Parceria viabiliza ações contra dengue na Capital

Associação Comercial da Capital, Prefeitura e rede de supermercados se uniram para combater mosquito e levar prevenção a bairros

Por: Elvio Lopes - 11/01/2017 08h11

Prefeito Marquinhos Trad participa do lançamento da Liga Anti Mosquito, na Associação Comercial da Capital. (Foto: Elvio Lopes) Prefeito Marquinhos Trad participa do lançamento da Liga Anti Mosquito, na Associação Comercial da Capital. (Foto: Elvio Lopes)

Parceria público-privada (PPP), entre Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), Prefeitura da Capital e a rede de supermercados Comper, viabilizou ontem o lançamento da campanha "Liga Anti Mosquito", para combater o avanço da dengue, zika vírus e chikunkunya, cujo vetor é o mosquito Aedes aegypti. As ações foram apresentadas para mais de 6.300 associados da entidade e funcionários, com projeção de alcançar mais de 100 mil pessoas na cidade.

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) participou do lançamento da campanha e destacou a importância da campanha, porém, ressaltou que não adianta a prefeitura colocar 350 agentes epidemiológicos, 1.600 agentes comunitários de saúde e os veículos fumacê – que dobrou, de três para seis – nas ruas, se as pessoas não cuidarem de seus quintais, deixando proliferar o mosquito. "Se os vizinhos não ajudarem, tudo o que for feito não valerá a pena, mas esperamos que a campanha conscientize nossa população para esse grave problema", advertiu o prefeito.

Ele enfatizou que a hora é de mudança da realidade e que a campanha é de responsabilidade do campo-grandense, das empresas e das instituições. "Temos que trabalhar com vontade para realizar essa mudança, lembrando que no ano passado foram tapados 5 mil buracos e nossa administração, em apenas seis dias, conseguiu tapar mais de 6 mil buracos. Agora, precisamos dessa ação que pode resultar na diminuição de lágrimas, sofrimento e de óbitos e só seremos vitoriosos se todos entenderem o significado da campanha", concluiu Marquinhos. O presidente da ACICG, João Carlos Polidoro, explicou que a entidade espera a participação dos 6,3 mil associados da entidade para participarem da campanha e lembrou que, se um funcionário fica doente, o empresário perde e se o cliente fica doente, o empresário também perde. "Por isso, devemos combater o mosquito, pois o resultado é bom para todos e isso não custa nada, basta manter o quintal limpo, cuidar de sua empresa e todos ganhamos", concluiu.

Conforme Polidoro, em 2016 foram registradas 29 mil notificações de doenças provocadas pelo mosquito Aedes aegypti, das quais 28.437 por dengue; 243 pela febre chikungunya e 260 pelo zika vírus, representando mais de 100 dos casos notificados em 2015, que registrou 14.140 notificações.

O senador Pedro Chaves dos Santos Filho também participou do evento e sugeriu que a campanha seja levada também às escolas públicas e particulares, debaixo para cima, alertando os alunos da educação pré-infantil, seguindo o ensino fundamental, médio e universitários. "As crianças podem mudar o comportamento dos pais, cobrar para que eles cuidem dos quintais e evitem a proliferação do mosquito", afirmou.

Para colocar a campanha nas lojas, a ACICG e os parceiros disponibilizam ações educativas, com panfletagens, banners distribuídos pelo comércio, blitz de conscientização e incentivo aos empresários para que façam parte da parceria, produzindo eles mesmos os panfletos e materiais de divulgação da Liga Anti Mosquito.