Dourados – MS terça, 14 de julho de 2020
Dourados
25º max
17º min
Respeito à Vida/ALMS (Ramal)
Variedades

Sentir o velho morrendo e o novo chegando

04 Jan 2016 - 11h30
Benê Cantelli

Fazer um belo gesto de verossimilhança faz bem, entre o velho e o novo, neste momento. Vejo e sinto a ida do velhinho, como algo triste. Como a noite que se vai. Muitos dizem: “poxa, eu deveria ter feito”; outro, um pouco mais acolá, retruca: “fiz o que não devia, se tivesse pensado um pouco mais, com certeza teria evitado”. O fato é um só, de um lado e de outro, de alguma forma, o ANO VELHO vai deixando saudades e tristes lembranças.


Quantas pessoas famosas deixaram-nos. Quantos outros, inclusive, mais próximos, também. Duro é contar aqueles que fizeram parte de nossa vida terrena, como parentes. Uns foram embora com poucos anos de vivência. Outros, com muitos.


Quantos sonhos deixaram de ser realizados. Outros, nem sequer, foram sonhados. Tristezas de um lado, sobressaltos de outro. A vida não tem dó, vai surrando quem estiver distraído ou malevolente com ela.


A ideia que tenho sobre os anos quando estão indo embora e fechando a cortina de sua existência; é como uma ação vista e revista de uma cena de exéquias, onde o morto sem saber, recebe tantas visitas, algumas, sem nunca ter conhecido, em vida. Choro de um lado. Risos de outro. Comentários os mais diversos, normalmente os mais estúpidos, mas todos querem se despedir daquele que finda.


No entanto, as cenas vistas e vividas com aquele que nasce, são as mais diversas. Nunca vi alguém enraivecer e, muito menos, xingar aquele que nasce. Faz-se um sem número de propósitos, alegam-se um monte de “mea culpa mea culpa”, tentando dizer que, se no outro, não deu, agora vai dar certo. O interessante, diante de uma festa, onde se vangloria a chegada do NOVO ANO, é a forma feliz como todos se tratam. De verdade, nunca vi ninguém xingando ou blasfemando o novo que está chegando.


Incrível, há cenas em velório um pouco mais hilárias. Com relação ao “ano velho” os xingamentos, quando há motivos, são tapados, violados pela quantidade de bebidas que em sua maior parte são de origem alcoólica. Belo motivo, para esquecer o que já foi, pensam. No velório, as coisas acontecem sem a presença, normalmente, das tais bebidas. O choro, o lamento, muitas vezes, são os que mantém a emotividade que exige o momento.


Posso dizer que neste ano o Natal poderia ter sido mais movimentado. Poucas luzes (custo de energia), pouco som, alguns já começam a achar que o Natal deva ser curtido em silêncio. E, em verdade, me assustam aqueles grotescos soltadores de bombas ou rojões. A troco de quê e por quê? Talvez, se soubessem pelo menos, por alto, que ali se comemora o nascimento de uma criança, quem sabe dariam outra mira para seus rojões e bombas.


Realmente não foi um ano de Natal, como outros, ainda mais quando se confunde o resultado de poucas vendas, com o não sucesso dele. Creio que, por haver terminado tão mal o 2015, todos vão comemorar aos gritos a chegada do tão sonhado e desejado 2016. Quem sabe, tomara que isso aconteça, a falta do dinheiro nos coloque ainda mais próximos de Deus. Isso é o que nos interessa.


Sendo assim, é o que posso augurar a todos nossos companheiros do Jornal O Progresso e a todos aqueles que, por uma ou por todas as vezes que viram a matéria, se declinaram a lê-la. Obrigado e um generoso ano de 2016, bissexto para todos nós, pois, já vem com um dia há mais que os outros.


O que lhes desejo e a mim, também, é o melhor ano, ou aquele que Jesus achou por bem, nos conceder. Amém.

Professor e Campista. e-mail: [email protected]

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mulheres empreendedoras de Dourados e região se fortalecem através da Rede Evolução Mulher Empreendedora
Empreendedorismo

Mulheres empreendedoras de Dourados e região se fortalecem através da Rede Evolução Mulher Empreendedora

13/07/2020 15:34
Mulheres empreendedoras de Dourados e região se fortalecem através da Rede Evolução Mulher Empreendedora
Fotógrafo douradense abre mão da calmaria para caçar tornados em MS
Variedades

Fotógrafo douradense abre mão da calmaria para caçar tornados em MS

13/07/2020 09:37
Fotógrafo douradense abre mão da calmaria para caçar tornados em MS
Proposta determina que igrejas e templos sejam atividades essenciais na pandemia
Brasil

Proposta determina que igrejas e templos sejam atividades essenciais na pandemia

30/06/2020 18:10
Proposta determina que igrejas e templos sejam atividades essenciais na pandemia
Alimentação saudável é fundamental para fortalecer sistema imunológico
Entrevista

Alimentação saudável é fundamental para fortalecer sistema imunológico

24/06/2020 14:29
Alimentação saudável é fundamental para fortalecer sistema imunológico
Rodada internacional de negócios vai aproximar indústrias de alimentos e bebidas de MS
Bem-Estar

Rodada internacional de negócios vai aproximar indústrias de alimentos e bebidas de MS

10/06/2020 19:37
Rodada internacional de negócios vai aproximar indústrias de alimentos e bebidas de MS
Últimas Notícias