Dourados – MS sábado, 13 de abril de 2024
29º
Segurança

Projeção indica queda de 6% no número de assassinatos em 2023

Estimativa, preliminar, é do Ministério da Justiça e Segurança Pública

21 Dez 2023 - 19h15Por Alex Rodrigues, Agência Brasil - Brasília
Projeção indica queda de 6% no número de assassinatos em 2023 - Crédito: Antônio Cruz/Agência Brasil Crédito: Antônio Cruz/Agência Brasil

O Ministério da Justiça e Segurança Pública estima que o número de assassinatos, incluindo feminicídios, registrados ao longo deste ano, deverá ser quase 6% menor que o total de 2022. A informação foi antecipada nesta quinta-feira (21) pelo ministro Flávio Dino.

“Temos uma tendência, quase uma confirmação, de redução da ordem de quase 6% [5,7%] dos chamados crimes violentos letais intencionais”, declarou Dino ao apresentar um balanço, preliminar, das ações que o ministério desempenhou este ano.

O ministro alertou que os resultados divulgados nesta quinta-feira ainda não são definitivos, pois não levam em conta os dados das últimas semanas. Mesmo assim, Dino decidiu aproveitar a cerimônia de entrega de mais de 700 viaturas policiais para estados e apresentar parte dos resultados, já que deixará a pasta no início de janeiro para assumir o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

“Em 2021, tivemos 42.721 crimes violentos letais intencionais. Em 2022, foram 42.620. Já para este ano, nossa projeção mais pessimista é que [o total] chegue a, no máximo, 40.173 casos”, detalhou Dino, frisando que, entre janeiro e o início de novembro, foram registrados, em todo o país, 36.854 ocorrências dessa natureza.

De acordo com o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), são considerados crimes violentos letais intencionais os homicídios dolosos, incluindo o feminicídio, a lesão corporal seguida de morte e o latrocínio. Ainda segundo o conselho, a categoria foi idealizada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública, com o intuito de agregar os crimes de maior relevância social, já que os crimes que resultam em morte “destacam-se como principal medidor da violência”.

“Alguém dirá que os resultados não são espetaculares, mas não sou pago para dar espetáculo, e sim para implementar uma política pública nos termos que a realidade permite”, ponderou Dino alegando que, se dependesse de sua vontade, a melhora dos indicadores relativos à violência ocorreria mais velozmente.

“Mas ninguém conduz uma política pública sozinho. Estou muito feliz com os resultados. Estamos avançando na direção correta. [Se confirmados, os dados preliminares] significam aproximadamente 2,5 mil vidas salvas. E isso se deu com a redução do armamentismo irresponsável que havia anteriormente, demonstrando que não há correlação lógica entre o crescimento do número de armas e a redução de mortes violentas ou homicídios, como diziam alguns”, disse Dino.

De acordo com o ministério, as 28.304 armas registradas até novembro deste ano são quase 79% inferior as 135.915 registradas em 2022.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça Federal nega novo pedido de transferência de Ronnie Lessa
Judiciário

Justiça Federal nega novo pedido de transferência de Ronnie Lessa

12/04/2024 20:15
Justiça Federal nega novo pedido de transferência de Ronnie Lessa
Entenda em quais casos a saidinha de presos fica permitida ou proibida
Segurança

Entenda em quais casos a saidinha de presos fica permitida ou proibida

12/04/2024 19:15
Entenda em quais casos a saidinha de presos fica permitida ou proibida
Professor Rinaldo fala de mecanismos para reduzir violência e apresenta projeto
ALEMS

Professor Rinaldo fala de mecanismos para reduzir violência e apresenta projeto

12/04/2024 07:00
Professor Rinaldo fala de mecanismos para reduzir violência e apresenta projeto
Deputados reconhecem e valorizam a Polícia Civil sul-mato-grossense
ALEMS

Deputados reconhecem e valorizam a Polícia Civil sul-mato-grossense

11/04/2024 21:30
Deputados reconhecem e valorizam a Polícia Civil sul-mato-grossense
MS tem 402 cuidadores que recebem auxílio de R$ 900 do governo
Segurança

MS tem 402 cuidadores que recebem auxílio de R$ 900 do governo

10/04/2024 14:15
MS tem 402 cuidadores que recebem auxílio de R$ 900 do governo
Últimas Notícias