Dourados – MS segunda, 25 de outubro de 2021
Dourados
29º max
17º min
Ranking Valor Econômico
Saúde

Estudo identifica tribo amazônica

23 Mai 2011 - 18h45
O primeiro contato do mundo externo com a tribo
Amondawa ocorreu em 1986. - Crédito: Foto:Vera Silva SinhaO primeiro contato do mundo externo com a tribo Amondawa ocorreu em 1986. - Crédito: Foto:Vera Silva Sinha
Pesquisadores brasileiros e britânicos identificaram uma tribo amazônica que, segundo eles, não tem noção do conceito abstrato de tempo. Chamada Amondawa, a tribo não tem as estruturas linguísticas que relacionam tempo e espaço - como, por exemplo, na tradicional ideia de \"no ano que vem\".

O estudo feito com os Amondawa, chamado \"Língua e Cognição\", mostra que, ainda que a tribo entenda que os eventos ocorrem ao longo do tempo, este não existe como um conceito separado.

A ideia é polêmica, e futuras pesquisas tentarão identificar se isso se repete em outras línguas faladas na Amazônia.

O primeiro contato dos Amondawa com o mundo externo ocorreu em 1986, e, agora, pesquisadores da Universidade de Portsmouth (Grã-Bretanha) e da Universidade Federal de Roraima começaram a analisar a ideia de tempo da forma como ela aparece no idioma falado pela tribo.

\"Não estamos dizendo que eles são \'pessoas sem tempo\' ou \'fora do tempo\'\", explicou Chris Sinha, professor de psicologia da língua na Universidade de Portsmouth.

\"O povo Amondawa, como qualquer outro, pode falar sobre eventos e sequências de eventos\", disse ele à BBC. \"O que não encontramos foi a noção de tempo como sendo independente dos eventos que estão ocorrendo. Eles não percebem o tempo como algo em que os eventos ocorrem.\"

Tanto que a tribo não tem uma palavra equivalente a \"tempo\", nem mesmo para descrever períodos como o mês ou o ano.

As pessoas da tribo não se referem a suas idades - em vez disso, assumem diferentes nomes em diferentes estágios da vida, à medida que assumem novos status dentro de sua comunidade.

Mas talvez o mais surpreendente seja a sugestão dos pesquisadores de que não há interconexão entre os conceitos de passagem do tempo e movimento pelo espaço. Ideias como um evento que \"passou\" ou que \"está muito à frente\" de outro são comuns em muitas línguas, mas tais construções linguísticas não existem entre os Amondawa.

\"Isso não significa que (as construções) estão além das capacidades cognitivas da tribo\", prosseguiu Sinha. \"Apenas não são usadas no seu dia-a-dia.\"

Quando os Amondawa aprenderam português - que está se tornando mais comum entre eles -, eles facilmente incorporam a noção do tempo em sua linguagem.

A hipótese dos pesquisadores é de que a ausência do conceito de tempo se origina da ausência da \"tecnologia do tempo\" - por exemplo, sistemas de calendário e relógios. Isso, por sua vez, pode estar relacionado ao fato de que, como muitas tribos, o sistema numérico detalhado dos Amondawa é limitado.

Termos absolutos

Tais argumentos não convencem Pierre Pica, linguista teórico do Centro Nacional Francês de Pesquisa Científica (CNRS), que foca seus estudos em uma outra língua amazônica, conhecida como Mundurucu.

\"Relacionar número, tempo e espaço por uma simples ligação causal parece sem sentido, com base na diversidade linguística que conheço\", disse ele à BBC News.

Pierre diz que o estudo sobre os Amondawa \"tem dados muito interessantes\", mas argumentos simplificados.

Sociedades pequenas como os Amondawa tendem a usar termos absolutos para relações espaciais normais - por exemplo, referir-se à localização específica de um rio que todos na comunidade conhecem bem, em vez de usar uma palavra genérica para rios.

Em outras palavras, enquanto os Amomdawa podem ver a si mesmos se movendo através de arranjos temporais e espaciais, seu idioma talvez não reflita isso de uma maneira óbvia.

Novos estudos devem aprofundar o conhecimento sobre o assunto, diz Sinha. \"Queremos voltar (à tribo) e verificar (a teoria) novamente antes que a língua desapareça - antes que a maioria da população comece a aprender desde cedo a usar sistemas de calendário.\"

Deixe seu Comentário

Leia Também

Médicos brasileiros vão percorrer mais de mil quilômetros levando assistência às comunidades do Pantanal
Saúde

Médicos brasileiros vão percorrer mais de mil quilômetros levando assistência às comunidades do Pantanal

21/10/2021 16:30
Médicos brasileiros vão percorrer mais de mil quilômetros levando assistência às comunidades do Pantanal
Novas tecnologias no diagnóstico e tratamento do câncer de mama
Outubro Rosa

Novas tecnologias no diagnóstico e tratamento do câncer de mama

20/10/2021 16:00
Novas tecnologias no diagnóstico e tratamento do câncer de mama
Saúde

Procura por tratamento de saúde mental continua a crescer na pandemia

20/10/2021 15:30
MS está há seis dias sem registrar nenhum óbito por Covid-19
Covid

MS está há seis dias sem registrar nenhum óbito por Covid-19

20/10/2021 13:30
MS está há seis dias sem registrar nenhum óbito por Covid-19
Saúde

Programa da OMS vai comprar antivirais para combater covid-19

19/10/2021 15:00
Últimas Notícias