Dourados – MS segunda, 26 de outubro de 2020
Dourados
28º max
20º min
Influx
Variedades

ASX, o primeiro 4x4 urbano em Dourados

31 Dez 2010 - 11h17
Designer do ASX tem um estilo amigável com uma dose de esportividade
 - Crédito: Foto: DivulgaçãoDesigner do ASX tem um estilo amigável com uma dose de esportividade - Crédito: Foto: Divulgação
DOURADOS – A Endo Motors, concessionária Mitsubishi na Região da Grande Dourados, recebeu esta semana, os primeiros Mitsubishi ASX AWD, versão 4x4 e o 4x2 AT/MT. Um veiculo imponente que tem como grande atrativo o preço, chega para brigar de frente com concorrentes como o CRV da Honda, IX35 da Hyundai. O crossover Mitsubishi ASX foi lançado oficialmente no Brasil no Salão do Automóvel. O modelo tem preços entre R$ 81.600 e R$ 93.990. Seu motor é um 2.0 de 160 cavalos em todas as suas versões, e o câmbio é do tipo CVT. Os primeiros que chegaram ao Brasil vieram do Japão, e a partir de 2012 será feito no Brasil.

A Mitsubishi até possui veículos que podem agradar a quem busca um SUV menor, como o TR-4, ou um crossover, como o Outlander, mas o primeiro está posicionado na faixa de R$ 70.000, enquanto o segundo não sai por menos de R$ 99.990, salvo promoções.

Dos 10 veículos mais emplacados, sete têm versões entre R$ 80.000 e R$ 95.000 e nenhum deles têm a aventura em suas propostas. São apenas opções confortáveis para os centros urbanos. E é aí que a Mitsubishi quer enfiar o ASX. Além de tudo, será o primeiro utilitário com opção de tração 4x2 da marca no Brasil. Os preços: a versão de entrada, com tração dianteira apenas, parte de R$ 81.600 na opção manual e chega a R$ 86.900 com câmbio automático. O 4x4 sai por R$ 93.990. Todas terão motor 2.0 16V de 160 cv.

Feito na planta de Okazaki, a mesma do Outlander — com o qual compartilha a plataforma e 70% dos componentes —, o ASX está no meio do caminho entre um SUV pequeno e um crossover médio. Tem 4,29 m de comprimento (3 cm a menos que um Hyundai Tucson), 1,61 m de altura (2 cm menor que um Kia Sportage), 1,77 m de largura e 2,67 m de entre-eixos (4 cm a mais que um CR-V). Essas dimensões não fazem dele um carro imponente, mas amedrontar está longe de ser sua intenção.

O trabalho de design tomou por base o sentido de familiaridade da marca, iniciado com o Lancer e adaptado de maneira elogiável no ASX. A Mitsubishi até divulgou em nota que a dianteira, chamada de Jet Fighter Grill, o deixa com “cara de mau”. No entanto, a impressão se esvai ao olhá-lo como um todo. O crossover passa a impressão de ser um familiar moderno, com uma ousadia limitada. A linha de cintura ascendente reforça essa sensação, que caminha ao lado do toque esportivo na carroceria.

Na traseira, o visual pode ser confundido com o do Audi Q5, mas não em detrimento do Mitsubishi. Afinal, é até bom parecer com o alemão. Segundo o chefe de design do ASX, Hioriuki Abe, “a intenção foi dar dinamismo em todas as partes do ASX. Onde você olhar, terá a impressão de que o carro está prestes a se mover. E atrás fizemos com que ele parecesse mais largo”. O designer acertou em cheio. Uniu um estilo amigável com uma dose de esportividade e a boa impressão de parecer maior do que é.

Por dentro, a tal jovialidade externa quase some. O interior é sóbrio, usa materiais suaves e corrobora com a intenção do design de “mesclar as qualidades de um SUV e um sedã”. Sobra espaço para os passageiros, e o porta-malas tem capacidade para 416 litros. Ele pode vir equipado com bancos de couro (com ajustes elétricos opcionais) e traz 15 porta-objetos espalhados pela cabine. Sua direção com assistência elétrica é ajustável em altura e distância de série, assim como o ar-condicionado digital, as rodas de 16” e o botão de partida sem chave. Dentre os opcionais, disponíveis apenas na versão mais cara, estão o teto solar panorâmico e os faróis de xenônio.

Por falar neles, as luzes do ASX se diferenciam por terem refletores na base, o que aumenta em 30% o campo de visão do motorista. Outro bom exemplo que o Mitsubishi oferece no aspecto segurança pode ser visto nos para-lamas dianteiros feitos de Noryl, material plástico resistente e menos agressivo ao pedestre em caso de colisão.

O crossover traz também, desde a versão básica, freios com ABS, EBD e BAS (auxílio em frenagens de emergência), além dos sete airbags, incluindo os de joelhos, assim como o controle eletrônico de estabilidade ASC.

#####SEGURANÇA

Segurança, aliás, faz parte do discurso do presidente da Mitsubishi no Brasil. Robert Rittscher assegura que, mesmo trazendo pela primeira vez um veículo urbano com tração 4x2, a marca não perderá força no segmento 4x4. “Queremos buscar consumidores que ainda não nos viam como opção. Além disso, a questão do 4x4 não é só imagem, é segurança acima de tudo, e creio que nossos clientes pensem assim”.

A Mitsubishi é especialista em projetar e construir SUVs e crossovers, mas o ASX não nasceu assim. Na sua primeira aparição, como Concept Cx (no Salão de Frankfurt de 2007), ele estava mais para um PT Cruiser do futuro do que para o veículo que surgiu no fim da história.

Daquela ideia, só sobrou o X, de crossover, e o compromisso inicial de entregar prazer ao dirigir com muito espaço interno. Segundo o chefe de design do projeto do ASX, Hioriuki Abe, “tínhamos de fazer algo de tamanho inteligente, dinâmico, que ainda aliasse a identidade da marca, mas sem se parecer com o Lancer Evo X, do qual partiu a inspiração da dianteira, desde o Concept Cx\".

Além disso, havia o compromisso com a \"fluidez dinâmica”. No final, o resultado foi comemorado. O ASX tem um grande entre-eixos mas também um “quê” de carro compacto. Além disso, o seu coeficiente aerodinâmico ficou em 0,33.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Turismo no Mato Grosso do Sul conquista selo Safe Travels, da WTTC
Selo internacional

Turismo no Mato Grosso do Sul conquista selo Safe Travels, da WTTC

04/10/2020 11:13
Turismo no Mato Grosso do Sul conquista selo Safe Travels, da WTTC
"Jorjão" oferece atividades remotas para todos os públicos
Recreação

"Jorjão" oferece atividades remotas para todos os públicos

25/09/2020 07:23
"Jorjão" oferece atividades remotas para todos os públicos
Empresa de estúdio fotográfico é condenada por cobrança indevida
Condenação

Empresa de estúdio fotográfico é condenada por cobrança indevida

21/09/2020 16:57
Empresa de estúdio fotográfico é condenada por cobrança indevida
MTur disponibiliza R$ 13,5 milhões para ações de retomada do turismo nos estados
Turismo

MTur disponibiliza R$ 13,5 milhões para ações de retomada do turismo nos estados

21/09/2020 10:36
MTur disponibiliza R$ 13,5 milhões para ações de retomada do turismo nos estados
O julgamento de Deus
Artigo

O julgamento de Deus

17/09/2020 08:51
O julgamento de Deus
Últimas Notícias