Dourados – MS quinta, 15 de abril de 2021
Dourados
34º max
22º min
Influx - Campanha 2021
Medo e insegurança

Nova “cracolândia” em Dourados atrapalha o comércio e assusta a população

04 Mar 2021 - 08h02Por Kamila Rios/o Progresso
Nova “cracolândia” em Dourados atrapalha o comércio e assusta a população - Crédito: O Progresso Crédito: O Progresso

Há aproximadamente quatro meses, moradores de rua têm ocupado as calçadas e canteiros próximos ao terminal de transbordo de Dourados. Situação que tem gerado reclamação e revolta de moradores e comerciantes da região central, principalmente um trecho da Rua Dr. Camilo Hermelindo da Silva, entre a Avenida Joaquim Teixeira Alves e a Antônio Emilio de Figueiredo. 

O lugar que recebeu o nome de nova “cracolândia”, tem se tornado perigoso para quem transita nas proximidades. Um comerciante contou que as reclamações dos clientes tem sido constantes: “Desde que o comercio que tinha ali fechou, eles (moradores de rua) tomaram conta do espaço. Ficam abordando as pessoas que passam, pedem dinheiro, ameaçam, gritam. Os clientes ficam inseguros e isso atrapalha os negócios”. 

No inicio eram poucas pessoas, mas com o tempo tornou-se comum à aglomeração para uso de drogas e consumo de bebidas alcoólicas, o que deixa os frequentadores do local violentos. “Eu já cheguei a contar 35 pessoas ali. Tem comerciantes querendo entregar o ponto porque não aguenta mais o incomodo. A maioria deles tem casa e ficam na rua porque querem, a família veio atrás resgatar e não quiseram ir embora. Sem contar as brigas constantes, semana passada foi assustador ver uma mulher esfaqueada e sangrando tanto, fiquei mal o dia todo”, comentou outro comerciante se referindo a uma briga que aconteceu na última sexta-feira (26), onde uma “moradora” esfaqueou outra mulher no abdome, motivada por ciúmes. 

O perigo ronda também quem precisa atravessar o trecho para pegar ônibus no transbordo e para quem trabalha próximo a esse pedaço da rua. Um fiscal da empresa de estacionamento contou a nossa equipe como tem sido a rotina de trabalho: “Não chegamos perto deles, a gente olha de longe. Já fui abordada, outra vez tentaram me cercar e como estamos sempre carregando a bolsa de dinheiro, dá muito medo. Cansei de ver eles mexendo com as mulheres que passam, tem alguns que chegam ir atrás, é assustador.”

Por se tratar de um lugar público, não há impedimento para essas pessoas se reunirem lá, o que dificulta a solução do problema. A Guarda Municipal já esteve diversas vezes no local abordando os frequentadores, mas não houve flagrante de nenhum crime e como não havia mandado de prisão, nada pode ser feito. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Grupo de Operações Aéreas do Corpo de Bombeiros recebe R$ 1,3 milhão para resgate avançado
Segurança

Grupo de Operações Aéreas do Corpo de Bombeiros recebe R$ 1,3 milhão para resgate avançado

05/04/2021 17:20
Grupo de Operações Aéreas do Corpo de Bombeiros recebe R$ 1,3 milhão para resgate avançado
Em Mato Grosso do Sul, titular da Senad defende proposta de agilizar leilões de bens do crime organizado
leilões

Em Mato Grosso do Sul, titular da Senad defende proposta de agilizar leilões de bens do crime organizado

06/03/2021 11:30
Em Mato Grosso do Sul, titular da Senad defende proposta de agilizar leilões de bens do crime organizado
Governo do Estado entrega 82 novas viaturas à Polícia Civil
Segurança

Governo do Estado entrega 82 novas viaturas à Polícia Civil

23/02/2021 09:16
Governo do Estado entrega 82 novas viaturas à Polícia Civil
Acusado de feminicídio de vizinha vai a júri em abril
Justiça

Acusado de feminicídio de vizinha vai a júri em abril

19/02/2021 18:00
Acusado de feminicídio de vizinha vai a júri em abril
Antes de viajar, verifique as dicas da Polícia Civil para ter a casa protegida
Segurança

Antes de viajar, verifique as dicas da Polícia Civil para ter a casa protegida

13/02/2021 14:08
Antes de viajar, verifique as dicas da Polícia Civil para ter a casa protegida
Últimas Notícias