Dourados – MS domingo, 26 de setembro de 2021
Dourados
36º max
19º min
Institucional - Setembro
Rural

Preço do boi gordo deve subir 4% até final do ano, prevê especialista

03 Nov 2015 - 11h27
Mercado da pecuária de Mato Grosso do Sul será debatido durante o primeiro Circuito Boi Gordo. - Crédito: Foto: DivulgaçãoMercado da pecuária de Mato Grosso do Sul será debatido durante o primeiro Circuito Boi Gordo. - Crédito: Foto: Divulgação
O preço do boi gordo deve subir entre 3% e 4% até o final do ano, tomando como base as cotações praticadas nos últimos pregões da BM&F Bovespa. A projeção é do diretor da Scot Consultoria, Alcides Torres, que no dia 06 de novembro, ministrará a palestra ‘Perspectivas do Mercado Pecuário’, no 1º Circuito Pecuário, que será realizado em Camapuã, na sede da Acricam - Associação dos Criadores de Camapuã, a partir das 19h.

Seguindo os cálculos do especialista e considerando a arroba do boi gordo valendo R$ 138 em Mato Grosso do Sul - segundo informações do Departamento de Economia do Sistema Famasul - Federação da Agricultura e Pecuária de MS - a arroba do boi gordo pode encerrar o ano em aproximadamente R$ 143,5.

Camapuã será o primeiro município a receber o Circuito Pecuário, criado pela Famasul com objetivo de levar informações econômicas e técnicas para nortear as decisões de negociação do produtor rural da região. “A capital do bezerro de qualidade dará o pontapé inicial do evento que percorrerá os principais municípios produtores em 2016. É uma largada de sucesso do Circuito que será uma ferramenta para o pecuarista que quer elevar seu desempenho produtivo”, afirma o presidente da Famasul, Mauricio Saito.

Segundo o diretor da Scot Consultoria, o pecuarista precisa ficar antenado às informações de mercados e acompanhar os pregões da Bolsa de Valores. “Se o produtor rural não for à Bolsa, o risco é dele. O frigorífico e os credores do setor estão no mercado futuro, o único que ainda não está é ele [pecuarista]”, alerta Torres que, durante o Circuito destacará como funciona, os riscos e as vantagens de ficar atento ao mercado futuro. “O produtor rural, lá no campo, não consegue visualizar o funcionamento do mercado. É preciso que a BM&F Bovespa fomente isso”.

Para o especialista, o mercado deve se manter positivo nos próximos 14 meses. “A expectativa é que os preços não caiam, o mercado continuará comprador e se manterá sem boiada”, destaca Torres que orienta o produtor a não segurar o boi no pasto e assim perder a chance de realizar bons negócios. “Se o mercado está dando lucro, é hora de vender”.

Em relação à atual conjuntura econômica vivida no País, Torres não é otimista para o curto prazo. “A crise vai além de 2016, principalmente, porque temos problemas com a falta de credibilidade violenta em relação ao atual Governo. A crise moral é maior que a econômica. O pessimismo deixa o consumo comedido”, avalia.

Sobre a influência da crise na pecuária, Torres destaca: “O que salva é que a oferta também é comedida. Entretanto, a alta do boi gordo apresenta um crescimento menor que o seu potencial. Sem a crise, o boi poderia estar a R$ 170 a arroba”. O perfil empreendedor do produtor rural também é destacado por Alcides Torres. “O criador de gado empreendedor e progressista está aproveitando o atual momento do setor “.

Apesar do cenário negativo, a moeda nacional desvalorizada em relação ao dólar traz benefícios ao produtor rural brasileiro quando o assunto é exportação de carne bovina. “O volume das exportações brasileiras de carne bovina in natura caiu 25% em 2015. A receita, em dólar, recuou 16%. Mas quando convertemos para o real, a alta é de 9%. O único problema do câmbio está no custo de produção”. Ainda sobre as vendas internacionais do setor pecuário, Torres vê com bons olhos a abertura do mercado americano para a carne bovina do Brasil. “A primeira implicação das vendas aos Estados Unidos é o reconhecimento do controle da aftosa. Isso abrirá portas para outros países”.

Sobre o evento - Camapuã, a Capital do Bezerro de Qualidade, será sede do 1º Circuito Pecuário Famasul, promovido pelo Sistema Famasul - Federação da Agricultura e Pecuária de MS e pelo Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural. Com o tema ‘Criando oportunidades, construindo soluções’, o evento acontecerá no dia 06 de novembro, na sede da Acricam - Associação dos Criadores de Camapuã.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Falta de chuvas atrasa plantio de soja em Mato Grosso do Sul
Rural

Falta de chuvas atrasa plantio de soja em Mato Grosso do Sul

26/09/2021 13:00
Falta de chuvas atrasa plantio de soja em Mato Grosso do Sul
Produção agrícola em 2020 bate novo recorde e atinge R$ 470,5 bilhões
Rural

Produção agrícola em 2020 bate novo recorde e atinge R$ 470,5 bilhões

22/09/2021 13:00
Produção agrícola em 2020 bate novo recorde e atinge R$ 470,5 bilhões
A exemplo das abelhas, gestão e logística são essenciais na multiplicação dos enxames
Rural

A exemplo das abelhas, gestão e logística são essenciais na multiplicação dos enxames

22/09/2021 12:00
A exemplo das abelhas, gestão e logística são essenciais na multiplicação dos enxames
Expoagro Digital movimenta mais de R$ 50 mi em Feira de Negócios
Expoagro Digital

Expoagro Digital movimenta mais de R$ 50 mi em Feira de Negócios

20/09/2021 15:31
Expoagro Digital movimenta mais de R$ 50 mi em Feira de Negócios
Selo Arte para produtos de abelhas e derivados permitirá expansão da apicultura em Mato Grosso do Sul
Rural

Selo Arte para produtos de abelhas e derivados permitirá expansão da apicultura em Mato Grosso do Sul

20/09/2021 13:00
Selo Arte para produtos de abelhas e derivados permitirá expansão da apicultura em Mato Grosso do Sul
Últimas Notícias