Dourados – MS quinta, 13 de agosto de 2020
Dourados
26º max
16º min
Segurança e Saúde JBS
Pets

Oposição lança comitê para retomar movimento pró-impeachment

24 Fev 2016 - 06h00
Líderes de partidos de oposição na Câmara anunciam a criação de um comitê pró-impeachment. - Crédito: Foto: Antônio Cruz/Agência BrasilLíderes de partidos de oposição na Câmara anunciam a criação de um comitê pró-impeachment. - Crédito: Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil
Lideranças dos partidos de oposição na Câmara dos Deputados anunciaram ontem (23), a criação de um comitê pró-impeachment para sair às ruas do País em defesa do afastamento da presidente Dilma Rousseff.


Segundo o líder do DEM, deputado Pauderney Avelino (AM), esse comitê será formado por políticos de vários partidos, inclusive da base governista, e entidades da sociedade.


“Esse movimento se alastrará pelas ruas do Brasil, pelas praças. Vamos fazer movimentos pontuais, sem prejuízo das nossas ações no Congresso Nacional”, afirmou Avelino.


Ele participou de reunião entre os partidos de oposição na Câmara, com representantes do PPS, do PSDB, do PSB e do Solidariedade, além do DEM.


Os deputados pretendiam ler ainda ontem, no Plenário, um manifesto sobre as ações que serão tomadas pelo comitê pró-impeachment, que terá CNPJ e receberá doações.


A oposição também vai apoiar o protesto pró-impeachment convocado para 13 de março pelos movimentos Vem pra Rua e Brasil Livre.


Planalto afetado


Os parlamentares oposicionistas entendem que os fatos revelados na Operação Acarajé, deflagrada na segunda-feira (22) pela Polícia Federal, demonstram que a Lava Jato chegou ao Palácio do Planalto.


Na nova etapa da operação, foi expedido um mandado de prisão temporária do publicitário João Santana, que trabalhou nas campanhas eleitorais da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ambos do PT. Investigadores suspeitam que Santana tenha sido pago com dinheiro de propina relativa a contratos da Petrobras.


“A população não deseja mais ver a presidente Dilma governando o País depois do estelionato eleitoral. Diante disso, nós temos que apoiar os movimentos para que isso definitivamente tome conta do Congresso Nacional”, disse o líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR).

Questionar o STF


Os oposicionistas anunciaram ainda que vão marcar uma reunião com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, para questionar a decisão da Corte de invalidar, em dezembro, a chapa avulsa adotada pela Câmara para formar a comissão que analisaria o pedido de impeachment da presidente Dilma.


Os deputados também querem agilidade do Supremo na análise dos embargos apresentados pela Mesa Diretora da Câmara, questionando o rito do impeachment.


Na avaliação do deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), o Congresso está parado em razão desse impasse. “Não podemos mais aceitar o Brasil completamente paralisado; a atividade industrial, parada; milhares de trabalhadores perdendo emprego; e o Congresso e o governo, paralisados. O Congresso está paralisado por causa da decisão do Supremo. Nós precisamos decidir e fazer andar, votar se tem impeachment ou não, para que o Brasil possa voltar a crescer”.



Votações

Na contramão da oposição, o líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), defendeu que as investigações da Polícia Federal em andamento não impeçam o avanço das votações no Congresso. “Queremos votar as matérias de interesse do País”, declarou ontem (23).


Guimarães disse também estar seguro de não ter havido dinheiro de caixa dois na campanha presidencial de Dilma Rousseff. “Estou seguro que a campanha da Dilma não fez uso desses desvios. A do candidato adversário também recebeu dinheiro. Nós queremos que o TSE [Tribunal Superior Eleitoral] apure se houve ou não caixa dois e dinheiro desviado na campanha do candidato adversário”.

Pauta


O governo trabalha pela votação nesta semana de principalmente duas propostas: a que regulamenta o teto do funcionalismo público (PL 3123/15) e a que tipifica o crime de terrorismo (PL 2016/15). Os dois projetos foram apresentados pelo Poder Executivo e estão com prazo de urgência constitucional vencido, impedindo que outras matérias sejam votadas antes deles.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Délia empossa Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais
Dourados

Délia empossa Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais

11/08/2020 11:37
Délia empossa Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais
Domingo tem live da Refúgio dos Bichos para auxílio aos animais resgatados
Live Solidária

Domingo tem live da Refúgio dos Bichos para auxílio aos animais resgatados

06/08/2020 13:02
Domingo tem live da Refúgio dos Bichos para auxílio aos animais resgatados
CCZ segue com vacinação antirrábica sábado na Seleta e escola Aurora
Vacina Antirrábica

CCZ segue com vacinação antirrábica sábado na Seleta e escola Aurora

24/07/2020 13:04
CCZ segue com vacinação antirrábica sábado na Seleta e escola Aurora
Adoção de animais domésticos é opção em meio ao isolamento social
Adoção de Pets

Adoção de animais domésticos é opção em meio ao isolamento social

28/05/2020 15:31
Adoção de animais domésticos é opção em meio ao isolamento social
Últimas Notícias