegurança persistente agravou a já terrível situação humanitária. Em todo o país, mais de 360 mil pessoas estão deslocadas, cerca 44% vivem  na área metropolitana de Porto Príncipe. Mais de mil escolas foram fechadas no país por causa da onda de violência.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Fórum da Juventude da ONU lança apelo por um "mundo mais justo"
Desenvolvimento econômico

Fórum da Juventude da ONU lança apelo por um "mundo mais justo"

16/04/2024 21:45
Fórum da Juventude da ONU lança apelo por um "mundo mais justo"
ONU alerta para risco iminente de acidente nuclear em Zaporizhzhia, na Ucrânia
Paz e segurança

ONU alerta para risco iminente de acidente nuclear em Zaporizhzhia, na Ucrânia

16/04/2024 20:45
ONU alerta para risco iminente de acidente nuclear em Zaporizhzhia, na Ucrânia
OMS: Com sistema de saúde arrasado em Gaza, pacientes "definham de dor"
Ajuda humanitária

OMS: Com sistema de saúde arrasado em Gaza, pacientes "definham de dor"

16/04/2024 19:45
OMS: Com sistema de saúde arrasado em Gaza, pacientes "definham de dor"
Um ano após início do conflito, doadores se mobilizam para apoio ao Sudão
Paz e segurança

Um ano após início do conflito, doadores se mobilizam para apoio ao Sudão

15/04/2024 22:45
Um ano após início do conflito, doadores se mobilizam para apoio ao Sudão
Líder da ONU diz que "pesadelo" no Sudão não pode ser esquecido pelo mundo
Paz e segurança

Líder da ONU diz que "pesadelo" no Sudão não pode ser esquecido pelo mundo

15/04/2024 21:45
Líder da ONU diz que "pesadelo" no Sudão não pode ser esquecido pelo mundo
Últimas Notícias