Dourados – MS segunda, 21 de setembro de 2020
Dourados
26º max
15º min
Conjuntura

Cultural

05 Jul 2016 - 06h00
Se a Justiça levar a ferro e fogo as doações de campanhas eleitorais feitas por empresas a políticos - sejam eles do poder Executivo ou Legislativo – derrubaria o Congresso inteiro, governadores e até alguns prefeitos.


Isso porque, ninguém até hoje se elegeu a nenhum cargo público dessa envergadura sem o aporte financeiro da iniciativa privada. Isso se tornou prática comum e, por essa razão, a coisa mais normal do mundo.
A não ser que alguns paguem a conta pela maioria, o que, convenhamos, seria injusto.

##### Money e grade


É grande a expectativa em torno da candidatura de petistas e peemedebistas a prefeito e a vereador de Campo Grande. É que os dois partidos sofrem os efeitos devastadores da roubalheira generalizada em que se transformaram o país. Em razão disso, o povo está com os dois pés atrás quando ouve a pronúncia nome dessas duas siglas.


Sem poderem contar com o dinheiro da iniciativa privada, vão precisar convencer os amigos a emprestar a grana necessária. Alguns, inclusive, têm ainda a dona justa na cola pronta para dar o bote.

##### Corrida


Com avaliação regular em pesquisa recentemente divulgada, o prefeito Alcides Bernal (PP) terá que lutar muito por um segundo turno e tentar uma boa coligação se quiser permanecer no Paço Municipal. Seus concorrentes diretos, entre eles, Rose Modesto (PSDB) e Marquinhos Trad (PSD), lutam no maior quieto diariamente para conquistar o voto do campo-grandense. A disputa está em aberto e vai se eleger quem for mais competente na campanha.


A questão financeira é o maior complicador, uma vez que a lei impede grandes doações.

##### Perfil


O crescimento do uso das redes sociais não ficou restrito à população, também alcançou as administrações públicas, inclusive às prefeituras.


Com a aproximação do processo eleitoral e com a série de condutas vedadas impostas, alguns gestores locais desativaram perfis oficiais e alguns casos cancelaram as contas temporariamente.

##### Cuidado


Desde o último sábado (2), até a posse dos eleitos, os municípios precisam redobrar atenção com ações que podem levar a nulidade de pleito.


O artigo 73 da lei 9.504/1997 das eleições proíbe aos agentes públicos diversas condutas passíveis de alterar a igualdade de oportunidades entre os candidatos nas eleições. O texto legal proíbe a publicidade institucional dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos federais, estaduais ou municipais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Empresa de estúdio fotográfico é condenada por cobrança indevida
Condenação

Empresa de estúdio fotográfico é condenada por cobrança indevida

21/09/2020 16:57
Empresa de estúdio fotográfico é condenada por cobrança indevida
MTur disponibiliza R$ 13,5 milhões para ações de retomada do turismo nos estados
Turismo

MTur disponibiliza R$ 13,5 milhões para ações de retomada do turismo nos estados

21/09/2020 10:36
MTur disponibiliza R$ 13,5 milhões para ações de retomada do turismo nos estados
O julgamento de Deus
Artigo

O julgamento de Deus

17/09/2020 08:51
O julgamento de Deus
Professor de Medicina explica sobre a qualidade do sono
Saúde

Professor de Medicina explica sobre a qualidade do sono

13/09/2020 10:11
Professor de Medicina explica sobre a qualidade do sono
“Muita gente desconta no animal, como se ele tivesse culpa”, diz criadora de abrigo
Cães abandonados

“Muita gente desconta no animal, como se ele tivesse culpa”, diz criadora de abrigo

13/09/2020 09:05
“Muita gente desconta no animal, como se ele tivesse culpa”, diz criadora de abrigo
Últimas Notícias