Dourados – MS terça, 20 de outubro de 2020
Dourados
32º max
20º min
Influx
Variedades

GM expõe Volt no Brasil em junho

30 Mai 2011 - 13h10
Chevrolet Cruze Hatch - Crédito: Foto: DivulgaçãoChevrolet Cruze Hatch - Crédito: Foto: Divulgação
O centenário da marca Chevrolet será mais do que comemorado pela General Motors. A companhia vive momento positivo de pós-crise, com as contas em dia e as vendas em alta. E o símbolo dessa nova fase chama-se Chevrolet Cruze. O carro global da marca já teve 219 mil unidades emplacadas em todo o mundo em quatro meses de vendas.

\"É um sucesso que há muito tempo não vemos\", afirma o vice-presidente da General Motors do Brasil, Marcos Munhoz. A maior parte das vendas do modelo se concentra nos Estados Unidos e na China, mas a Chevrolet também aposta no Brasil, que receberá o carro entre agosto e setembro. Porém, apesar da estreia próxima, quem estará antes no país será o elétrico Volt.

O carro poderá ser visto pelo público a partir de 18 de junho, durante o evento Skol Sensation, em São Paulo. A ação visa reforçar a imagem da marca, já que o carro está longe de ser vendido no país.

De acordo com o diretor de marketing da General Motors do Brasil, Gustavo Colossi, o carro vai circular por todo o país, para promover a capacidade tecnológica da fabricante. Colossi diz ser muito difícil lançar o modelo no mercado nacional, por causa do alto custo.

\"Ainda é uma tecnologia muito cara e o governo brasileiro não dá incentivos. Como não é um carro de luxo, o preço final não compensaria\", ressalta. Segundo ele, o público no Brasil mais interessado pelo carro seriam empresas com foco na promoção do conceito de sustentabilidade. \"As próprias companhias energéticas mostram grande interesse.\"

Por isso, a grande estrela no Brasil no centenário da Chevrolet, comemorado em 3 de novembro, será o Cruze. Ele tem como proposta ser um carro diferenciado no mercado brasileiro, pronto para substituir o Vectra sedã e o hatch GT ou até mesmo o Astra. \"Vai depender da reação do mercado\", pondera Marcos Munhoz.

O Brasil é o segundo país em importância para Chevrolet, atrás somente dos Estados Unidos. Em 2010, foram vendidas 657 mil unidades no país. Para este ano, a expectativa é crescer entre 4% e 5%, para 690 mil unidades. \"No fim do ano passado nossa previsão chegava a 6%, mas os números de maio mostram uma acomodação do mercado\", observa Munhoz.

Segundo o executivo, a China deverá ultrapassar o Brasil em vendas para a Chevrolet no ano que vem. Mesmo assim, o mercado brasileiro continuará sendo um dos três pilares que sustentam a marca. México e Argentina são o quarto e o quinto mais importantes, respectivamente.

A Chevrolet está presente em 138 países – com a mudança na Coreia do Sul, antes sob a marca Daewoo. O forte investimento em plataformas globais veio com a crise, para reduzir custos, mas sem deixar de atender a gostos específicos de cada mercado. \"As plataformas globais vieram como necessidade após a crise que começou em 2008 e estão dando certo\", diz Munhoz.

Para o Brasil, Gustavo Colossi afirma que a tendência para os próximos anos é de maior demanda por segurança, design e sistemas integrados. Já os novos motores estarão cada vez menores, mas com tecnologia turbo, o que garante mais potência.

Conforto é outro quesito que ganhará mais peso, especialmente nos mercados emergentes. Ar-condicionado de série é um dos itens que compõem a lista. \"No mercado emergente, existem atributos que marcarão diferença, como conforto\", destaca Colossi.

Tecnologia e automobilismo

Para atingir um produto que satisfaça o consumidor sem distorção de preço ou queda da qualidade, a GM do Brasil optou por expandir a gama de produtos o máximo possível. \"Essa é a saída adotada pela GM, mas também pela Ford e pela Volkswagen. O perfil do mercado brasileiro mudou, está muito mais diversificado\", analisa Munhoz, ao se referir aos lançamento previstos até 2013, para renovação do portfólio da montadora.

Enquanto a Chevrolet no Brasil se concentra no Cruze e nos modelos compactos do projeto Ônix que estão por vir, entre outros, na China a marca também aposta no Cruze e no Sail, o Classic deles. Porém, em mercados maduros como o norte-americano, a briga é por tecnologia. Por isso, os investimentos em competições como a Fórmula Indy são tão altos. O vice-presidente da GM nos Estados Unidos para veículos de alta performance, Jim Campbell, destaca que tecnologias que das pistas foram para o consumidor final, como a injeção direta de combustível e a turbo, mostram que a fórmula encontrada por Louis Chevrolet continua a funcionar, mesmo 100 anos depois.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Turismo no Mato Grosso do Sul conquista selo Safe Travels, da WTTC
Selo internacional

Turismo no Mato Grosso do Sul conquista selo Safe Travels, da WTTC

04/10/2020 11:13
Turismo no Mato Grosso do Sul conquista selo Safe Travels, da WTTC
"Jorjão" oferece atividades remotas para todos os públicos
Recreação

"Jorjão" oferece atividades remotas para todos os públicos

25/09/2020 07:23
"Jorjão" oferece atividades remotas para todos os públicos
Empresa de estúdio fotográfico é condenada por cobrança indevida
Condenação

Empresa de estúdio fotográfico é condenada por cobrança indevida

21/09/2020 16:57
Empresa de estúdio fotográfico é condenada por cobrança indevida
MTur disponibiliza R$ 13,5 milhões para ações de retomada do turismo nos estados
Turismo

MTur disponibiliza R$ 13,5 milhões para ações de retomada do turismo nos estados

21/09/2020 10:36
MTur disponibiliza R$ 13,5 milhões para ações de retomada do turismo nos estados
O julgamento de Deus
Artigo

O julgamento de Deus

17/09/2020 08:51
O julgamento de Deus
Últimas Notícias