Dourados – MS sábado, 26 de setembro de 2020
Dourados
38º max
21º min
PROBLEMAS

Contra a ferrugem, que cresceu 268%, MS inicia dia 15 o vazio sanitário

05 Jun 2016 - 15h27
Ferrugem asiática em lavoura de soja em Mato Grosso do Sul - Crédito: Foto: Reprodução/TV Morena/DivulgaçãoFerrugem asiática em lavoura de soja em Mato Grosso do Sul - Crédito: Foto: Reprodução/TV Morena/Divulgação
O número de casos de ferrugem asiática da soja na safra 2015/2016 cresceu 268% em Mato Grosso do Sul em comparação com o ciclo anterior 2014/2015, passando de 19 para 70 registros, segundo dados do Consórcio Antiferrugem, a parceria público-privada de combate a doença, uma das principais a atingir das lavouras da oleaginosa.

Para prevenir e controlar a doença, começa no dia 15 de junho, conforme calendário determinado pela Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), o período do vazio sanitário da soja em Mato Grosso do Sul.

Por um período de 90 dias os produtores não poderão cultivar o grão no estado e ainda deverão eliminar todas as plantas voluntárias, conhecidas como guaxas ou tigueras, nas propriedades, seja por meio de processos mecânicos ou químicos.

Para Christiano Bortolotto, presidente da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS), o vazio sanitário é de fundamental importância. "Ele garante a rentabilidade do produtor, já que diminui a necessidade de utilização de outros métodos de controle de doenças na lavoura. Gastando menos no combate de doenças, há economia direta nos custos de produção do agricultor", explica.

"Essa e outras doenças causam grandes perdas nas lavouras e enfraquecem a produção, elevando custos e gerando maior impacto ambiental. Portanto, o vazio não pode ser descumprido. O produtor precisa se manter consciente de que esse é o principal mecanismo de combate ao desenvolvimento de ferrugem asiática", completa.

O descumprimento das normas do vazio, de acordo com a legislação estadual, pode implicar em autuação da Iagro e multa de até mil unidades fiscais estaduais de referência (Uferms), que com a cotação de junho em R$ 23,63, pode representar até R$ 23.630.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Prefeitura arcará com castração e vacinas de gatos e cães acolhidos
Em MS

Prefeitura arcará com castração e vacinas de gatos e cães acolhidos

17/09/2020 09:23
Prefeitura arcará com castração e vacinas de gatos e cães acolhidos
Projeto obriga síndico a comunicar maus-tratos de animais em condomínios
Brasil

Projeto obriga síndico a comunicar maus-tratos de animais em condomínios

15/09/2020 11:33
Projeto obriga síndico a comunicar maus-tratos de animais em condomínios
“Muita gente desconta no animal, como se ele tivesse culpa”, diz criadora de abrigo
Cães abandonados

“Muita gente desconta no animal, como se ele tivesse culpa”, diz criadora de abrigo

13/09/2020 09:05
“Muita gente desconta no animal, como se ele tivesse culpa”, diz criadora de abrigo
Senado aprova aumento de pena para agressores de cães e gatos
Maus-tratos

Senado aprova aumento de pena para agressores de cães e gatos

10/09/2020 13:38
Senado aprova aumento de pena para agressores de cães e gatos
Tutores de animais de estimação devem ficar atentos a produtos de limpeza
Pets

Tutores de animais de estimação devem ficar atentos a produtos de limpeza

03/09/2020 12:03
Tutores de animais de estimação devem ficar atentos a produtos de limpeza
Últimas Notícias