Dourados – MS sábado, 11 de julho de 2020
Dourados
31º max
14º min
Variedades

A mídia liberal e seus ataques organizados

20 Fev 2016 - 07h00
Wilson Valentim Biasotto


Tive a oportunidade de aprender e ensinar, o processo político brasileiro, desde o “descobrimento” até os dias atuais e nunca me defrontei com uma campanha midiática tão exacerbada contra um partido e um governo.
Após a independência foram organizados dois grandes partidos políticos: o Liberal (Luzias) e o Conservador (Saquaremas). Sobre eles disse Holanda Cavalcanti “Nada se assemelha mais a um “saquarema” do que um “luzia” no poder”, logo, não se pode dizer que houve perseguição a esses partidos. A oposição jornalística ao Império tinha como destaque o jornal “A Federação” do Rio Grande do Sul e o Aurora Fluminense, fundado por Evaristo da Veiga, que divulgavam ideias republicanas.


Com a República, de 1889 até 1930, existiram no Brasil em torno de vinte partidos políticos, a maioria de caráter regionalista, a exemplo do Partido Republicano Paulista, e do Partido Democrático do Rio de Janeiro. Não consta a existência, nesse período, de jornais incisivamente contrários aos governos do período.
Em 1930 Washington Luís foi deposto e Getúlio Vargas assumiu. Em 1937 estabeleceu o Estado Novo, um regime ditatorial que se prolongou até 1945. Nesse período o governo Vargas provocou intensa perseguição ao Partido Comunista que viveu na clandestinidade. Mais tarde, em 1965, o Partido foi extinto pela ditadura, renascendo em 1985.


Em 1951 Getúlio voltou à presidência, dessa feita eleito democraticamente. Foi quando aconteceu a primeira grande ofensiva da imprensa conservadora contra um presidente eleito. Globo, Estadão, Folha e Carlos Lacerda, por intermédio da Tribuna da Imprensa, empenhavam-se em formar opinião pública contraria a Getúlio.
Samuel Wainer com o incentivo de Getúlio criou o jornal Última Hora, que se encarregava da defesa do governo, mas não era tão poderoso quanto os demais, que contavam com o apoio de militares e civis que conspiravam para a derrubada do governo. Um atentado a Carlos Lacerda foi a gota d’água, o golpe parecia iminente, todavia, dezenove dias após esse atentado, Getúlio desfere um tiro no peito e deixa uma carta comovente. O povo saiu às ruas, os golpistas recuaram e a tomada de poder foi adiada em dez anos.


Em 1961 nova tentativa de golpe quando da renúncia do presidente Jânio Quadros, seu vice, João Goulart, estava na China e os golpistas desejavam prendê-lo quando chegasse. Leonel Brizola transferiu os transmissores da Rádio Guaíba para os porões do Palácio do Governo e, a partir daí, organizou a Rede da Legalidade, com 104 emissoras do Brasil e do exterior. Mais uma vez o golpe foi adiado.


Em 1964, Globo, Estadão, Folha entre outros deram total apoio ao golpe militar que implantou a ditadura mais cruel que o país experimentou. A opinião pública formada por esses órgãos de imprensa levou milhares de pessoas às ruas para aplaudir a deposição de João Goulart. A Rádio Mayrink Veiga, que defendia a legalidade, foi fechada.


Com a queda do regime ditatorial em 1985, iniciamos a redemocratização do país que permanece até hoje. Em 2003, pela primeira vez na história, assumiu a presidência um operário de esquerda que governou oito anos e conseguiu eleger uma mulher, sua sucessora que, por sua vez, cumpre o seu segundo mandato.


Inconformada a direita brasileira tem lançado mão da mídia conservadora para tentar fazer a opinião pública tornar-se favorável a um golpe. As boas notícias não são veiculadas e todo dia há algo de novo objetivando desconstruir o governo Dilma e, temendo a volta de Lula em 2018, ataca-o por todos os flancos. Lado a lado com essa mídia, parte da PF e o juiz Moro praticam uma espécie de terrorismo com luvas de pelica, um terrorismo psicológico, que fez com que mais de cinquenta delatores falassem o que eles queriam ouvir e escondessem o que não queriam.


O golpe está preparado, nunca se viu na história do Brasil um partido, uma presidente e um ex-presidente serem tão perseguidos. Mas nada de concreto se prova. O povo que só vê a Globo forma uma opinião distorcida, no entanto a blogosfera se encarrega de transmitir o que o PIG esconde. Até Élio Gaspari já advertiu que “Numa noite, vários presos entraram na cela onde eles (da lava a jato) estavam, urinaram, defecaram e foram-se embora. Dias depois, os prisioneiros se ofereceram para colaborar com a Justiça“.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Proposta determina que igrejas e templos sejam atividades essenciais na pandemia
Brasil

Proposta determina que igrejas e templos sejam atividades essenciais na pandemia

30/06/2020 18:10
Proposta determina que igrejas e templos sejam atividades essenciais na pandemia
Alimentação saudável é fundamental para fortalecer sistema imunológico
Entrevista

Alimentação saudável é fundamental para fortalecer sistema imunológico

24/06/2020 14:29
Alimentação saudável é fundamental para fortalecer sistema imunológico
Rodada internacional de negócios vai aproximar indústrias de alimentos e bebidas de MS
Bem-Estar

Rodada internacional de negócios vai aproximar indústrias de alimentos e bebidas de MS

10/06/2020 19:37
Rodada internacional de negócios vai aproximar indústrias de alimentos e bebidas de MS
AApoiadores Dourados realiza leilão virtual em prol do Hospital de Amor
Leilão Virtual

AApoiadores Dourados realiza leilão virtual em prol do Hospital de Amor

27/05/2020 17:30
AApoiadores Dourados realiza leilão virtual em prol do Hospital de Amor
Isolamento social dispara venda de produtos eróticos em Dourados
Variedades

Isolamento social dispara venda de produtos eróticos em Dourados

19/05/2020 18:34
Isolamento social dispara venda de produtos eróticos em Dourados
Últimas Notícias