Dourados – MS segunda, 18 de janeiro de 2021
Dourados
27º max
22º min
Influx
Política

Rocha sugere frente para acompanhar demarcação

31 Mai 2011 - 22h42
Foto: div. - Foto: div. -
Campo Grande - A política adotada para a demarcação de terras indígenas em Mato Grosso do Sul e no País foi novamente motivo, ontem, de críticas na Assembleia Legislativa do Estado.

Usando como exemplo a polêmica retirada de arrozeiros da reserva Raposa Serra do Sol, em Roraima, recentemente, o deputado Eduardo Rocha (PMDB) fez severas críticas à fórmula adotada pelas autoridades judiciais, nos últimos tempos, para tratar da questão em MS.

Rocha defendeu métodos de demarcação de terras indígenas no Estado baseados na responsabilidade e não no “afogadilho” de certas autoridades.
Ele pediu que a Assembleia entre na questão montando uma frente permanente de parlamentares para acompanhar os processos referentes a demarcação de áreas hoje ocupadas principalmente por produtores rurais.

O deputado peemedebista advertiu que sem uma política mais responsável voltada à análise de terras requeridas por indígenas, corre-se o risco de se desalojar produtores que atuaram por longos anos na produção rural.

Ele sugeriu que um trabalho pouco minucioso neste sentido poderá colocar na miséria, fazendeiros que por um longo tempo contribuíram para o desenvolvimento da economia do Estado. “Essas pessoas poderão, além de perder seus bens, ficar na rua passando fome”, ressaltou o deputado, para quem a questão indígena vem sendo tratada no País, nos últimos tempos, como “uma verdadeira brincadeira”.

Críticas à Funai

O discurso de Rocha recebeu apoio do deputado Zé Teixeira (DEM), pecuarista na região sul do Estado. Para Teixeira, a situação a que chegou a questão indígena no Estado tem a ver com a má e irresponsável atuação da Funai na administração de assuntos do gênero.

Ele sugeriu que a Funai deixe de atuar na tutela dos índios, relegando a missão para outros órgãos. A exemplo de Rocha,Teixeira atacou a constante interferência de Ongs internacionais na questão indígena.

Ele falou que a investida dessas ONGs, a maioria de origem estrangeira, tem auxiliado para que se instale o caos em propriedades produtoras, no confronto dessas com os índios.

O deputado democrata lembrou que decisões tomadas em favor dos indígenas em MS levaram, nos últimos tempos, produtores rurais ao caos financeiro.
Teixeira disse conhecer um desses produtores que, derrotado na queda de braço com indígenas na luta pela terra, hoje sobrevive com a venda de espetinhos em uma cidade do sul do Estado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Psol lança o nome de Erundina para disputar a presidência da Câmara
política

Psol lança o nome de Erundina para disputar a presidência da Câmara

16/01/2021 14:08
Psol lança o nome de Erundina para disputar a presidência da Câmara
Informe C

O plano eleitoral não deu certo e o vice saiu...

16/01/2021 08:04
Prefeitura de Dourados corta 419 cargos comissionados
Política

Prefeitura de Dourados corta 419 cargos comissionados

14/01/2021 13:33
Prefeitura de Dourados corta 419 cargos comissionados
Vereador visita posto de saúde no Novo Horizonte e encontra matagal e escorpião
Dourados

Vereador visita posto de saúde no Novo Horizonte e encontra matagal e escorpião

11/01/2021 09:03
Vereador visita posto de saúde no Novo Horizonte e encontra matagal e escorpião
Kinho assume como unanimidade, mas artistas cobram apoio do prefeito
Cultura

Kinho assume como unanimidade, mas artistas cobram apoio do prefeito

10/01/2021 11:26
Kinho assume como unanimidade, mas artistas cobram apoio do prefeito
Últimas Notícias