Dourados – MS quinta, 28 de outubro de 2021
Dourados
32º max
21º min
Ranking Valor Econômico
Variedades

Fiança penal: algumas considerações

10 Fev 2011 - 16h05
Fiança penal: algumas considerações -

#Fiança penal: algumas considerações

#####José Carlos de Oliveira Robaldo*



O tema é oportuno, sobretudo em face da notícia veiculada nesta última terça-feira sobre o motorista que foi preso e liberado em face do pagamento de fiança de 310,00 reais, porque, embriagado, transitou pela movimentada rodovia paulista Mal Rondon por cerca de 10 quilômetros na contramão de direção, o que obrigou inúmeros veículos que transitavam em suas mãos de direção, a desviá-lo para evitar acidentes.

A crítica, sobretudo, por parte da imprensa, recai sobre dois aspectos, de um lado quanto à possibilidade da concessão da fiança em tais circunstâncias e de outro, sobre o valor irrisório da mesma.

O instituo da fiança, embora desmoralizado, desde que bem aplicado, exerce um papel importante como forma de liberdade provisória, pois impede a continuidade da prisão em flagrante em determinadas infrações penais, desde que presentes determinados requisitos estabelecidos pela própria lei processual penal. A rigor, o instituto visa evitar prisões desnecessárias.

Fiança penal, grosso modo, é o pagamento pela própria liberdade provisória, na forma de caução real, permitido constitucionalmente. A sua concessão pode ser realizada pela autoridade policial como pelo juiz. A regra é que seja concedida pelo juiz e excepcionalmente pelo delegado de polícia. O CPP estabelece as hipóteses em que a concessão pode ser pelo delegado que formalizou a prisão em flagrante.

O atual Código de Processo Penal (CPP), em seu art. 323, estabelece as hipóteses onde não se permite a concessão de fiança. Dentre elas, nos crimes punidos com reclusão em que a pena mínima cominada for superior a 2 (dois) anos; nos crimes dolosos punidos com pena privativa de liberdade, se o réu já tiver sido condenado por outro crime doloso, em sentença transitada em julgado; nos crimes punidos com reclusão, que provoquem clamor público ...

Na hipótese do motorista acima mencionado, não se enquadra no primeiro exemplo porque a pena mínima cominada à infração de transito por ele cometido é inferior a 2 anos; em relação à eventual condenação anterior, provavelmente tenha sido verificado, pela polícia, a sua inexistência, essa constatação é possível; talvez, o que poderia obstar a concessão fosse o “clamor público”.

A questão “clamor público”, conquanto de interpretação polêmica, no caso, poderia, em tese, obstar a concessão da fiança por parte do delegado. A favor dessa assertiva há entendimentos de que a brutalidade do delito provoca comoção no meio social ou indignação na opinião pública, eis que se levando em conta a gravidade dos fatos, como se tem afirmado, “não está fora de propósito argumentar sobre a ocorrência de clamor público”.

Esses fundamentos poderiam, no caso, ser levados em consideração pela autoridade policial, para não conceder a fiança, em face, sobretudo, do perigo que a conduta do motorista causou à saúde e à vida de várias pessoas. No entanto, ao que parece, o delegado lançou mão da interpretação de que o clamor social não se presta para fundamentar a não concessão da fiança.

No que concerne ao valor da fiança, sinceramente não entendi a matemática utilizada pela autoridade policial que concedeu a fiança. O CPP, no seu art. 325 estabelece que em se tratando de crime punido com pena privativa de liberdade acima de 2 até 4 anos, o valor da fiança varia de 5 a 20 s.m. No caso, como a pena prevista para quem dirige em tais circunstâncias é de 6 meses a 3 anos de detenção, se aplicaria o patamar de 5 a 20 s.m.. Para a fixação do valor da fiança, leva-se em consideração a situação econômica do afiançado, podendo ser aumentada ou diminuída.

No caso, mesmo que o delegado tivesse aplicado a maior diminuição (2/3) assim mesmo não chegaria aos 310,00 reais, o que, a meu ver, justifica a crítica e indignação exteriorizada pela imprensa.

Com efeito, no caso concreto, pelo que foi noticiado, dá para se concluir que era possível o indeferimento da fiança ou ser fixada em valor superior.

Deixe seu Comentário

Leia Também

A importância do Pet na vida da família
Dia Mundial dos Animais

A importância do Pet na vida da família

04/10/2021 15:00
A importância do Pet na vida da família
Saiba quem é o brasileiro premiado por foto de jacaré morto na seca
Variedades

Saiba quem é o brasileiro premiado por foto de jacaré morto na seca

30/09/2021 17:00
Saiba quem é o brasileiro premiado por foto de jacaré morto na seca
Mato Grosso do Sul é destino destaque no Fórum de Turismo LGBT 2021
Turismo

Mato Grosso do Sul é destino destaque no Fórum de Turismo LGBT 2021

29/09/2021 16:15
Mato Grosso do Sul é destino destaque no Fórum de Turismo LGBT 2021
Há 150 anos, Lei do Ventre Livre era assinada
Lei do Ventre Livre

Há 150 anos, Lei do Ventre Livre era assinada

28/09/2021 09:30
Há 150 anos, Lei do Ventre Livre era assinada
Câncer em cães e gatos é cada vez mais comum, afirma veterinário
IMPRESSO

Câncer em cães e gatos é cada vez mais comum, afirma veterinário

05/07/2021 13:00
Câncer em cães e gatos é cada vez mais comum, afirma veterinário
Últimas Notícias