Dourados – MS sábado, 17 de abril de 2021
Dourados
32º max
20º min
Influx - Campanha 2021
Política

Relator é contra o fim da reeleição

13 Jun 2011 - 22h35
O relator Renan Calheiros é a favor da reeleição para os cargos do executivo - Crédito: Foto : Geraldo Magela – Agência SenadoO relator Renan Calheiros é a favor da reeleição para os cargos do executivo - Crédito: Foto : Geraldo Magela – Agência Senado
Brasília - As propostas que mudam a Constituição para acabar com a possibilidade de reeleição de presidente da República, governadores e prefeitos e para instituir mandato de cinco anos para esses cargos receberam voto contrário do relator na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), senador Renan Calheiros (PMDB-AL). Os integrantes da CCJ decidem na quarta-feira (15) se seguem o relator ou se aprovam os textos originais, apresentados pela Comissão da Reforma Política do Senado.

O fim da reeleição está previsto na PEC 39/2011. Foi proposto pelos autores da matéria por ser considerado contrário à \"tradição republicana, que vigeu da Proclamação da República até 1997\", quando foi acolhida a Emenda Constitucional 16, que deu aos chefes dos Executivos a possibilidade de um segundo mandato consecutivo.

Durante os debates na Comissão de Reforma Política, diversos senadores que já foram governadores se manifestaram contra a reeleição reconhecendo que o titular do mandato, \"ao acumular a condição de candidato, compete na campanha eleitoral em condições extremamente favoráveis em comparação com os demais concorrentes\", conforme a justificação da matéria.

Ao se posicionar a favor da reeleição no Executivo, Renan relembrou argumentos que levaram à aprovação da Emenda Constitucional 16, como o tempo insuficiente do mandato de quatro anos para os desafios dos cargos. De acordo com o relator, a reeleição permite aos eleitores \"premiar os bons governantes com um mandato adicional e punir os maus governantes com a recusa desse mandato\".

Mandato de cinco anos

Ao rejeitar o mandato de cinco anos de presidente, governadores e prefeitos, previsto na PEC 38/2011, Renan disse ser esta proposta \"uma espécie de contrapartida\" pelo fim da reeleição no Executivo. Contra o aumento do mandato, o relator argumenta que a mudança resultaria na não coincidência entre o mandato do presidente da República e o dos parlamentares, \"fator que dificulta a governabilidade e facilita a ocorrência de crises institucionais\".

Para ele, a mesma duração de mandatos do Executivo e do Legislativo favorece a sintonia de agenda dos dois Poderes, \"em proveito da governabilidade e da eficiência administrativa\".

Eleições unificadas

Em substitutivo da PEC 38/2011, Renan propõe uma mesma data para realização de eleições municipais, estaduais, distrital e federal. Para ele, a coincidência das eleições seria um \"elemento motivador do entendimento entre os partidos políticos e as lideranças municipais, estaduais e federais, em benefício do interesse nacional\". Conforme argumenta, a medida resultaria em redução dos custos das campanhas e dos gastos da Justiça Eleitoral.

\"O sistema atual, com eleições a cada dois anos, exige maior dispêndio de recursos humanos e financeiros, por parte da sociedade e do Estado\", diz ele.

Ao propor eleições em uma só data, ele considera que \"haverá redução substancial de gastos, com grande economia de recursos, pois haveria um período eleitoral único a cada quatro anos\".

Para assegurar os direitos adquiridos pelos atuais mandatários, Renan propõe que a medida seja adotada apenas em 2018. Dessa forma, prefeitos e vereadores eleitos em 2016 teriam, excepcionalmente, os seus mandatos fixados em dois anos, o que propiciaria a unificação dos pleitos a partir de 2018.

Data da posse

Quanto às mudanças de data da posse de chefes do Executivo, também previstas na PEC 38/2011, Renan acatou a proposta de posse de governador no dia 10 de janeiro e de presidente da República no dia 15 do mesmo mês, mas propôs a posse de prefeitos no dia cinco de janeiro, e não no dia 10, como previsto no texto original.


######(Agência Senado).

Deixe seu Comentário

Leia Também

Governo regulamenta Mais Social e organiza pagamentos a partir de maio
MS

Governo regulamenta Mais Social e organiza pagamentos a partir de maio

17/04/2021 07:15
Governo regulamenta Mais Social e organiza pagamentos a partir de maio
Área social será a nova marca do Governo do Estado, segundo Sérgio Murilo
Política

Área social será a nova marca do Governo do Estado, segundo Sérgio Murilo

17/04/2021 07:10
Área social será a nova marca do Governo do Estado, segundo Sérgio Murilo
Prefeitura disponibiliza equipe para atender CPI da Covid
Dourados

Prefeitura disponibiliza equipe para atender CPI da Covid

16/04/2021 13:56
Prefeitura disponibiliza equipe para atender CPI da Covid
STF mantém anulação das condenações de Lula
Política

STF mantém anulação das condenações de Lula

16/04/2021 10:15
STF mantém anulação das condenações de Lula
Política

Fachin pede para mudar para a Primeira Turma do STF

16/04/2021 08:35
Últimas Notícias