Dourados – MS quarta, 12 de maio de 2021
Dourados
24º max
16º min
Vacinação 2
IMPRESSO

Busca por tratamento para dependência química cresce 30% em Dourados

04 Mai 2021 - 08h30Por Valéria Araújo
Busca por tratamento para dependência química cresce 30% em Dourados - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

A pandemia da Covid-19 impactou os hábitos dos brasileiros em relação as substâncias psicoativas. Estudo inédito da Unicamp mostrou que 38,4% das pessoas em quarentena relataram aumento no consumo de drogas, legalizadas ou não.

Em Dourados a Assistente Social e membro do Conselho Municipal de Políticas Sobre Drogas de Dourados (COMAD) Talita Rolim da Silva, acredita, com base na atuação dentro da Comunidade Terapêutica Novo Olhar e em contato com as outras CT, que houve um aumento de cerca de 30% de dependentes que querem se livrar das drogas (licitas e ilícitas) durante a pandemia Segundo ela, são casos de pessoas que já não aguentam mais os reflexos que a dependência trouxe, tanto no aspecto de saúde quanto na vida social.

A busca por essas substâncias pode ter motivação nos impactos que a pandemia causou, como o isolamento, o que desencadeou casos de depressão e ansiedade, além da instabilidade financeira e muitos conflitos intrafamiliares. Para a especialista muitas pessoas recorreram ao uso de substâncias químicas durante a quarentena como um refúgio diante de situações de sofrimento, exemplo a bebida alcoólica, que pode ser porta de entrada para outras drogas que também causam dependência química. Na pandemia essa tendência aumentou.

A especialista alerta para a falta de políticas públicas efetivas, de forma intersetorial voltadas para o atendimento de dependentes químicos. “Dourados é uma das maiores rotas do narcotráfico e no entanto, não conta com um órgão público específico intersectorial que atue desde a prevenção, fomento de pesquisa, capacitação permanente aos profissionais públicos, e fortalecimentos dos locais de atendimento para tratamento existentes.

Esse serviço público poderia executar um trabalho de integrar a rede de atendimento voltada ao dependente químico, o tratando como sujeito de direito que possui necessidades de forma integral”, sugere. Com o objetivo de instruir a sociedade, profissionais sobre os efeitos das drogas e para auxiliar familiares em como agir em casos de dependentes químicos no seio da família, é que o COMAD iniciou nesta semana a capacitação sobre a Pandemia da Dependência Química em parceria com o GEPED/ UFGD (Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Drogas da Universidade Federal da Grande Dourados) e o Projeto Tekoha Marane’y.

A primeira palestra aconteceu na última sexta-feira sobre as Drogas na história. A formação deste ano tem por tema a “Pandemia da Dependência Química” e será oferecida no formato online, com palestras no canal do COMAD e Tekoha Marane’y no Youtube.

De abril até novembro serão abordados temas como: a lei sobre drogas e o Comad, efeitos do abuso de substâncias, a espiritualidade no tratamento da adicção, Abuso de substâncias entre mulheres e crianças, drogas e violência, dependência e povos indígenas, farmacologia do abuso de drogas, prevenção cuidados e reinserção social, opções de tratamento, e sistema prisional e drogas.

Serão 60 horas com certificação aos participantes que cumprirem o mínimo de 70% da carga horária e apresentarem o trabalho conclusivo, publicado após o último encontro no mês de novembro. De acordo com professor Neimar Machado de Sousa, um dos organizadores da capacitação, o tema segue uma recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde), para que os Estados estabeleçam um controle maior sobre a venda de álcool. Durante a pandemia da covid-19, houve um aumento no consumo de substâncias legais e ilegais.

“Há uma tendência social em saúde, chamada de coping, uma palavra em inglês que tem associação com a maneira de enfrentarmos os problemas. É a forma como reagimos às situações de estresse, ameaça, ansiedade e desconforto emocional. Algumas pessoas respondem a esses sentimentos negativos recorrendo ao uso de drogas, justamente o que temos observado durante a pandemia”, explica Sousa.

Serviço As inscrições já estão abertas, a programação e o contato com a comissão organizadora estão disponíveis no site do evento: https:// www.even3.com.br/Comad2021

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde

Comissão da OMS faz recomendações para evitar próxima pandemia

há 54 minutos atrás
Anvisa determina vacinação apenas em grávidas e puérperas com comorbidades
Saúde

Anvisa determina vacinação apenas em grávidas e puérperas com comorbidades

12/05/2021 17:30
Anvisa determina vacinação apenas em grávidas e puérperas com comorbidades
Covid-19

Butantan entrega mais 1 milhão de doses de vacinas contra covid-19

12/05/2021 12:30
EUA autorizam vacina da Pfizer para faixa etária de 12 a 15 anos
Saúde

EUA autorizam vacina da Pfizer para faixa etária de 12 a 15 anos

11/05/2021 17:30
EUA autorizam vacina da Pfizer para faixa etária de 12 a 15 anos
Vacinação de grávidas e puérperas passa a ser feita, nesta fase, com doses da Pfizer
Dourados

Vacinação de grávidas e puérperas passa a ser feita, nesta fase, com doses da Pfizer

11/05/2021 16:30
Vacinação de grávidas e puérperas passa a ser feita, nesta fase, com doses da Pfizer
Últimas Notícias