Dourados – MS sábado, 19 de junho de 2021
Dourados
18º max
12º min
Poesia

Um fiapo de igualdade

13 Mai 2021 - 09h30
Um fiapo de igualdade - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

João Linhares* - 13 de maio de 2021

Tantos anos depois da abolição da escravatura,
O que se vislumbra?
A Lei Áurea foi profícua 
Ou permaneceu na ficção? 
A liberdade foi conquistada,
Entrementes, os afrodescendentes têm muito a celebrar?
Mudou-se a quadratura?
Parece que há bastante a se lamentar...
Os negros persistem na exclusão,
Marginalizados e na penumbra.
Nessa tessitura, 
A igualdade obumbra, 
Pois passa a ser uma caricatura.
A isonomia é uma veleidade,
Enquanto se proclama a beleza da meritocracia.
Como alcançá-la, todavia,
Se desde tenra idade,
Os negros, em sua esmagadora maioria,
Não têm a mesma oportunidade?
Meritocracia é tétrico engodo
Que perpetua a disparidade.
O futuro é de quem já detém a primazia.

Esta data nos traz à consciência
Os horrores outrora perpetrados:
Negros vergastados,
Em atos de incomensurável indecência.
Foram trazidos de terras longínquas,
Em navios putrefatos,
Onde a maioria
De pestes e doenças
Sucumbia!
E o nome de Deus nos lábios
De quem disso se nutria.
E se passavam por sábios, 
Doutores, 
Senhores de respeito nos palácios,
Um escárnio,
Sempre foram verazes detratores.

Este dia não nos deixa esquecer
Dos negros escravizados,
Reduzidos a objetos.
Prefeririam não nascer,
Num período tão abjeto.
No pelourinho eram açoitados,
Vistos como dejetos.
Seus dentes à força arrancados;
Seus corpos desfigurados,
Suas almas sangravam...
Porém, poucos entre os brancos se rebelavam.
Quase todos os poderosos silenciavam,
Ainda quando os mamilos dos seios pretos femininos eram queimados
E os corpos das mulheres amiúde violados.
Crianças apartadas de seus pais,
Logo cedo, se deparavam com um hediondo mundo,
Labutando sem parar nas lavouras e canaviais.
Teatro de horror imundo!


E tantos anos depois,
Houve a consolidação da identidade?
A República inaugurou um projeto de nação unida,
De verdadeira dignidade 
Ou a realidade dos negros ainda é carcomida?
Esta nova era trouxe-lhes condições 
E similares meios de prosperidade?
Vãs pretensões...
Tudo ficou para as calendas,
Para a inalcançável posteridade.
Que pena!

Foram escorraçados das fazendas sem direitos;
Passaram a morar em favelas;
Ignorados por quase todos.
Jogados às traças debaixo das pontes e nas vielas.
Tratados como estorvo.
O açoite do chicote foi substituído
Pela discriminação e menoscabo geral,
Pela ignomínia e falta de inclusão.
Não raras vezes, 
Perduram sendo perseguidos e oprimidos.
Impõe-se uma atmosfera de escusos interesses.
Eles são assassinados nas periferias 
E severamente reprimidos.
Parece inexistir qualquer empatia.
Para alguns, essa circunstância é banal, 
Pois tais negros estão no contínuo olvido.

Ganham menos no mercado de trabalho;
Sofrem dichotes lorpas,
Tratados como bandidos...
São as massas
De presidiários, iletrados e de excluídos.
A Constituição e a República
São uma farsa?
Enganação e incúria.
Isso não é trapaça?
Avançam-se os preconceituosos
E suas tropas.
Interregnos tortuosos.
Infames,
Idiotas!
Militam com extremo ruído.
Fanáticos empedernidos.
Seguidores de mitos!
E há quem asseverou que negros pesam arrobas...
Medida usada para gado.
São, portanto, desprezados!
Oh, Senhor Deus dos desgraçados,
Onde está o igual,
Neste cenário tão desumano,
Epítome do racismo estrutural?

A terra em que o sangue de Zumbi dos Palmares
E de milhões de outros
Foi derramado,
Com extremo desdouro
E crueldade,
Ainda insiste em tratar os negros como renegados.

Não se atenta que sem eles seria nada.
Sem esplendor e pulcritude.
Uma patuscada.
Seria cinza, sem a formosa negritude.
Uma modorra,
Uma severa incompletude.

Tantos anos depois, 
Cumpre-nos louvar alguns de seus gênios.
Eternos, valentes,
Uns reclusos, outros boêmios.
Repleto de ideais perenes 
Perseguindo quimeras reais e patentes.
Homens e mulheres que, de modo invulgar,
Romperam a barreira da impossibilidade
E demonstraram que é viável avançar,
Mesmo na árdua adversidade.
Em cada momento,
Forjaram pontes, 
E foram inesgotáveis fontes
De superação e de rutilante talento.
Que o diga Aleijadinho,
Inigualável artesão.
Perdurou na sua senda,
Mesmo com problema severo
Em seu corpo, em suas mãos.
Dedicou-se ao labor austero.

Nesse torrão, em que já houve realeza,
Deveriam ser consideradas rainhas e princesas
Mulheres como Maria Firmina dos Reis,
Com muitas loas
E toda certeza!
E tantas outras dessa linda tez.
Aqui, em grande parte,
Ainda não se perfez
A igualdade
Com sua irmã siamesa:
A dignidade.
Muitas mulheres negras
Experimentam a maior brutalidade,
Sem voz, 
Na selvageria,
Sem piedade.
E continua a letargia,
A imobilidade.
Algumas são tratadas de modo atroz,
Como ovelhas
Indo para o abate.
É a nossa nação que nesse contraste
Se espelha?

Louvemos os nossos titãs,
Nossos heróis
E sublimes heroínas,
Que, sem condutas vãs,
Não se acovardaram.
Luminosos faróis,
Não se conformaram 
Com a sua sina...
Levantaram-se e ecoaram o brado dos escravizados,
Trazendo a lume o seu terrível drama. 
Promoveram justiça
E liberdade,
Na incansável liça,
Contra todas as chicanas.
Advogaram por centenas,
Como Luiz Gama,
Que o fez à saciedade, 
Com coragem e inteligência apenas.
Ele mereceria uma estátua 
Em cada praça
De toda cidade.
Sociedade ingrata!

Há ainda muitos outros que estavam engajados
Em formar um país alvissareiro:
André Rebouças,
Notável ativista e engenheiro.
Vultos outros que jamais escapam do tirocínio:
A exemplo de Lima Barreto e de José do Patrocínio.
Que seria de nossas letras,
Sem os inolvidáveis contos de Machado de Assis?
E do simbolismo,
Sem os versos de Cruz e Souza?
Imaginam isso? 

Outros se destacaram na política,
Atingiram a glória, 
Fizeram façanha,
Mas foi caso raro na história,
Como se deu com Nilo Peçanha.
E após todos eles enfrentarem muitos embaraços,
Poder-se-ia ainda se aludir
À Antonieta de Barros.
Sua vida é pra qualquer um aplaudir!

Vários outros fulguraram entre os melhores
Nos esportes mais nobres:
Adhemar Ferreira da Silva
Torna impossível qualquer esquecimento.
Que o diga Pelé, 
O tricordiano Edson Arantes do Nascimento.
Diante desses gigantes,
E de incontáveis outros,
Conhecidos e anônimos,
Ainda guardo a fé.
Sigo avante!

Perspectivas?
Ações afirmativas,
Medidas construtivas,
Jurisprudência inclusiva.
Eis algumas exitosas alternativas.

Nesse país de tanto contraste,
Em cada tugúrio e esquina,
Há quem bravamente pugna contra o que é espúrio
E ensina,
Com seu agir,
Que ainda temos
Muito a construir,
Porquanto, ao menos por ora,
Mesmo depois de séculos,
Sem mudar muito até agora,
Para a maioria dos negros,
Há só um fiapo de igualdade!

*João Linhares, Promotor de Justiça em MS. Mestre em Garantismo e Processo Penal pela Universidade de Girona – Espanha. Especialista em Controle de Constitucionalidade e Direitos Fundamentais pela PUC-RJ. Eleito integrante da Academia Maçônica de Letras de MS.

 

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Um Gato esmagado no asfalto
Poesia

Um Gato esmagado no asfalto

18/06/2021 13:30
Um Gato esmagado no asfalto
Cultura

Bibliotecas e museus foram setores culturais menos conectados em 2020

17/06/2021 17:00
Semana do Cinema Brasileiro no MIS tem formato online, exibição de clássico premiado, debates e interatividade
Cultura

Semana do Cinema Brasileiro no MIS tem formato online, exibição de clássico premiado, debates e interatividade

14/06/2021 17:00
Semana do Cinema Brasileiro no MIS tem formato online, exibição de clássico premiado, debates e interatividade
Aulas de dança, tour cultural virtual e muitas lives musicais para curtir o Dia dos Namorados sem sair de casa
MS

Aulas de dança, tour cultural virtual e muitas lives musicais para curtir o Dia dos Namorados sem sair de casa

12/06/2021 13:00
Aulas de dança, tour cultural virtual e muitas lives musicais para curtir o Dia dos Namorados sem sair de casa
Emmanuel Marinho lança Fragmentos de um Poema Secreto hoje no Youtube
Cultura

Emmanuel Marinho lança Fragmentos de um Poema Secreto hoje no Youtube

11/06/2021 14:00
Emmanuel Marinho lança Fragmentos de um Poema Secreto hoje no Youtube
Últimas Notícias