Dourados – MS domingo, 27 de setembro de 2020
Dourados
36º max
24º min
Pets

Procurador e produtor rural serão ouvidos amanhã na CPI do Cimi

16 Nov 2015 - 08h17
Deputados Onevan, Correa, Mara, Maruinhos e Kemp durante reunião da CPI. - Crédito: Foto: DivulgaçãoDeputados Onevan, Correa, Mara, Maruinhos e Kemp durante reunião da CPI. - Crédito: Foto: Divulgação
O procurador Marco Antônio Delfino e o produtor rural Raul das Neves serão os próximos a serem ouvidos pela CPI do Cimi (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga se o Conselho Indigenista Missionário é culpado por incitar e financiar invasões de terras particulares em Mato Grosso do Sul.

A oitiva acontece nesta terça-feira (17), a partir das 14h, no plenário Júlio Maia, da Assembleia Legislativa.
Raul é produtor rural da cidade de Rio Brilhante e sua propriedade faz divisa com a Fazenda Santo Antônio, invadida desde 2008.

Apesar estar com sua propriedade invadida, a fazenda serve como “corredor de passagem” para os indígenas acampados na fazenda vizinha, fato que tem gerado inúmeros problemas ao produtor e que permitiu que ele presenciasse  diversas movimentações do CIMI na comunidade.

Até agora, 13 pessoas foram ouvidas pela CPI do Cimi. Na semana passada, prestou depoimento o desembargador Alcir Gursen de Miranda, que tratou da questão da demarcação da terra indígena Raposa Serra do Sol.

A CPI do Cimi é presidida pela deputada estadual Mara Caseiro (PTdoB). Integram ainda o colegiado o relator, Paulo Corrêa (PR), o vice-presidente, Marquinhos Trad (PMDB), e os membros Pedro Kemp (PT) e Onevan de Matos (PSDB).

São suplentes os deputados Beto Pereira (PDT), Márcio Fernandes (PTdoB), Ângelo Guerreiro (PSDB), João Grandão (PT) e Antonieta Amorim (PMDB).

Instalação

A CPI do Cimi foi instalada no dia 29 de setembro. A primeira reunião aconteceu no dia 30, quando foram eleitos o presidente, o vice e o relator da comissão.

“O que nós queremos é investigar toda e qualquer denúncia que nos chegar com relação às invasões, e nós vamos apurar os fatos com absoluta imparcialidade, assegurando ampla defesa de todos que serão ouvidos”, comentou Mara Caseiro durante a primeira reunião da comissão.

Na opinião da deputada, a CPI será de grande utilidade para trazer à tona a verdade e revelar “qual o intuito das pessoas que entram nas comunidades indígenas falando que querem melhorar a qualidade de vida, mas levam essas pessoas ao confronto, buscando colocar a vida delas em risco, principalmente de mulheres e de crianças”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Prefeitura arcará com castração e vacinas de gatos e cães acolhidos
Em MS

Prefeitura arcará com castração e vacinas de gatos e cães acolhidos

17/09/2020 09:23
Prefeitura arcará com castração e vacinas de gatos e cães acolhidos
Projeto obriga síndico a comunicar maus-tratos de animais em condomínios
Brasil

Projeto obriga síndico a comunicar maus-tratos de animais em condomínios

15/09/2020 11:33
Projeto obriga síndico a comunicar maus-tratos de animais em condomínios
“Muita gente desconta no animal, como se ele tivesse culpa”, diz criadora de abrigo
Cães abandonados

“Muita gente desconta no animal, como se ele tivesse culpa”, diz criadora de abrigo

13/09/2020 09:05
“Muita gente desconta no animal, como se ele tivesse culpa”, diz criadora de abrigo
Senado aprova aumento de pena para agressores de cães e gatos
Maus-tratos

Senado aprova aumento de pena para agressores de cães e gatos

10/09/2020 13:38
Senado aprova aumento de pena para agressores de cães e gatos
Tutores de animais de estimação devem ficar atentos a produtos de limpeza
Pets

Tutores de animais de estimação devem ficar atentos a produtos de limpeza

03/09/2020 12:03
Tutores de animais de estimação devem ficar atentos a produtos de limpeza
Últimas Notícias