Dourados – MS terça, 28 de maio de 2024
Saúde

SUS registrou 1,3 milhão de atendimentos a pacientes com asma na Atenção Primária à Saúde

06 Mai 2022 - 08h15Por Ministério da Saúde
SUS registrou 1,3 milhão de atendimentos a pacientes com asma na Atenção Primária à Saúde
 -

Aasma é um dos problemas de saúde respiratória mais recorrentes no Brasil. Estima-se que 23,2% da população viva com a doença, e a incidência varia de 19,8% a 24,9% entre as regiões do País.

Em 2021, foram realizados 1,3 milhão de atendimentos na Atenção Primária à Saúde, a porta de entrada do brasileiro ao Sistema Único de Saúde (SUS). O número corresponde a, aproximadamente, 231 mil consultas a mais que o ano anterior.

Neste Dia Mundial de Combate a Asma, celebrado na quarta-feira (4), o Ministério da Saúde chama a atenção para o problema. Dados da pasta apontam ainda que os meses de maio e junho de 2021 registraram o pico de atendimentos (cerca de 158 mil), o que coincidiu com um período crítico da pandemia de Covid-19 no País, com crescimento de casos e flexibilização do isolamento e distanciamento social.

A diretora do Departamento de Promoção da Saúde do Ministério da Saúde, Juliana Rezende, falou sobre este problema de saúde. “A partir de julho, o número de consultas de pacientes com asma diminuiu significativamente nas unidades básicas de saúde, por redução dos casos de Covid-19, fator de risco para piora do quadro. Vale lembrar que o Brasil é um dos poucos países do mundo a disponibilizar gratuitamente o tratamento para a doença”.

Para dar mais assistência a pacientes asmáticos, o Governo Federal lançou em março de 2022, em parceria com o Iats, a Linha de Cuidados de Asma. Ela está disponível online para orientar pacientes, gestores e profissionais de saúde sobre o fluxo de atendimento para a doença no SUS. Além disso, o Programa Nacional de controle ao Tabagismo (PNTC) orienta a atuação profissional nas unidades da Atenção Primária.

O PNTC ajuda os profissionais no acompanhamento e manejo de fumantes ativos e passivos e para a cessação do uso do tabaco, importante fator de risco para a asma. Em 2021, o Ministério da Saúde publicou ainda o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) da Asma. O documento traz recomendações e orientações aos profissionais de saúde sobre critérios para o diagnóstico da asma e os tipos de tratamentos disponíveis no SUS.

O Brasil conta ainda com a Tele-Espirometria para Suporte ao Atendimento de Pessoas com Doenças Pulmonares Crônicas. O projeto trata da aquisição de equipamentos para as UBS para suporte no atendimento à asma e a doenças pulmonares crônicas, e conta com a oferta de espirômetros portáteis (aparelho que avalia a capacidade dos pulmões); capacitação de profissionais para a realização do exame; implantação de um sistema de transmissão do exame; emissão e envio de laudo por via eletrônica à unidade solicitante.

O que é a asma?

Caracterizada como uma doença heterogênea, que pode acometer todas as faixas etárias, a asma é usualmente identificada como uma doença crônica não transmissível inflamatória das vias aéreas ou brônquios, definida pela história clínica e sintomas respiratórios.

As UBS são capacitadas para oferecer ações de prevenção de agravos e de promoção da saúde (por meio de atividades individuais e coletivas) e acompanhamento longitudinal dos casos suspeitos ou já diagnosticados, oferecendo atenção integral para a população.

Quais são os sintomas da asma?

Os sintomas mais comuns são:

  • falta de ar ou dificuldade para respirar;
  • sensação de aperto no peito ou peito pesado;
  • chio ou chiado no peito;
  • tosse.

Eles variam em severidade e frequência de pessoa para pessoa (podem ocorrer várias vezes ao dia ou semana em indivíduos afetados, piorando à noite ou de madrugada e com as atividades físicas), e podem desencadear outros quadros, como insônia, fadiga diurna, redução dos níveis de atividade e absenteísmo escolar e profissional.

Durante uma crise de asma, o revestimento dos brônquios torna-se edemaciado, estreitando as vias aéreas e reduzindo o fluxo de ar, tanto na inspiração, quanto na expiração pulmonar. Embora não tenha cura, o tratamento adequado da asma pode controlar os sintomas e crises, melhorando e estabilizando a função pulmonar e melhorando a qualidade de vida.

O Ministério da Saúde orienta que ao sentir os sintomas ou qualquer dificuldade respiratória não-emergencial, é indicado procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de sua residência. Quando necessário, o paciente receberá o encaminhamento para a atenção especializada (podendo incluir consultas com pneumologistas, fisioterapeutas respiratórios e, quando necessário, psicólogos) ou para as unidades de pronto atendimento e hospitais, em casos de crises graves.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Quase 2 milhões de pessoas receberam absorvente de graça este ano
Saúde

Quase 2 milhões de pessoas receberam absorvente de graça este ano

há 35 minutos atrás
Quase 2 milhões de pessoas receberam absorvente de graça este ano
Lei define regras para encaminhar paciente a hospital privado em caso de emergência
Saúde

Lei define regras para encaminhar paciente a hospital privado em caso de emergência

28/05/2024 21:00
Lei define regras para encaminhar paciente a hospital privado em caso de emergência
MS inicia campanha de vacinação contra poliomielite; imunização vai até 14 de junho
Saúde

MS inicia campanha de vacinação contra poliomielite; imunização vai até 14 de junho

28/05/2024 20:30
MS inicia campanha de vacinação contra poliomielite; imunização vai até 14 de junho
Por que doenças respiratórias aumentam no outono e inverno? Entenda
Saúde

Por que doenças respiratórias aumentam no outono e inverno? Entenda

28/05/2024 18:15
Por que doenças respiratórias aumentam no outono e inverno? Entenda
Saiba um pouco mais sobre as doenças sexualmente transmissíveis e como evitá-las
Saúde

Saiba um pouco mais sobre as doenças sexualmente transmissíveis e como evitá-las

28/05/2024 17:30
Saiba um pouco mais sobre as doenças sexualmente transmissíveis e como evitá-las
Últimas Notícias